13 de julho de 2015
por Esmael Morais
36 Comentários

Vazamento de depoimento de Youssef causa pânico no governo Beto Richa

beto_richa

O Palácio Iguaçu está em polvorosa e o Centro Cívico tremeu nesta segunda-feira (13) com o vazamento de depoimento do doleiro Alberto Youssef, delator da Operação Lava Jato.

O que era apenas uma hipótese na semana passada agora é concreto: o delator entregou meio Palácio Iguaçu e integrantes do 1º escalão à Procuradoria Geral da República, na última quinta-feira, dia 9 de julho. Leia mais

13 de julho de 2015
por Esmael Morais
6 Comentários

Deputado Professor Lemos vai “afrouxar a tanga” na disputa pela Prefeitura de Cascavel?

Professor_LemosA atenta blogueira Laís Laíny, parceira do Blog do Esmael na região Oeste, informa que o deputado estadual Professor Lemos, do PT, poderá declinar da disputa pela Prefeitura de Cascavel na eleição de 2016. Ela coletou os humores na frente política do município. Na corrida de 2012, o petista perdeu para o prefeito Edgar Bueno (PDT), que foi reeleito no segundo turno. Leia a seguir:

Frente política em dúvida sobre a candidatura de Professor Lemos

O maior líder do PT de Cascavel no momento, deputado estadual Professor Lemos, não têm aspirado confiança suficiente de que seu nome estará na disputa pela Prefeitura de Cascavel, ano que vem.

Embora já tenha demonstrado desejo de ser candidato, o posicionamento ainda não passa firmeza aos grupos políticos dispostos à uma aliança. Leia mais

13 de julho de 2015
por Esmael Morais
11 Comentários

Ricardo Gomyde é vice dos sonhos de todos, inclusive do bruxo Chik Jeitoso

O presidente estadual do PCdoB do Paraná, Ricardo Gomyde, é o nome mais cobiçado para a vice em 2016. Ele é desejado por todos os pré-candidatos à Prefeitura de Curitiba. O primeiro a insinuar-se pelo comunista foi Professor Picler, do PEN, e nesta segunda-feira (13) foi a vez do bruxo Chik Jeitoso enviar uma piscadela para “Lacoste”: ... 

Leia mais

13 de julho de 2015
por Esmael Morais
14 Comentários

Garganta Profunda de Londrina: ‘Sciarra deverá ocupar a Secretaria de Representação em Brasília’

rossoni_richa_roma_sciarraNem Copel nem Secretaria da Infraestrutura.

Garganta Profunda de Londrina relata que o destino do atual chefe da Casa Civil, Eduardo Sciarra (PSD), será o Escritório da Representação do Paraná em Brasília. Até o final deste mês, o quarto andar do Palácio Iguaçu terá como titular o “biscatão” deputado federal Valdir Rossoni (PSDB).

Garganta Profunda de Londrina conta com exclusividade aos leitores do Blog do Esmael detalhes do encontro ocorrido na manhã desta segunda-feira (13) entre o governador Beto Richa (PSDB) e Rossoni.

De acordo com o informante, Sciarra será “exilado” em Brasília com a tarefa de prorrogar o contrato do ‘pedágio mais caro do mundo’ haja vista a resistência de boa parte da bancada federal paranaense.

O líder do governo na Assembleia Legislativa, deputado Luiz Cláudio Romanelli (PMDB), ao Blog do Esmael, contestou as informações de Garganta Profunda. “Não existe esse movimento de troca na Casa Civil”, jurou. Leia mais

13 de julho de 2015
por Esmael Morais
7 Comentários

PR Pesquisas: 83% desaprovam Richa

murilo_dilma_richaO chão é o limite para o governador Beto Richa (PSDB), segundo levantamento da Paraná Pesquisas. Nada mais nada menos que 83% dos são-joseenses reprovam a administração do tucano, seguindo a tendência de rejeição no estado que atinge 85%... 

Leia mais

13 de julho de 2015
por Esmael Morais
21 Comentários

Governador Beto Richa pune mais uma vez os professores cancelando o PDE

  ... 

Leia mais

13 de julho de 2015
por Esmael Morais
2 Comentários

Rocha Loures lidera disputa pela Prefeitura de São José dos Pinhais

rochaLoures_SJPO empresário Rodrigo da Rocha Loures (PMDB), sócio da Nutrimental, está liderando a corrida pela Prefeitura de São José dos Pinhais, na região Metropolitana de Curitiba, com 36% das intenções de voto. O levantamento é da Paraná Pesquisas. ... 

Leia mais

13 de julho de 2015
por Esmael Morais
5 Comentários

Aliado de Richa, prefeito pede 100% de aumento para ‘ganhar (bem) mais que professor’ no Paraná

Prefeito Pedro Claro (DEM), de Santo Antônio da Platina, seguindo orientação do aliado Beto Richa (PSDB), planeja obter supersalário de R$ 22 mil; vice e vereadores também deverão ser beneficiados pela farra, que será votada hoje pela Câmara; no mês passado, governador tucano disse que professores ganham mais que prefeitos do interior do estado.

Prefeito Pedro Claro (DEM), de Santo Antônio da Platina, seguindo orientação do aliado Beto Richa (PSDB), planeja obter supersalário de R$ 22 mil; vice e vereadores também deverão ser beneficiados pela farra, que será votada hoje pela Câmara; no mês passado, governador tucano disse que professores ganham mais que prefeitos do interior do estado.

No mês passado, o governador Beto Richa disse que os professores ganhavam mais que prefeitos do interior do Paraná. A polêmica declaração foi desmentida pelos fatos e a Justiça obrigou o tucano corrigir o Portal Transparência, que falsificou os vencimentos dos educadores. ... 

Leia mais

13 de julho de 2015
por Esmael Morais
27 Comentários

Coluna da Gleisi Hoffmann: Beto Richa quer prorrogar o pedágio mais caro do Brasil; eu sou contra a continuidade

Gleisi Hoffmann*

Nos últimos dez dias, surgiu com força a história de prorrogar os contratos dos pedágios no Paraná. O governador Beto Richa já tinha pedido à presidenta Dilma, que disse não!

Agora, representantes de entidades empresariais, depois de combinar com o governador, foram ao ministro dos Transportes pedir novamente a prorrogação da delegação das rodovias federais para o Estado, possibilitando ao governador Beto Richa renegociar os contratos com as concessionárias.

Alegam que, com mais tempo de contrato daria para reduzir o preço dos pedágios e fazer os investimentos necessários. O problema é, em cima de quais bases contratuais irá se negociar? Na prática, as condições inicialmente pactuadas foram abandonadas, levando a grande desequilíbrio econômico-financeiro em prejuízo do usuário.

Em 2011, logo após minha eleição para o Senado, e considerando a polêmica sobre o tema, solicitei ao Tribunal de Contas da União uma auditoria no programa de concessões de rodovias no Estado do Paraná, posto que o TCU estava fazendo o mesmo para os contratos de concessão de rodovias administrados pela União.

Na tomada de contas TC014.205/2011-4, posiciona-se o TCU:

“Há indícios de que o fluxo de caixa alterou-se em prol das concessionárias mesmo levando-se em conta, na avaliação dos investimentos, o custo de oportunidade da época em que os contratos foram assinados”.

O Tribunal também decidiu, através do Acórdão 346/2012, dar um prazo de 360 dias, ao governo do Paraná, para “o restabelecimento do equilíbrio econômico-financeiro dos contratos, ajustando os investimentos, de acordo com as necessidades públicas e as taxas de rentabilidade praticadas, a percentuais compatíveis com o contexto econômico vigente e o custo de oportunidade atual do negócio…”. Ou, em outras palavras, baixar o lucro das concessionárias, porque é exorbitante.

Até agora o governo do Estado não apresentou o que o Tribunal pediu. Além disso, as empreiteiras entraram com recursos protelatórios e o Estado pediu mais prazo para fazer a revisão. Em 2014, pedi novamente que o TCU cobrasse o Estado sobre o reequilíbrio dos contratos. Novamente, o Estado falou que precisava de mais tempo para terminar as negociações.

Lá vamos para o quinto ano após o pedido que fiz e nenhum sinal de que o governador vai restabelecer a revisão para o bem do povo paranaense.

Estes contratos, como já falei, foram judicializados. E estão sendo vagarosamente revisados pelo governo do Estado.

Já se noticiou a existência de dezenas de aditivos contratuais “de gaveta”, firmados entre o governo do Paraná e as empresas concessionárias. É evidente que, para manterem esses acordos em segredo, boa coisa não há neles.

Dessa forma, depois de quase 18 anos de concessão, cobrando pedágios que são de longe os mais caros do Brasil, as empresas não fizeram parte dos investimentos inicialmente contratados e agora pretendem, com o beneplácito do governo estadual, uma prorrogação por mais 15 ou 20 anos, dando a entender que, assim, poderão finalmente fazer investimentos nas nossas rodovias.

Sem uma revisão profunda nestes contratos, sem a manifestação final do TCU sobre o lucro elevado dessas concessões e sem a realização das obras que foram pactuadas, não se tem como falar em renegociação, prorrogação desses contratos.

Acredito que a imensa maioria da nossa população aceita a ideia de pedágio, desde que os preços cobrados sejam razoáveis e as estradas sejam duplicadas ou, onde n Leia mais

13 de julho de 2015
por Esmael Morais
42 Comentários

Coluna do Luiz Claudio Romanelli: Ação e reação nas redes sociais; o caso do hospital para cães em Curitiba

“Minha salvação começa pela consciência de que nada sou e de que nada me é devido” ― Umberto Eco

Luiz Claudio Romanelli*

Já disse várias vezes neste espaço que vive-se hoje em tempos difíceis, não só no aspecto econômico que influi de forma direta na vida de cada um, mas principalmente no campo político em que as discussões costumam se aviltar e são marcadas não mais pela consecução ou êxito das propostas em debate, mas sobretudo, de como vão falar delas.

Uma boa ideia tirada do seu contexto, ganha as redes sociais e num rastilho de pólvora viraliza e compromete reputações. É o que acontece, guardadas as implicações mais comuns, com as declarações de agentes públicos, personalidades e de políticos detentores de mandatos. A vida pode ir do céu ao inferno num lapso e uma biografia bem construída pode ficar maculada por um bom tempo.

A mudança no mundo moderno no meio dessa profusão de parafernálias eletrônicas – redes sociais, aplicativos e um sem número de meios – mudou também o comportamento do mundo político. As ações são medidas através de pesquisas e, mormente, não são levadas à frente se contrariar os interesses de grupos com expressiva inserção no facebook, por exemplo. No outro extremo, elas são tomadas justamente para atender a este ou aquele grupo.

Vou usar alguns exemplos. Curitiba precisa de um hospital público para cães ou de um “centro de atendimento para animais em situação de risco” como pretende o prefeito Gustavo Fruet (PDT)? No facebook, a medida anunciada é saudada de forma positiva à efusão. Quem não gosta de um cão, gato ou de animal de estimação? Os bichinhos, em fotos, vídeos, desenhos e gravuras, tomam conta desta rede social.

O prefeito pode ter acertado em cheio ao anunciar R$ 1,4 milhão para construir essa unidade de saúde e agradado os ativistas dos direitos dos animais. Mas como fica as mães e crianças a espera de uma vaga para creche? E os moradores nas filas dos postos de saúde? Neste momento qual é a prioridade da saúde em Curitiba: cuidar dos animais ou da população? Uma ação não invalida a outra? É um bom debate.

Assista ao vídeo (Eduardo Dusek – Rock da Cachorra)

Agora, outra situação. O governo do Estado foi bombardeado duramente por setores da oposição ao ajustar no final do ano passado as alíquotas do ICMS e do IPVA. Nem preciso perguntar se há cidadão que aprove qualquer reajuste de imposto principalmente quando a qualidade do serviços em áreas como saúde, educação e segurança – as mais cobradas, ainda é um desafio a ser vencido.

No entanto, o alinhamento das tarifas de ICMS e do IPVA tem ajudado, em muito, as prefeituras a cumprir com essas demandas nos municípios justamente em tempos em que repasses do governo federal, através do FPM e outros recursos, foram reduzidos drasticamente.

Neste primeiro semestre de 2015, mesmo em meio a uma crise econômica, o Paraná já repassou R$ 4,2 bilhões – R$ 2,97 bilhões pelo ICMS e R$ 1,19 bilhão de IPVA – às prefeituras. No caso do ICMS, as transferências aumentaram 13,28% e, em relação ao IPVA, o salto foi de 48,5%, principalmente em função da readequação das alíquotas dos dois impostos, medida que integra o ajuste fiscal em andamento. O repasse dos recursos do ICMS é semanal e refere-se a 25% do que é arrecadado com o imposto. A transferência do IPVA é automática. Cada vez que um dono de automóvel efetua o pagamento, metade do valor vai direto para o município onde foi feito o emplacamento.

Só para contextualizar a queda do FPM está oscilando entre 13,8% e 45,5% neste semestre e o governo federal ainda não saldou completamente com R$ 1 bilhão em restos à pagar devidos para 394 municípios paranaenses. Os restos à pagar, deixados de 2014 para 2015 pela União, são recursos usados na construção de creches, postos de saúde e outras obras – a maioria parada – executadas em parcerias com as prefeituras. Sem falar nas dívidas que ainda não foram pagas pelo programa Minha Casa, Minha Vida e que afetam diretamente os municípios.

É comum no meio político a máxima que “governar é contrariar interesses” e nesses tempos, como já adiantei acima, pode-se afirmar que toda e qualquer ação, política ou não, contraria interesses. Basta prestar um pouco mais de atenção no cotidiano da vida, inevitavelmente, se tem interesses contrariados em menor ou maior escala.

O mestre Umberto Eco atenta, em recente entrevista, sobre o universo de opiniões rasas que tomam conta da internet. Eco é muito mais contundente – não o serei aqui – e diz que não se trata de uma ofensa quanto ao caráter das pessoas que opinam nas redes sociais, mas que é preciso filtrar, distinguir, analisar as informações postadas. Acredito, assim como Umberto Eco, que a crítica na internet exige um novo tipo de expertise, embora quem cruza as informações em livros, jornais, revistas, estudos e outras fontes tem a capacidade discernimento e um entendimento melhor das abordagens distintas da int Leia mais