Portal Transparência: Prefeito aliado de Beto Richa é “funcionário fantasma” do governo do Paraná

Compartilhe agora!

Segundo o vereador Gilson Feitosa, citando o Portal da Transparência, o prefeito de Pato Branco, Augustinho Zuchhi, é “funcionário fantasma” do aliado governo Beto Richa; ADAPAR, órgão onde Zuquinho está lotado, alega que houve “equívoco” no cadastramento do servidor; "Ora, por que só os amigos do governador Beto Richa são beneficiados até pelos equívocos?"; caso do prefeito fantasma é típico feitiço se virando contra o feiticeiro, pois, ao longo do mês, o governador utilizou o site oficial para disseminar a falsa informação de que os professores “ganham mais que prefeitos” no Paraná.
Segundo o vereador Gilson Feitosa, citando o Portal da Transparência, o prefeito de Pato Branco, Augustinho Zuchhi, é “funcionário fantasma” do aliado governo Beto Richa; ADAPAR, órgão onde Zuquinho está lotado, alega que houve “equívoco” no cadastramento do servidor; “Ora, por que só os amigos do governador Beto Richa são beneficiados até pelos equívocos?”; caso do prefeito fantasma é típico feitiço se virando contra o feiticeiro, pois, ao longo do mês, o governador utilizou o site oficial para disseminar a falsa informação de que os professores “ganham mais que prefeitos” no Paraná.
O feitiço virou contra o feiticeiro.

Ao longo do mês, o governador Beto Richa (PSDB) utilizou o Portal da Transparência para desmoralizar e combater professores e funcionários públicos. O tucano acusara os servidores de ganhar mais que prefeitos do interior, o que obviamente era uma falsidade solenemente desmentida pelo Blog do Esmael e pela APP-Sindicato. Para corroborar a tese mentirosa do tucano, ontem (25) o portal G1 (clique aqui) divulgou levantamento no qual o Paraná aparece entre os últimos estados no ranking do salário-base.

Dito isto, voltemos à bruxaria do Palácio Iguaçu.

A ONG “Vigilantes da Gestão” levou a cabo o ditado popular “quem com ferro fere com ferro será ferido”. Ou seja, usou o mesmo Portal da Transparência, outrora ferramenta de combate contra os educadores, para levantar a situação do prefeito de Pato Branco, Augustinho Zucchi (PDT), aliado de primeira hora do governador Beto Richa.

A ONG acusa o prefeito patobranquense de ser “funcionário fantasma” no governo do estado. Ex-deputado estadual, o engenheiro agrônomo Zucchi, o Zuquinho, conforme o Portal Transparência, está lotado na ADAPAR (Agencia de Defesa Agropecuária do Paraná) onde recebe mensalmente R$ 8.730,43, acumulando com os vencimentos de R$ 20.425,17 na Prefeitura do Município de Pato Branco.

Pela lei, o prefeito não poderia acumular os dois salários. Ele poderia optar apenas por um deles, geralmente, pelo de maior valor.

O vereador Gilson Feitosa (PT), ao Blog do Esmael, conta que procurou a direção da ADAPAR para tomar mais informações sobre a situação funcional do prefeito. O órgão alegou ter havido um “equívoco” no cadastramento do servidor Augustinho Zucchi. “Ora, por que só os amigos do governador Beto Richa são beneficiados até pelos equívocos?”, questiona o parlamentar em tom de ironia.

Feitosa adiantou que denunciará o “prefeito fantasma” ao Ministério Público. Além disso, repassou o caso para o deputado Professor Lemos (PT) que deverá solicitar, na semana que vem, a relação de todos os servidores e contracheques da ADAPAR retroativos a janeiro de 2013.

Essa história do “prefeito fantasma” se soma às outras de conhecimento de todos os paranaenses, como o da “sogra fantasma” e do “primo fantasma” – o indefectível Luiz Abi Antoun. Tudo gentes do governador Beto Richa. Que horror! Que feio!

Abaixo, veja os documentos sobre a situação funcional do prefeito Augustinho Zucchi:

Folha de pagamento da ADAPAR maio/2015:

http://www.esmaelmorais.com.br/wp-content/uploads/2015/06/situacao_funcional_zucchi.pdf

Declaração da ADAPAR:

http://www.esmaelmorais.com.br/wp-content/uploads/2015/06/declaracao_adapar.pdf

Compartilhe agora!

Comments are closed.