Além dos professores, como fica a greve do funcionalismo estadual?

categoriasOs educadores da rede pública estadual de ensino se reúnem em assembleia geral, nesta terça (9), para decidirem se encerram ou não a sua greve que já dura mais de quarenta dias. Por ser a maior categoria do funcionalismo estadual, é a greve que mais chama a atenção.

Mas, mesmo que professores decidam voltar ao trabalho, o que ainda é muito incerto, há diversas categorias de trabalhadores que podem prosseguir com suas greves, mantendo a pressão sobre o governador Beto Richa (PSDB) e seus aliados.

As universidades estaduais estão todas paradas, com os calendários acadêmicos suspensos, e se depender dos professores da Universidade Estadual de Londrina a greve continua até que o governo conceda os 8,17%, ou, pelo menos, se digne a negociar respeitosamente com os grevistas.

Os professores das universidades estaduais de Maringá (UEM), Ponta Grossa (UEPG), do Centro-Oeste do Paraná (Unicentro), do Oeste (Unioeste) e a Estadual do Paraná (Unespar) farão assembleias amanhã, mas a tendência assinalada pelas direções dos sindicatos é majoritária pela continuidade da greve. Além dessas, há as assembleias de servidores técnicos e administrativos que acontecem a partir de hoje.

Os servidores da Agricultura e Maio Ambiente, representados pelo Sindiseab, estão realizando assembleias por área durante o dia de hoje (8) para decidir pela continuidade da greve. Não há uma tendência consolidada, e a continuidade do movimento será decidida voto a voto.

Os servidores da Saúde representados pelo Sindsaúde também se reunirão nesta terça-feira pela manhã em Curitiba para decidir se continuam ou não em greve. Eles iniciaram a paralisação no dia 29 de maio, e, segundo a direção, a adesão vem crescendo principalmente após a “proposta” apresentada pelo governo.

São categorias importantes cujas greves podem causar problemas sérios para o governo, como o cancelamento de vestibulares, interrupção no atendimento de hospitais estaduais, problemas para a agricultura, abastecimento, meio-ambiente, enfim. Boa parte do que sobra da administração estadual apesar da incompetência do atual governo.

É claro que a decisão da assembleia da APP-Sindicato terá influência sobre as demais categorias, mas a pressão dos servidores sobre o governador e sua turma certamente não vai acabar nesta terça-feira.

16 Comentários

Os comentários não representam a opinião do Blog do Esmael; a responsabilidade é do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

  1. TODOS APOIAM, E VÃO MANTER A GREVE.
    DATA BASE, É LEI PARA SE CUMPRIDA.

    AGORA O QUE ACONTECEU COM A PARANÁ PREVIDÊNCIA, ALGUÉM VAI TER QUE RESPONDER.

  2. Esta proposta é INDECENTE e NADA CONFIÁVEL!!!!
    NÃO podemos aceitá-la!!!!
    Concordo com a professora que disse que se tiver que voltar, voltará se sentindo humilhada!… É isso que também sinto!… Certamente é isso que este DESgoverno quer que sintamos: humilhação, derrota, enfraquecimento, resignação… NÃO PODEMOS ADMITIR ISSSO!!!!
    A GREVE NÃO PODE PARAR!!!!
    NÃO, AGORA!!!!!
    Temerosa pelo resultado da Assembleia, mas com muita esperança e desejo de que o pessoal não se intimide ou enfraqueça a luta!!…

  3. Diante da vergonha a que Beto Hitler lançou os servidores (massacre), concordo com os termos do Altair, em comentário a esta matéria. Ele cita Alexandre “O Grande “, Leônidas e seus 300 Guerreiros…
    ” Melhor morrer de pé do que viver de joelhos “

  4. Os sindicatos das universidades públicas estaduais sinalizaram para a continuidade da greve:
    “NOTA DO COMANDO DE GREVE DOS PROFESSORES DAS UNIVERSIDADES
    1. A proposta de reposição salarial apresentada pelo governo estadual é insuficiente e temerosa. O governo parcela o índice de 8,17% para os anos de 2015 e 2016, provocando perdas ainda maiores nos salários dos servidores. Além disso, nada é pago agora. Tudo é prometido para os anos seguintes, até 2017. Não esquecemos que este é o mesmo governo que se comprometeu a não sacar o dinheiro de nosso Fundo Previdenciário. Beto Richa já sacou R$ 478 milhões da Paraná Previdência. Prometeu pagar os 8,17% na data base, em maio de 2015, e agora diz que vai pagar ao longo de dois anos. Portanto, o comando estadual rejeita a proposta do governo e reafirma o direito legal de receber a reposição do índice 8,17% retroativamente a maio de 2015.
    2. O governo Beto Richa desconhece, desde o início desta greve, a reivindicação de 8,17% a partir de maio de 2015. Nunca se propôs a discutir este reajuste. Os sindicatos de docentes do ANDES-SN pautaram reiteradamente este ponto, expressando decisão de suas assembleias. Recolocamos este ponto em todas as reuniões que participamos. Insistimos com as demais entidades dos servidores, inclusive a APP, que todos os sindicatos deviam ser ouvidos. Esta é a condição democrática mais fundamental para a construção coletiva da greve e das ações de mobilização. Se o movimento for democrático e forte não há razão para discutir propostas rebaixadas. Infelizmente, esta não foi a posição de todas as entidades sindicais, e este fato tem fragilizado a greve dos servidores.
    3. A solução que tem sido defendida pelos sindicatos de docentes do ANDES-SN é a elaboração de um Projeto Substitutivo na ALEP, que estabeleça o pagamento de 8,17% retroativos a maio deste ano. Nossos estudos indicam que o governo conta com recursos financeiros para quitar esta dívida. A receita dos três principais impostos aumentados pelo governo em 2014 (ICMS, FPE, IPVA) apresentou crescimento de 12,09% no 1o quadrimestre de 2015. Nos 3 quadrimestres finais este índice tenderá a subir para 14%, gerando, com folga, os R$ 1,082 bilhão equivalentes a 8,17%. Portanto, a decisão de o governo não pagar 8,17% é política, ressentida e, talvez, sequer pretenda pagar as parcelas previstas a partir de outubro de 2015.
    4. Convocamos os docentes da UEM, UEPG, Unicentro, Unioeste e Unespar para as assembleias na terça-feira (09/06) com objetivo de discutir os rumos do movimento.
    Curitiba, 7 de junho de 2015.
    SESDUEM SINDUEPG ADUNICENTRO ADUNIOESTE SINDUNESPAR “

  5. Se assembleia de amanhã votar para acabar a greve, eu volto,mas volto com uma sensação de derrota, e não queria isso, não queria para os meus alunos uma professora se sentindo derrotada, palhaça,desmotivada.

  6. Quem foi que disse que recuar não é ser derrotado?
    Se vc recua cede o terreno conquistado…
    Os idiotas que dizem isso nada conhecem de história…
    Ex: Alexandre “O Grande “, Leônidas e seus 300 Guerreiros…
    ” Melhor morrer de pé do que viver de joelhos “.

  7. Quem foi que disse que recuar não é ser derrotado?
    Se vc recua cede o terreno conquistado…
    Os idiotas que dizem isso nada conhecem de história…
    Ex: Alexandre “O Grande “, Leônidas e seu 300 Guerreiros…
    ” Melhor morrer de pé do que viver de joelhos “.

  8. O que vocês acharam do noticiário da RPC TVParaná de hoje? Só teatrinho!…Tem a mulher do tempo com os filminhos, tem os desaparecidos, agora começou bater na semana dos namorados, etc… etc. Vamos ver até onde vai. Falam de tudo… menos isso!

  9. entendo que pode pesar o lado sentimental envolvendo os alunos mas recuar agora no calor da batalha é uma covardia sem tamanho .o governo se recusou a negociar desrespeitando o servidor.tudo que temos é uma proposta elaborada de qualquer jeito feita com papel de embrulhar pão por deputados da base do governo, ai manda o sindicato segurar tira uma foto e posta que a greve acabou e os 8,17 serão pagos e o movimento aceita de forma pacifica. Eh, ôô, vida de gado
    Povo marcado e,
    Povo feliz
    Eh, ôô, vida de gado
    Povo marcado e,
    Povo feliz

  10. Ouvi que sindicatos já estão se manifestando com ofícios para associações comerciais e industriais contando quanto deixará de ser gasto por professores em cada cidade se o governador não pagar os salários. Tem prefeitos de oposição dizendo que garantem água e alimento da merenda escolar para professores por trinta dias. O MST também venderá alimentos com prazo esticadíssimo para professores que precisarem.

  11. QUEM VOLTAR SÓ PODE SER PARENTE DO BETO..OU DA FAMÍLIA!!!!
    NRE FRANCISCO BELTRÃO,LARANJEIRAS…ETC….SE ENTREGARAM AOS “PARAGUAIOS”….SÓ PODE…TROCARAM 6 POR 1/2 DÚZIA…

  12. Pobre Estado como chegaste nesta situação. E o pacotaço está servindo pra quê? A usurpação da previdência?
    É o choque de INDIGESTÃO!!!

  13. Interrompi uma partidinha aqui no Graciosa Country Club para responder a estes pobres que insistem em fazer greve: NÃO ADIANTA! TÁ TUDO DOMINADO!
    Podem fazer o barulho que quiserem…
    O estado é nosso, meu, do Abi e do Beto!
    Enquanto eu tiver as empreiteiras na mão, o Abi os empresários de Londrina e região e o Beto comandando nossa tchurma, estamos com a vida ganha!
    Não adianta fazer greve, espernear, bater o pezinho!!!
    É tudo nosso!

  14. Não esqueçamos que todos os Funcionários Públicos do Paraná estão sendo prejudicados com esta tramóia de Data Base! Portanto vale a pena estudar este assunto!

  15. And the Oscar goes to ?
    R: BR, cupinchas e simpatizantes. “Obra-prima”, dia 29, votações na casa da mãe joana, discursos, estratagemas, bastidores, ano letivo comprometido, quebradeira na educação prioridade absoluta da sua INDIGESTÃO, haja GELMAX para tanta coisa ruim. E “o melhor está por vir” SOCORRO é caso de calamidade pública.