Na véspera da assembleia, APP-Sindicato pede reabertura de negociações com governo Beto Richa

Direção da APP-Sindicato está espremida entre a cruz e a espada, que busca reabrir negociação com o Palácio Iguaçu; de um lado a intransigência do governo Beto Richa, que se nega pagar a data-base de 8,17% ainda este ano; de outro, setores radicalizados na base dos educadores que querem a continuidade da greve; incerteza marcará assembleia geral da categoria, nesta terça-feira (9), com transmissão ao vivo pelo Blog do Esmael, a partir das 9 horas, em parceria com a TV 15.
Direção da APP-Sindicato está espremida entre a cruz e a espada, que busca reabrir negociação com o Palácio Iguaçu; de um lado a intransigência do governo Beto Richa, que se nega pagar a data-base de 8,17% ainda este ano; de outro, setores radicalizados na base dos educadores que querem a continuidade da greve; incerteza marcará assembleia geral da categoria, nesta terça-feira (9), com transmissão ao vivo pelo Blog do Esmael, a partir das 9 horas, em parceria com a TV 15.
O clima continua muito tenso na véspera da assembleia geral que poderá ou não pôr fim à greve dos educadores. Nem governo nem APP-Sindicato arriscam um resultado, mas há uma leve vantagem pela continuidade do movimento paredista que hoje completou 44 dias.

Diante da incerteza da assembleia que deverá reunir 15 mil professores e funcionários de escolas no estádio Durival de Britto, na Vila Capanema, em Curitiba, a APP-Sindicato mandou interlocutores avisar ao governo Beto Richa (PSDB) que pretende reabrir as negociações.

Por sua vez, o Palácio Iguaçu respondeu de forma ríspida à consulta informal da APP: “Não tem a menor condição de reabrir negociação; se eles [educadores] não tiverem juízo, a situação vai piorar muito; vão ficar sem salário”, ameaçou o governo.

Vários núcleos regionais da entidade representativa dos educadores não aceitam o parcelamento da data-base a perder de vista. Eles querem receber 8,17% de reposição salarial ainda este ano. O governo propõe 3,45% em outubro e o saldo em janeiro de 2016.

Para o leitor ter uma ideia de como será emocionante a assembleia do magistério, amanhã cedo, enquete do Blog do Esmael encerrada nesta segunda-feira (8) aponta que 64% dos 5,9 mil votantes únicos são favoráveis à continuidade da greve ante 36% contrários (clique aqui).

Na base da APP há setores mais radicalizados, que não aceitam a “rendição” ao governo Beto Richa. A derrota de uma proposta da direção, se encaminhar pelo encerramento da greve, compromete a hegemonia do grupo que comanda a entidade.

Enfim, cada voto dos educadores será disputado até o último momento na assembleia de amanhã. O Blog do Esmael, em parceria com a TV 15, vai transmitir o evento ao vivo para o Brasil e o mundo a partir das 9 horas.

Comments are closed.