Por Esmael Morais

Assista ao vivo à sabatina de Janot na CCJ do Senado

Publicado em 26/08/2015

– Nego veementemente a chance de qualquer acordo para interferir nas investigações – afirmou.

O procurador afirmou também que esse tipo de prática seria impossível visto que todo o material obtido no processo investigatório não está sob sigilo e é de conhecimento público. Além disso, segundo ele, seria necessário antes “combinar com os russos”, já que participam do processo invstigatório dezenas de procuradores e delegados da Polícia Federal.

– Há 31 anos, optei pelo Ministério Público e, a essa altura, não deixaria os trilhos da atuação técnica do MP para me embrenhar num processo que eu não domino e não conheço que é o caminho da política – afirmou.

Ainda sobre a Petrobras, o procurador-geral disse que a estatal é alvo de “megaesquema de corrupção”, algo jamais visto por ele em 31 anos de Ministério Público.

rodrigo_janot