Veja essa: Concessionárias dizem que soja e milho subiram mais que pedágio no Paraná

tarifaA Associação Brasileira das Concessionarias de Rodovias (ABCR), em informe publicitário publicado nesta terça-feira (28), em veículos de imprensa do estado do Paraná, afirmou que o preço da soja e milho subiu mais que as tarifas do pedágio.

Trata-se de uma clara tentativa de convencer os paranaenses que o pedágio é um bom negócio. Mas só não dizem para quem.

Segundo a entidade representativa das pedageiras, antes do pedágio, o Estado vivia o caos logístico e que se as rodovias fossem deixadas sobre os cuidados do estado “não teriam alcançado o nível de qualidade que hoje representam”.

As concessionárias não querem de jeito nenhum “largar o osso” e utilizam todos os argumentos possíveis, como por exemplo, a evolução do preço da soja, milho e do pedágio, para tentar justificar a continuidade do “pedágio mais caro do mundo” nas terras das araucárias.

O fato é que existe forte articulação do governador Beto Richa (PSDB) e das pedageiras para renovar as concessões de pedágio por mais 25 anos no Paraná. Não é à toa que o tucano ficou conhecido no país inteiro como o “Rei do Pedágio”.

Mas não há argumentos capaz de convencer a população e os setores produtivos de que os lucros exorbitantes das concessionárias são justos e necessários.

Nem mesmo o fazendeiro e deputado federal Luciano Ducci (PSB), amigo do governador tucano, concorda com a renovação do pedágio.

Em artigo publicado hoje no Jornal Gazeta do Povo, Ducci pergunta: A quem interessa a prorrogação das concessões?

Ao povo do Paraná que não é!

Comentários encerrados.