Por Esmael Morais

Garganta Profunda de Londrina: ‘Dor de barriga no Palácio Iguaçu’

Publicado em 29/06/2015

Garganta Profunda de Londrina, informante do Blog do Esmael no 3º andar do Palácio Iguaçu, na antessala de Beto Richa (PSDB), relata a paúra dos palacianos com a revelação, pelo jornal Gazeta do Povo, de que diárias de hospedagem do secretário da Fazenda, Mauro Ricardo Costa, eram pagas pelo primo do governador, o lobista Luiz Abi Antoun, que recentemente esteve preso por comandar uma quadrilha na Receita Estadual; leia os informes e compartilhe.

Garganta Profunda de Londrina, informante do Blog do Esmael no 3º andar do Palácio Iguaçu, na antessala de Beto Richa (PSDB), relata a paúra dos palacianos com a revelação, pelo jornal Gazeta do Povo, de que diárias de hospedagem do secretário da Fazenda, Mauro Ricardo Costa, eram pagas pelo primo do governador, o lobista Luiz Abi Antoun, que recentemente esteve preso por comandar uma quadrilha na Receita Estadual; leia os informes e compartilhe.

O Palácio Iguaçu voltou a entrar em polvorosa, hoje cedo.

A avaliação geral é que o “Bourbongate” veio na hora errada, quando tudo parecia se acalmar e que Beto Richa tem muito mais a perder que Mauro Ricardo nessa história, botando gasolina na criação da CPI da Receita na Assembleia.

Na sede da Receita Estadual ouviram-se gritos e risadas de euforia.

É que o Secretário da Fazenda que antes tinha apontado o dedo para os fiscais que estão sob investigação e feito um discurso de combate à corrupção, agora, tá tendo de se explicar, pelas mesmas razões: a descoberta de relação umbilical com Luis Abi.

A paúra no Palácio é que apareça algum fiscal ressentido contando ao GAECO que Luis Abi tenha se exibido em conversas na Receita, dizendo que já estava com o novo Secretário da Fazenda no bolso.

O Palácio também teme que surjam novas histórias envolvendo Luis Abi, seu fiel escudeiro Pablo, Paulo Midauer e o Hotel Bourbon, em Curitiba.

Não é de se duvidar que tenha entrado no radar do GAECO o pagamento de contas de hotéis em Curitiba, Foz do Iguaçu, São Paulo e Rio de Janeiro.

Mas, o pior mesmo, que mais irritou o Palácio e o Governador, foi o comentário postado pela esposa de Mauro Ricardo Costa, na matéria sobre o “Bourbongate” no site da Gazeta do Povo.

Até então desconhecida, Márcia de Fátima Bastos Brandão Costa disse com todas as letras que as diárias foram “pagas diretamente para o hotel”.

Já o maridão disse que “as despesas foram bancadas por um terceiro” e que ele fez o ressarcimento, posteriormente.

A pergunta que ecoa nos gabinetes do Palácio, entre um e outro cafezinho servido pelo Carlão, é se cabe acareação entre o casal.