Por 27 votos contra 20, Assembleia se curva a Richa e nega reajuste de 8,17% a professores e servidores do PR

protestoAlepDepois de quase seis horas de muito bate-boca, a bancada governista da Assembleia Legislativa rejeitou recomposição salarial de 8,17% aos professores e servidores públicos do Paraná.

De acordo com o painel eletrônico, 27 deputados votaram contra os servidores e 20 votaram pela correção na data-base prevista na lei. A votação diz respeito à emenda da oposição ao projeto do governador Beto Richa (PSDB).

Em breve, o Blog do Esmael vai disponibiliza a relação com o voto de cada parlamentar.

O quiproquó teve início por volta das 13h30, na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), quando o deputado Fernando Scanvaca (PDT) argumentou que até o jornal Gazeta do Povo era contra o reajuste ao funcionalismo.

No plenário, houve mais confusão antes da votação. Primeiro quando o deputado Gilson Ribeiro (PSB) pediu que fosse retirada uma bandeira do movimento gay hasteada no mastro da Assembleia. Na sequência, o presidente da Assembleia, Ademar Traiano, mandou a professora Loren Zanetti “calar a boca”.

Foi a terceira vez que o tucano arruma para a cabeça com a mesma professora. A primeira ocorreu quando ele distribuiu uma foto à imprensa na qual ela tomava cafezinho em seu gabinete; a segunda, durante um protesto “solitário” nas galerias da Casa que terminou na polícia.

A proposta aprovada hoje consiste em 3,45% para pagamento no mês de outubro, referentes à reposição da inflação entre maio e dezembro de 2014. A recomposição salarial de 2015 será efetuada em janeiro de 2016, segundo a proposta do governador Beto Richa.

Comentários encerrados.