Por Esmael Morais

Alvaro Dias se une à oposição ao tucano Richa, o Rei do Pedágio

Publicado em 26/08/2015

Senador Alvaro Dias entrou em rota de colisão com o governador e correligionário Beto Richa ao afirmar ontem (25), em Brasília, que é contra a prorrogação dos contratos do ‘pedágio mais caro do mundo’ nas rodovias do Paraná; “Sou favorável a que o governo Federal volte a assumir a responsabilidade pelas rodovias, que são federais”, fulminou, fazendo linha com a oposição de Richa, o Rei do Pedágio, na Assembleia Legislativa.

Senador Alvaro Dias entrou em rota de colisão com o governador e correligionário Beto Richa ao afirmar ontem (25), em Brasília, que é contra a prorrogação dos contratos do ‘pedágio mais caro do mundo’ nas rodovias do Paraná; “Sou favorável a que o governo Federal volte a assumir a responsabilidade pelas rodovias, que são federais”, fulminou, fazendo linha com a oposição de Richa, o Rei do Pedágio, na Assembleia Legislativa.

O senador Alvaro Dias, definitivamente, voltou à colidir-se com o correligionário de ninho Beto Richa, governador do Paraná, ao unir-se tacitamente com a oposição contra a prorrogação dos atuais contratos do pedágio nos 1.871,80 km de rodovias federais que cortam o estado.

“Sou favorável a que o governo Federal volte a assumir a responsabilidade pelas rodovias, que são federais”, disse ontem (25) Alvaro Dias ao responsável pelas prorrogações no ministério dos Transportes, Luciano Castro.

Para o senador tucano, uma nova licitação para renovar as concessões das rodovias seria benéfica para o interesse público, haja vista que a revisão contratual beneficiaria os usuários neste novo cenário econômico. “Sobretudo com a redução de custo praticado [na tarifa]”.

No Paraná, o governador Beto Richa é conhecido como o “Rei do Pedágio” em virtude de seu secretariado estar voltado praticamente todo para prorrogar a existência do ‘mais caro pedágio do mundo’ nas estradas do estado.

A ideia do Palácio Iguaçu é prorrogar os contratos até o ano de 2.050. O objetivo do governo do estado, dentro do programa “Mais Pedágio”, é ampliar das atuais 27 para 62 praças de pedágio, incluindo novas nas regiões Sudoeste, Noroeste e Norte.

Na Assembleia Legislativa, a bancada de oposição ao governador tucano defende medida idêntica à posição de Alvaro. Os parlamentares, também contrários a perpetuação, querem submeter a prorrogação da concessão de serviços públicos delegados de infraestrutura, como o pedágio, à autorização prévia autorização da Casa. Ou seja, querem assegurar o amplo debate acerca do tema.