Assista: “Cala a boca já morreu, quem manda na minha boca sou eu”

Compartilhe agora!

Professora Loren Reck Zanetti, do SAFEL, em Curitiba, conseguiu ontem fazer o presidente da Assembleia, Ademar Traiano, "descer do tamanco" pela terceira vez: "Cala a boca, menina!"; recomendou o tucano, que, nos últimos dias, se envolveu em pelo menos quatro entreveros com profissionais do magistério; abaixo, assista ao vídeo.
Professora Loren Reck Zanetti, do SAFEL, em Curitiba, conseguiu ontem fazer o presidente da Assembleia, Ademar Traiano, “descer do tamanco” pela terceira vez: “Cala a boca, menina!”; recomendou o tucano, que, nos últimos dias, se envolveu em pelo menos quatro entreveros com profissionais do magistério; abaixo, assista ao vídeo.
O presidente da Assembleia Legislativa e do PSDB do Paraná, deputado Ademar Traiano, voltou bater boca ontem (22) com as galerias durante discussão da “ideologia de gênero”, que era prevista no Plano Estadual de Educação (PEE), e votação do reajuste de 8,17% aos professores e servidores públicos do estado.

Pois bem, o tucano mandou a professora Loren Reck Zanetti “calar a boca”. Ela é do Colégio Estadual Santa Felicidade (SAFEL), em Curitiba.

“Cala boca, menina!”, disse Traiano, que recebeu de imediato protesto das galerias: “Machista, machista, machista!”. Ato contínuo, o parlamentar do PSDB disse que “retirava” a expressão “cala a boca”.

Assista ao vídeo

Lembrando-se do tempo em que era aluna no Colégio Cristóvão Colombo, em Jardim Alegre, Norte do Paraná, a hoje professora Loren deve ter recordado: “Cala a boca já morreu, quem manda na minha boca sou eu”.

Curioso é que Ademar Traiano tem se enrolado bastante com a turma do magistério. Contrariando a teoria de que ‘um raio não cai no mesmo lugar’, ontem ele teve o terceiro entrevero com a mesma professora.

A primeira ocorreu quando ele distribuiu uma foto à imprensa na qual ela tomava cafezinho em seu gabinete; a segunda, durante um protesto “solitário” contra o confisco da poupança previdenciária, nas galerias da Casa, que terminou na polícia.

Na semana passada, o deputado Traiano também se envolveu em uma quarta confusão com professoras. Ele bateu a “charrete” de 700 paus em frente ao Colégio Lysímaco Ferreira da Costa, no bairro Água Verde, em Curitiba, quando “sondava” reposição de aulas num sábado à tarde. O Blog do Esmael divulgou o vídeo com o incidente.

No mês passado, o deputado federal Valdir Rossoni, de quem Traiano herdou as presidências da Assembleia e do PSDB, havia xingado uma professora de “biscate”. Deu o que falar nas redes sociais e no Congresso Nacional.

Mas, pelo jeito, além dos dois cargos, Traiano herdou a “finesse” do antecessor Rossoni.

Quanto ao Plano Estadual de Educação, o texto recebeu 66 emendas e ainda carece de revisão. Em relação ao reajuste de 8,17%, a Assembleia se curvou ao governador Beto Richa (PSDB) ao negar a reposição salarial para os professores e servidores públicos (veja aqui como votou cada deputado).

Compartilhe agora!

Comments are closed.