Financiador do “Fora Dilma” aplaude corrupção no governo Beto Richa

Empresário Percy Russ Tiemann, que liderou movimento pelo "Fora Dilma" no Paraná, mostrou moralismo seletivo hoje durante convenção estadual do PSDB; dono de empreendimentos caríssimos, como o edifício Tiemann Headquarter, onde a unidade custa R$ 4 milhões, ele aplaudiu entusiasmadamente a corrupção no governo Beto Richa; ironicamente, parte da coordenação do movimento pelo impeachment da presidenta da República já está presa por corrupção na Receita Estadual.

Empresário Percy Russ Tiemann, que liderou movimento pelo “Fora Dilma” no Paraná, mostrou moralismo seletivo hoje durante convenção estadual do PSDB; dono de empreendimentos caríssimos, como o edifício Tiemann Headquarter, onde a unidade custa R$ 4 milhões, ele aplaudiu entusiasmadamente a corrupção no governo Beto Richa; ironicamente, parte da coordenação do movimento pelo impeachment da presidenta da República já está presa por corrupção na Receita Estadual.

O líder das manifestações contra o PT e financiador do “Fora Dilma”, o empresário Percy Tiemann, foi flagrado esta manhã de domingo (14) aplaudindo a corrupção no governo de Beto Richa durante convenção estadual do PSDB do Paraná.

O moralismo seletivo do antipetista foi notado por vários leitores do Blog do Esmael.

Tiemann é militante histórico do PSDB e tem no currículo doações às campanhas de Richa, além de participação na campanha de Geraldo Alckmin à presidência da República.

O empresário dono de uma série de empreendimentos nas regiões mais valorizadas de Curitiba, entre eles o Tiemann Headquarter. O prédio comercial na Alameda Dr. Carlos de Carvalho terá 25 andares e o pé-direito mais alto do país. Cada unidade, com 700 metros quadrados, custará mais de R$ 4 milhões.

O diabo é que os companheiros de Tiemann na coordenação do movimento “Fora Dilma”, no Paraná, estão praticamente todos preso. Ironicamente, eles estão vendo o sol nascer quadrado justamente por praticar corrupção no governo do estado — motivos que os levavam a apontar o dedo para o PT.

O lobista Luiz Abi Antoun, primo do governador, por exemplo, participou de uma manifestação pelo impeachment de Dilma e no dia seguinte foi preso pelo Gaeco.

Comentários encerrados.