Francischini sobre o massacre de 29 de abril: “Eu não mandaria bater em professor”; assista ao vídeo

O deputado federal Fernando Francischini (SD), ex-secretário da Segurança Pública do Paraná, em entrevista exclusiva ao Blog do Esmael/TV 15, afirmou nesta quinta-feira (20) que revelará em breve o verdadeiro mandante do massacre de professores e servidores públicos no dia 29 de abril.

“Não seria eu, numa maluquice política, que mandaria bater em professor”, esquivou-se Francischini, de Brasília, em seu primeiro pronunciamento oficial após quatro meses do triste episódio.

O parlamentar entrou ao vivo na transmissão da manifestação pró-Dilma Rousseff e PT, que reuniu cinco mil pessoas na capital paranaense.

O ex-secretário adiantou que no momento oportuno revelará “quem são as pessoas e autoridades que participaram [da decisão]. Vocês vão ter surpresa”, assegurou, olhando firme em direção ao 3º andar do Palácio Iguaçu.

De acordo com Francischini, [o massacre] foi uma posição de governo. “Não me foi dada a oportunidade de defesa”, reclamou.

Em 29 de abril, no Centro Cívico, durante manifestação contra o confisco da poupança previdenciária, a PM reprimiu violentamente professores e servidores. Resultaram 213 feridos do massacre, demissão de secretários de Estado, dentre os quais Francischini, e muita perseguição de educadores.

A entrevista completa de Francischini está aqui neste link (a partir de 1h e 17 minutos)

francischini_richa_hermes

Comentários encerrados.