Mensalão com propina abasteceu campanha de Richa, diz Jornal Nacional

mensalao_richaO governador Beto Richa (PSDB) voltou esta noite ao telejornal da Globo, que revelou ao país um mensalão na campanha de reeleição do tucano com propinas da Receita Estadual. Estima-se, inicialmente, em R$ 2 milhões o valor do roubo.

O grupo de auditores fiscais da Receita tinha meta de arrecadação de propina e fazia a cobrança e o repasse mensalmente, conforme revelou o auditor fiscal Luiz Antônio de Souza, em depoimento prestado em acordo de delação premiada.

Assista ao vídeo:

De acordo com o advogado Eduardo Duarte Ferreira, que representa o delator, os valores arrecadados eram enviados para Curitiba por meio de empresa “oficiosa”.

A bancada do Jornal Nacional, hoje comandada por Chico Pinheiro e Giuliana Morrone, que gosta mais dos tucanos, também veiculou vídeo no qual Richa tenta esquivar-se dos fiscais da Receita. Segundo ele, o delator do esquema é “criminoso, réu confesso, preso por abuso de menores”.

O governador utilizara o mesmo expediente no final de março para desqualificar seu ex-assessor e ex-fotógrafo particular Marcelo “Tchello” Caramori. O “Taradão do Palácio Iguaçu” acabou entregando o esquema de fraudes comandado pelo lobista Luiz Abi Antoun, primo de Richa, que, segundo delação, arrecadava dinheiro em órgãos públicos para as campanhas eleitorais do parente.

O telejornal global mostrou que o governador do PSDB envergonha o Paraná com suas sucessivas aparições, em horário nobre, sempre em notícias negativas. Como padrão de defesa, Richa sempre tenta se vitimizar. Ele jura que é alvo de “campanha orquestrada” e que há “interesses políticos” por trás das acusações.

Agora a pergunta que não quer calar: o vídeo gravado e distribuído por Beto Richa passaria por um detector de mentiras?

Comentários encerrados.