Por Esmael Morais

Governo tem caixa para pagar 8,17% de reajuste, mas Richa diz “NÃO” a professores e servidores

Publicado em 17/06/2015

mauro_ricardo_alepO interventor do PSDB nacional nas finanças do Paraná, Mauro Ricardo Costa, secretário da Fazenda, nesta quarta-feira (17), não desmentiu na audiência pública na Assembleia Legislativa que pretende “transferir ativos” (privatizar, em tucanês) da Companhia Paranaense de Energia (Copel) e da Sanepar (Companhia de Saneamento do Paraná).

Mais liso que vaselina, Mauro Ricardo saiu pela tangente ao responder questionamentos do deputado Tadeu Veneri (PT), líder da oposição.

O interventor nas finanças paranaenses se disse “tarefeiro” do governador Beto Richa (PSDB), que teria emitido opinião diferente a dele em relação às privatizações das estatais.

O secretário importado confirmou ao petista a informação de que o governo do estado não tem recolhido a contrapartida da contribuição previdenciária dos servidores inativos, que desde abril deste ano estão descontando 11% dos salários para o Paranaprevidência sobre o valor que ultrapassa o atual teto pago pela Previdência Social de R$ 4.663,75.

Segundo Veneri, ao deixar de recolher R$ 220 milhões anuais para o Paranaprevidência, o estado está novamente criando um desequilíbrio financeiro e atuarial para o fundo de pensão e aposentadoria dos servidores públicos.

Já o deputado Requião Filho (PMDB) protestou pelo engessamento da sabatina com o secretário da Fazenda. “A gente perguntou a ele, que fingiu responder e a Casa não ficou satisfeita”. O peemedebista reclamou ainda que o convidado se limitou a ler slides, com números que não condizem com o que foi publicado pelo Portal da Transparência.

Ao analisar os números apresentados hoje pelo secretário Mauro Ricardo, a oposição constatou o que já apontara no final do mês passado: houve crescimento de 12,22% na receita corrente entre os meses de janeiro e maio de 2015, em relação ao mesmo período do ano passado.

Traduzindo o economês: tem dinheiro em caixa para pagar o reajuste de 8,17% para os professores e servidores públicos do estado ainda este ano.