Por Esmael Morais

Em crise, Beto Richa pode trocar esta semana o chefe da Casa Civil

Publicado em 12/07/2015

Deputado federal Valdir Rossoni deverá assumir a chefia da Casa Civil; palacianos relatam que o atual titular da pasta, Eduardo Sciarra, perdeu a iniciativa política depois do massacre dos professores; "Ele tem priorizado os negócios a articulação do governo", relata Garganta Profunda de Londrina, informante do Blog do Esmael no Palácio Iguaçu.

Deputado federal Valdir Rossoni deverá assumir a chefia da Casa Civil; palacianos relatam que o atual titular da pasta, Eduardo Sciarra, perdeu a iniciativa política depois do massacre dos professores; “Ele tem priorizado os negócios a articulação do governo”, relata Garganta Profunda de Londrina, informante do Blog do Esmael no Palácio Iguaçu.

Desgastado na opinião pública após os pacotes de maldades e o massacre no Centro Cívico, em abril, o governador Beto Richa (PSDB) planeja agora reconstruir sua imagem política a partir do “zero”. O primeiro passo, já decidido, será trocar o atual chefe da Casa Civil, Eduardo Sciarra (PSD), pelo deputado federal Valdir Rossoni (PSDB).

Rossoni será recebido nesta segunda-feira (13), entre 10h e 12h, pelo correligionário de ninho Beto Richa. O objetivo é discutir a transição na Casa Civil. A informação é de Garganta Profunda de Londrina, informante do Blog do Esmael no Palácio Iguaçu.

O governador quer voltar para o jogo político e “descobriu” que só conseguirá essa façanha se prestigiar o próprio partido, no caso o PSDB, preparando-o para as eleições de 2016.

Sciarra perdeu iniciativa e força política depois de flagrando, pelo deputado Tadeu Veneri (PT), ordenando “meter bomba” nos professores durante protesto contra o confisco da previdência, no dia 29 de abril.

No entanto, o chefe da Casa Civil não ficará na chuva. Ele deverá ser deslocado para a presidência da Copel ou Secretaria da Infraestrutura, considerada como “água de poço” pelo governo do estado.

Segundo Garganta Profunda de Londrina, ao renunciar a articulação política do governo, Sciarra é visto pelos palacianos como homem dos “negócios” devido seu empenho para prorrogar os contratos dos pedágios e privatizar parques.

“Beto Richa vai discutir com Rossoni a reconstituição política do PSDB, pois ele ainda sonha com o Senado em 2018”, relata o “Julian Assange das Araucárias” cujas informações são mais precisas que as do WikiLeaks.

Garganta Profunda de Londrina, o nosso Assange, conta ainda que Rossoni tem o veto expresso do deputado Nelson Justus (DEM), ex-presidente da Assembleia Legislativa, mas Richa estaria mais interessado em salvar a própria pele do que ouvir descontentamentos localizados.

Resumo da ópera: Richa vai trocar “mete bomba” pelo “biscatão” na Casa Civil.