Por Esmael Morais

Richa “escolhe” Francischini para ficar no governo; comandante da PM pede demissão

Publicado em 07/05/2015

A situação de Kogut ficou insustentável porque Richa desprezou um manifesto assinado pelo ex-comandante e subscrito por 16 coronéis da PM. No documento, eles acusaram Francischini de participar do planejamento do massacre dos professores no último dia 29 de abril.

Na segunda-feira (4), porém, durante coletiva à imprensa, o secretário da Segurança responsabilizou os policiais militares pela repressão que feriu mais de 200 educadores no Centro Cívico, em Curitiba.