Blog do Esmael

A política como ela é em tempo real.

Classificação das escolas no Enem 2014 revela descaso do governo Beto Richa com a educação do Paraná

enemO desempenho das escolas no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2014, divulgado esta semana pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), não trouxe grandes surpresas ao Paraná. Somente uma escola pública estadual figura entre as 100 melhores do país, o Colégio da Polícia Militar do Paraná, Cel. Felippe de Sousa Miranda, localizada em Curitiba.

O baixo desempenho das escolas estaduais no ranking pode ser explicado pelo descaso com que a área é tratada pelo governador Beto Richa (PSDB) e sua equipe. Semana passada, por exemplo, foram anunciados cortes de R$ 400 milhões no orçamento da educação para 2016.

O baixo investimento na área nos anos anteriores e os desvios de R$ 30 milhões apurados pela polícia, também engrossam o desmonte da escola pública paranaense.

O sucateamento da educação no Paraná já foi sentida na queda da nota do estado no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb), que despencou da primeira para a 11ª posição no ranking nacional em apenas cinco anos. Mas a “sabedoria” do governador Beto Richa atribuiu a queda da nota à APP-Sindicato e aos professores que, segundo o tucano, “ganham mais que prefeitos do interior”.

Deve ser por isso que Richa resolveu confiscar a aposentadoria dos professores e servidores do estado, e quando esses tentaram barrar o confisco, foram tratados à bala, bomba e cassetete no massacre do Centro Cívico em 29 de abril.

Por isso também o governador deve ter negado a reposição da inflação de 8,17% na data-base de maio, conforme manda a lei.

Porém, além dos professores e servidores, quem mais sofre com essa postura do governo são estudantes. Quem fica comprometido é o futuro do Paraná.

Quanto a Richa, ele é comprometido apenas com o pedágio e os financiadores de campanha. Os tarifaços nas contas de luz e água, reajuste no IPVA e no ICMS, são exemplos concretos de sua prioridade no governo.

Comentários desativados.