Após 2 meses, greve nas universidades estaduais vai chegando ao fim

uesApós quase sessenta dias de greve, os professores e servidores das universidades estaduais do Paraná devem voltar ao trabalho nos próximos dias, mesmo sem ter a maioria de suas reivindicações atendidas.

Hoje pela manhã, os professores da Universidade Estadual de Londrina (UEL) decidiram pela suspensão da paralisação. Agora à tarde, os servidores da UEL se reúnem e devem optar pela mesma decisão.

Os professores das Universidades de Maringá (UEM) do Centro-Oeste (Unicentro) e do Oeste (Unioeste) marcaram suas assembleias para esta quarta-feira (24). Na Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG) é o comando de greve que se reúne hoje e também deve tirar algum indicativo que aponte os rumos do movimento.

O fato é que o governador Beto Richa (PSDB) fez valer sua maioria na Assembleia Legislativa e aprovou o confisco da previdência dos servidores e um reajuste mínimo, bem abaixo da inflação, burlando a lei da data-base.

Como consolo, os professores e servidores das universidades garantiram os repasses para manter as instituições minimamente funcionando e contribuíram para o desgaste político do governador que caiu vertiginosamente nos índices de popularidade, alcançando grande rejeição.

Comentários encerrados.