“Está difícil o fim da greve”

Publicado em 2 junho, 2015
Compartilhe agora!

Governador Beto Richa fez festa hoje (2) pela manhã, no Palácio Iguaçu, onde reuniu centenas de ocupantes de cargos comissionados; enquanto isso, deputados Romanelli e Professor Lemos apontavam dificuldades para pôr fim à greve de educadores e servidores públicos.
Governador Beto Richa fez festa hoje (2) pela manhã, no Palácio Iguaçu, onde reuniu centenas de ocupantes de cargos comissionados; enquanto isso, deputados Romanelli e Professor Lemos apontavam dificuldades para pôr fim à greve de educadores e servidores públicos.
Fervilha os bastidores políticos no Centro Cívico. Desde a manhã desta terça-feira (2), são intensas as negociações que “podem” pôr fim à greve de professores e servidores públicos.

Os grevistas reivindicam reposição inflacionária de 8,17%, mas o secretário da Fazenda, Mauro Ricardo Costa, interventor nacional do PSDB nas finanças do Paraná, como governador de facto, joga duro.

“Está difícil o fim da greve”, reconheceu o deputado Professor Lemos (PT) ao ser questionado esta manhã pelo Blog do Esmael sobre as negociações da data-base com o Palácio Iguaçu.

O líder do governo na Assembleia, deputado Luiz Cláudio Romanelli (PMDB), às 11h45, afirmou que tinha acabado de sair de uma reunião com o governador Beto Richa (PSDB). No entanto, o peemedebista não quis antecipar o resultado da conversa.

Há ceticismo entre os educadores em greve há 36 dias, que anseiam voltar às salas de aula. Eles rejeitam o retorno à escola humilhados, desconfiam de calote no parcelamento da reposição e da intransigência do tucano que estaria fazendo “cortina de fumaça” sobre os escândalos de corrupção envolvendo o governo Beto Richa.

Romanelli levou ao Palácio Iguaçu a seguinte proposta: o salário dos servidores teria um reajuste de 3,45% em outubro e outro de 4,56% em dezembro, sem alterações na data base de 2016. Isto traria um impacto adicional ao orçamento de 2015 da ordem de quase R$ 1 bilhão.

Compartilhe agora!

Comments are closed.