A greve continua nas universidades estaduais do Paraná

Publicado em 10 junho, 2015
Compartilhe agora!

unesOs professores e servidores das universidades estaduais continuam mobilizados para mudar a proposta governamental de reajuste da data-base. As assembleias da categoria realizadas nos últimos indicam a manutenção da greve, pelo menos até a semana que vem. Os dirigentes sindicais estão em Curitiba visitando os deputados, tentando emplacar um substitutivo que atenda ao índice de 8,17% já, retroativo a maio.

A professora da UEM, Marta Bellini, dirigente do Sesduem, seção do Andes, que é o sindicato nacional dos docentes do ensino superior, revelou ao Blog do Esmael que os professores universitários ficaram muito decepcionados com a decisão da assembleia da APP de suspender a greve, e se sentem isolados, mas não vão desistir da sua luta por um reajuste digno na data-base.

Ela afirmou inclusive que os professores universitários não puderam participar das negociações, foram simplesmente excluídos da mesa com o líder do governo na assembleia, deputado Cláudio Romanelli (PMDB); e que o secretário de Ciência e Tecnologia, João Carlos Gomes, também não negocia nada, mas ameaça os professores com punições, ignorando que as universidades têm autonomia.

São cerca de 85 mil estudantes de graduação em 37 campi, que correm o risco de perder o ano letivo. Os calendários acadêmicos estão suspensos e os vestibulares de inverno já foram cancelados. Os vestibulares de verão de 2016 ainda não têm data e também correm risco de não acontecerem.

A greve nas estaduais impacta na economia de vários municípios, pois a educação é importante vetor de geração de lucros, conforme artigo publicado da doutora Mirian Schneider, professora da Unioeste/Toledo publicado pelo Blog do Esmael em março deste ano.

Com a suspensão da greve dos professores da rede pública estadual de ensino e dos demais servidores, restam somente as universidades paradas na luta pela data-base de 8,17%.

Com a palavra, os deputados estaduais que selaram um “pacto de sangue” com o Palácio Iguaçu.

Compartilhe agora!

Comments are closed.