Francischini Kid quer Nicolás Maduro ‘persona non grata’ no Paraná

Tal pai, tal filho: Francischini Kid segue as pegadas conservadoras do pai Fernando Francischini, o polêmico Batman.

Tal pai, tal filho: Francischini Kid segue as pegadas conservadoras do pai Fernando Francischini, o polêmico Batman.

O deputado estadual Felipe Francischini (SD) apresentou requerimento nesta terça-feira (23) considerando o presidente da República Bolivariana da Venezuela, Nicolás Madura, ‘persona non grata’ no Paraná.

O parlamentar é filho do polêmico deputado federal e ex-secretário da Segurança Pública do Paraná, Fernando Francischini, que comandou a operação militar contra os professores e servidores públicos, no dia 29 de abril, que resultou em 213 feridos durante votação do confisco da poupança previdenciária.

Na justificativa de Francischini Kid, Venezuela é um país “ditatorial” e “corrupto”.

Em 2007, a Assembleia Legislativa declarou o então presidente venezuelano Hugo Chávez em ‘persona non grata’ no estado. O governador na época era Roberto Requião (PMDB), que, por coincidência, embarcará nesta quarta-feira (24) para o país caribenho em missão oficial pelo Senado.

A mágoa de tucanos e assemelhados da ala conservadora é porque Aécio Neves (PSDB-MG) teve viagem frustrada para “salvar” o país de Nicolás Maduro. O ex-presidenciável sequer conseguiu sair do perímetro do aeroporto de Caracas, a capital da Venezuela.

Comentários encerrados.