Petista protocola segunda-feira pedido de impeachment contra Richa

Compartilhe agora!

tarso_massacre_richaO advogado e blogueiro Tarso Cabral Violin vai à Assembleia Legislativa na segunda-feira, 25 de maio, às 13h30, protocolar o primeiro pedido de impeachment contra o governador Beto Richa (PSDB). Novamente, a “batata quente” recairá sobre o colo dos 54 deputados estaduais, que terão de manifestar-se acerca do documento.

O pedido plural e suprapartidário é encabeçado por advogados, professores, jornalistas, intelectuais, dentre outros profissionais. Os paranaenses também podem subscrever a petição que será enviada hoje à Assembleia clicando aqui.

Também corre na Procuradoria Eleitoral pedido de investigação da Polícia Federal, formulado pelo deputado Requião Filho (PMDB), de que propina da Receita Estadual teria robustecido de forma ilegal o caixa de campanha reeleitoral do tucano.

Filiado ao PT e presidente da presidente da Associação dos Blogueiros e Ativistas Digitais do Paraná – ParanáBlogs –, Tarso foi um dos mais de 200 feridos no massacre do dia 29 de abril, no Centro Cívico, durante a manifestação contra o confisco da poupança previdenciária de professores e servidores públicos do estado.

O réu – no caso o governador Beto Richa –, em entrevista ontem (21) ao portal UOL, como de praxe, tentou desqualificar o autor do pedido de impeachment devido sua militância política. Ora, filiação partidária, credo, cor e raça não são cláusulas infamantes. Pelo contrário.

Tarso baseou o pedido de impeachment em parecer do jurista Celso Antônio Bandeira de Mello, que, no dia 8 de maio, em julgamento simulado na Universidade Federal do Paraná (UFPR), fundamentou o impedimento devido ao massacre autorizado pelo tucano.

Beto Richa defendeu ontem (21), na posse do novo comandante-geral da Polícia Militar, a ação violenta contra os manifestantes naquela tarde sangrenta. Para o governador, tratava-se de “radicais” e “black blocs” que agrediam os policiais.

A maioria das vítimas do covarde massacre era de mulheres trabalhadoras no magistério e profissionais da imprensa, como o cinegrafista da Band, Luiz Carlos de Jesus, que no momento labutava cobrindo o protesto.

Preocupado com o trâmite do processo de impeachment, o tucano contratou para defendê-lo o renomado jurista paranaense René Ariel Dotti. Segundo o mercado, com honorários na cada de meio milhão de reais.

Beto Richa começou a cair em desgraça em 9 de fevereiro, quando iniciou-se a greve na educação. Coube aos professores, em maior parte do tempo, a resistência a esse governo liquidacionista pautado nas privatizações e no confisco de poupança – como o da Paranáprevidência.

Portanto, o maior feito do magistério nesses últimos meses não foi lutar por 3, 5 ou 8% de reajuste na data-base. Em perspectiva,a maior vitória da comunidade escolar está sendo o desmascaramento de uma política antipovo e lesa-Paraná.

Compartilhe agora!

Comments are closed.