Jornalistas homenageiam professores vítimas do massacre tucano no Paraná

A estudante Danielle Serejo, da UTFPR, flagrou professora chorando no pós-massacre do dia 29 de abril e Igor Martini, da Prefeitura de Curitiba, registrou neste domingo (3) manifestação de profissionais de imprensa em homenagem aos mestres vitimados por bombas e cães do governo tucano Beto Richa.

A estudante Danielle Serejo, da UTFPR, flagrou professora chorando no pós-massacre do dia 29 de abril e Igor Martini, da Prefeitura de Curitiba, registrou neste domingo (3) manifestação de profissionais de imprensa em homenagem aos mestres vitimados por bombas e cães do governo tucano Beto Richa.

Dezenas de profissionais de comunicação fizeram neste domingo (3), em Curitiba, homenagem aos professores massacrados pelo governador Beto Richa (PSDB) na última quarta-feira, dia 29 de abril.

O ato político realizado no Largo da Ordem, setor histórico da capital paranaense, também pediu apuração, fim de perseguições e ameaças contra profissionais de imprensa.

O protesto de hoje foi organizado pelo Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Paraná (Sindijor-PR) e Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Norte do Paraná.

No fim de abril, veio à tona denúncia segunda qual o Palácio Iguaçu estaria envolvido em ameaça de morte ao jornalista James Alberti, produtor da RPC TV/Globo, que investigava esquema de corrupção envolvendo o lobista Luiz Abi Antoun, primo do governador Beto Richa (PSDB).

Também sofreram ameaças profissionais de imprensa no município de Londrina, onde estão concentradas as investigações da Operação Voldemort, o Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado).

19 Comentários

Os comentários não representam a opinião do Blog do Esmael; a responsabilidade é do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

  1. Sou de Maringá e a vitoria putada é tudo, menos da educação. Não aceitaremos essa idiota falando de educação, ele não sairá de casa sem ser vaiada. Ela é mais responsável que os outros putados, pois podia se rebelar e não o fêz. Hipócrita? ela é o produto nefasto dessa política suja que anda cega só a busca de lucros para eles mesmos. Se vitoria falar em educação vai levar surra nas ruas!

  2. Os Jornalistas do Paraná tem que fazer um manifesto contra os donos da grande média que se venderam para o Richa empurrando goela abaixo do eleitor paranaense um cidadão despreparado para Governar o Estado, isso é fato.

  3. Bom dia a todos, não teria outra pessoa em fazer defesa de um Brasil melhor…Sem educação, tanto é que sempre estou a defender que nos brasileiros se um dia queremos algo diferente pro futuro de bom, teremos que investir pesado na educação e estudos aos nossos filhos e jovens em dias de hoje, mas depois que eu vi as imagens de vcs ai no paraná que passou em redes de tvs, fiquei a perguntar-me ! Mas seria verdade tudo aquilo que se viu nas mesmas ? Será que não tinha pessoas estranhas no meio de tudo aquilo, pois ao meu ver ( professores ) não teriam certas atitudes assim de enfrentar a policia, gostaria de saber de certas imagens que aparecem onde pessoas encapuzadas aparecem nas imagens, vejam bem se não tem pessoa infiltradas no meio disso tudo pra promoverem badernas Professores, assim no mais tenho uma filha que é professora e admiro e vou sempre defender vcs ( professores ) a mais a mais vcs deveriam sim serem os que mais deveriam de ganhar, pois é de vcs que saem D.r e demais seres que hoje estão em atividades.Meus pêsames por isso tudo que aconteceu com vc e procurem tirar a saber se não ouve infiltração de pessoas estranhas no meio disso tudo.

  4. com os professores o beto richa mandou bala de verdade com os jornalistas que estão denunciando a corrupção do governo e parentes do beto richa ele quer mandar bala de verdade,o paraná está entregue a uma organização criminosa.

  5. CARTA DE ESCLARECIMENTO PARA AOS AMIGOS E INTERESSADOS.

    Justifico que o Brasil é um país democrático Senhores e Senhoras; intelectuais ou ignorantes; pobre ou rico; analfabetos ou acadêmicos; da dita normalidade ou da diversidade; torcedores do partido de situação ou de oposição.
    O ano que vivemos é 2015!
    Vivenciamos conquistas e retrocessos, tem os que clamam por regimes totalitários, ditaduras militares entre outros, no plebiscito escolhemos com votos democrático o regime presidencialista.
    Bem vamos aos fatos, sou professor no Paraná – Brasil, luto por estado de direito da necessidade absoluta, quero vencer os problemas sociais e econômicos. Embora o Brasil e o Paraná tenham avançado na área social nos últimos anos, ainda persistem muitos problemas que afetam a vida dos brasileiros e dos paranaenses. Além da questionável situação econômica.
    Reflitam! Qual é o papel do Professor? Qual é o papel social da escola?
    Relato as temáticas que temos que trabalhar nas escolas públicas, situações problemas, sem a elaboração de problemas e muito menos com soluções.
    Povo brasileiro! Trabalhamos os eixos norteadores com seus elementos articuladores dos conteúdos estruturantes, apresentando os signos e significados, sejam eles concreto ou abstrato.
    Quando levo os alunos para a quadra – sala de aula, deixo de alimentar sonhos para trabalhar o mundo real do Brasil e do Paraná, não consigo ser o pesquisador, as minhas ações pedagógicas remetem a diversas discussões como a Concentração de Renda: mobilidade social, aspetos regionais, migrações, êxodo rural e urbano. Desigualdades Raciais e Sociais. Condição de trabalho: Trabalho Infantil e Prostituição. Questões de Saúde: gravidez na adolescência, mortalidade infantil e expectativa de vida. Infraestrutura : saneamento básico e abastecimento de água, coleta de lixo. Violência e Criminalidade: por raça, sexo, grupo etários, região, gêneros, armamento, tráfico de drogas e doméstico. Poluição, Habitação, Transporte, Desigualdade Social,, Políticas Públicas, Meio Ambiente, Justiça, Arrecadação de Impostos, Desemprego, Fome, Obesidade, Favelas, Homofobia,Problemas sociais do norte e nordeste, Impactos do aquecimento global, Juros alto, Inflação, Dívidas entre muitos elementos.
    Senhores e senhoras da rede social, esses problemas do Paraná – Brasil podem ser compreendidos com o auxílio e interpretação nas diversas áreas dos indicadores sociais. os dados sobre o desempenho dos alunos, principalmente da rede pública de ensino, são alarmantes.
    A educação pública encontra vários problemas e dificuldades: prédios mal conservados, falta de professores, poucos recursos didáticos, baixos salários, greves, violência dentro das escolas, salas super lotadas, mídias de enfeites, entre outros. Este quadro é resultado do baixo índice de investimentos públicos neste setor. O resultado é a deficiente formação dos alunos brasileiros. Os problemas ficam claros, sobretudo, com o baixo índice do IDH e o IDEBE onde os professores são responsabilizados pelo fracasso. Reflitam: a iniciativa privada é alheia a essa temática social, as mesmas são produtivas e conteudistas.
    Pagar os Impostos, tributos, taxas e contribuição, além de contribuições de melhoria, empréstimos compulsórios e royalties, não é algo que dê prazer. Especialmente quando assistimos a recorrentes escândalos políticos envolvendo apropriação e desvio de dinheiro público e a falta de investimento e retorno para a população do Paraná – Brasil.
    ALGUNS IMPOSTOS FEDERAIS, ESTADUAIS E MUNCIPAIS:
    FEDERAIS:
    • II – Imposto sobre Importação.
    • IOF – Imposto sobre Operações Financeiras. Incide sobre empréstimos, financiamentos e outras operações financeiras, e também sobre ações.
    • IPI – Imposto sobre Produto Industrializado. Cobrado das indústrias.
    • IRPF – Imposto de Renda Pessoa Física. Incide sobre a renda do cidadão.
    • IRPJ – Imposto de Renda Pessoa Jurídica. Incide sobre o lucro das empresas.
    • ITR – Imposto sobre a Propriedade Territorial Rural.
    • Cide – Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico. Incide sobre petróleo e gás natural e seus derivados, e sobre álcool combustível.
    • Cofins – Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social. Cobrado das empresas.
    • CSLL – Contribuição Social sobre o Lucro Líquido.
    • FGTS – Fundo de Garantia do Tempo de Serviço. Percentual do salário de cada trabalhador com carteira assinada depositado pela empresa.
    • INSS – Instituto Nacional do Seguro Social. Percentual do salário de cada empregado cobrado da empresa e do trabalhador para assistência à saúde. O valor da contribuição varia segundo o ramo de atuação.
    • PIS/Pasep – Programas de Integração Social e de Formação do Patrimônio do Servidor Público. Cobrado das empresas.
    ESTADUAIS:
    • ICMS – Imposto sobre Circulação de Mercadorias. Incide também sobre o transporte interestadual e intermunicipal e telefonia.
    • IPVA – Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores.
    • ITCMD – Imposto sobre a Transmissão Causa Mortis e Doação. Incide sobre herança.
    MUNICIPAIS
    • IPTU – Imposto sobre a Propriedade Predial e Territorial Urbana.
    • ISS – Imposto Sobre Serviços. Cobrado das empresas.
    • ITBI – Imposto sobre Transmissão de Bens Inter Vivos. Incide sobre a mudança de propriedade de imóveis.
    TAXAS
    • Taxa de Autorização do Trabalho Estrangeiro – Federal
    • Taxa de Avaliação in loco das Instituições de Educação e Cursos de Graduação – lei 10.870/2004 – Federal
    • Taxa de Avaliação da Conformidade – Lei 12.545/2011 – art. 13
    • Taxa de Classificação, Inspeção e Fiscalização de produtos animais e vegetais ou de consumo nas atividades agropecuárias – decreto-lei 1.899/1981 – Federal
    • Taxa de Coleta de Lixo – Municipal
    • Taxa de Combate a Incêndios – Municipal
    • Taxa de Conservação e Limpeza Pública – Municipal
    • Taxa de Controle e Fiscalização de Produtos Químicos – lei 10.357/2001, art. 16
    • Taxa de Emissão de Documentos (níveis municipais, estaduais e federais) Taxa de Controle e Fiscalização Ambiental – TCFA – Lei 10.165/2000
    • Taxa de Fiscalização da Aviação Civil – TFAC – Lei 11.292/2006
    • Taxa de Fiscalização da Agência Nacional de Águas – ANA – art. 13 e 14 da MP 437/2008
    • Taxa de Fiscalização CVM (Comissão de Valores Mobiliários) – Lei 7.940/1989
    • Taxa de Fiscalização de Sorteios, Brindes ou Concursos – art. 50 da MP 2.158-35/2001
    • Taxa de Fiscalização de Funcionamento (TFF) e Taxa de Fiscalização de Instalações (TFI) da Agência Nacional de Telecomunicações (Fistel) – leis 5.070/1966 e 9.742/1997, Resolução n° 255/2001 da Anatel – Federais 1
    • Taxa de Fiscalização de Vigilância Sanitária – lei 9.782/1999, art. 23
    • Taxa de Fiscalização dos Mercados de Seguro e Resseguro, de Capitalização e de Previdência Complementar Aberta – art. 48 a 59 da Lei 12.249/2010
    • Taxa de Fiscalização e Controle da Previdência Complementar – TAFIC – Entidades Fechadas de Previdência Complementar – art. 12 da Lei 12.154/2009
    • Taxa de Licenciamento, Controle e Fiscalização de Materiais Nucleares e Radioativos e suas instalações – Lei 9.765/1998
    • Taxa de Fiscalização dos Produtos Controlados pelo Exército Brasileiro (TFPC) – lei 10.834/2003
    • Taxa de Fiscalização e Controle da Previdência Complementar (TAFIC) – MP 233/2004, art. 12
    • Taxa de Licenciamento Anual de Veículo
    • Taxa de Licenciamento para Funcionamento e Alvará Municipal
    • Taxa de Marinha – Laudêmio
    • Taxa de Pesquisa Mineral ou Taxa Anual por Hectare – TAH (DNPM) – art. 20, inciso II, Decreto-lei n° 227/67 (Código de Mineração), Portaria Ministerial 503/1999
    • Taxa de Serviços Administrativos (TSA) – Zona Franca de Manaus – lei 9960/2000
    • Taxa de Serviços Metrológicos – lei 9933/1999, art. 11
    • Taxas ao Conselho Nacional de Petróleo (CNP)
    • Taxa de Utilização de Selo de Controle – art. 13 da Lei 12.995/2014
    • Taxa de Outorga e Fiscalização – Energia Elétrica – art. 11, inciso I, e artigos 12 e 13, da Lei 9.427/1996
    • Taxa de Outorga – Rádios Comunitárias – art. 24 da Lei 9.612/1998 e nos art. 7 e 42 do Decreto 2.615/1998
    • Taxas de Saúde Suplementar (ANS) – lei 9.961/2000, art. 18
    • Taxa de Utilização do SISCOMEX
    • Taxa de Utilização do MERCANTE – decreto 6.756/2009
    • Taxa Adicional ao Frete para a Renovação da Marinha Mercante (AFRMM)
    • Taxas do Registro do Comércio (Juntas Comerciais)
    • Taxas Judiciárias
    • Taxas Processuais do Conselho Administrativo de Defesa Econômica – CADE – art. 23 da Lei 12.529/2011

    CONTRIBUIÇÕES:
    • Adicional de Frete para Renovação da Marinha Mercante – AFRMM – Lei 10.893/2004
    • Adicional de Tarifa Aeroportuária – ATA – Lei 7.920/1989
    • Contribuição á Direção de Portos e Costas (DPC) – Lei 5.461/1968
    • Contribuição à Comissão Coordenadora da Criação do Cavalo Nacional – CCCCN – art. 11 da Lei 7.291/1984
    • Contribuição ao Fundo Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico – FNDCT – Lei 10.168/2000
    • Contribuição ao Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), também chamado “Salário Educação” – Decreto 6.003/2006
    • Contribuição ao Funrural – Lei 8.540/1992
    • Contribuição ao Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (INCRA) – Lei 2.613/1955
    • Contribuição ao Seguro Acidente de Trabalho (SAT), atualmente com a denominação de Contribuição do Grau de Incidência de Incapacidade Laborativa decorrente dos Riscos Ambientais do Trabalho (GIIL-RAT)
    • Contribuição ao Serviço Brasileiro de Apoio a Pequena Empresa (Sebrae) – Lei 8.029/1990
    • Contribuição ao Serviço Nacional de Aprendizado Comercial (SENAC) – Decreto-Lei 8.621/1946
    • Contribuição ao Serviço Nacional de Aprendizado dos Transportes (SENAT) – Lei 8.706/1993
    • Contribuição ao Serviço Nacional de Aprendizado Industrial (SENAI) – Lei 4.048/1942
    • Contribuição ao Serviço Nacional de Aprendizado Rural (SENAR) – Lei 8.315/1991
    • Contribuição ao Serviço Social da Indústria (SESI) – Lei 9.403/1946
    • Contribuição ao Serviço Social do Comércio (SESC) – Lei 9.853/1946
    • Contribuição ao Serviço Social do Cooperativismo (SESCOOP) – art. 9, I, da MP 1.715-2/1998
    • Contribuição ao Serviço Social dos Transportes (SEST) – Lei 8.706/1993
    • Contribuição Confederativa Laboral (dos empregados)
    • Contribuição Confederativa Patronal (das empresas)
    • Contribuição de Intervenção do Domínio Econômico – CIDE Combustíveis – Lei 10.336/2001
    • Contribuição de Intervenção do Domínio Econômico – CIDE Remessas Exterior – Lei 10.168/2000
    • Contribuição para a Assistência Social e Educacional aos Atletas Profissionais – FAAP – Decreto 6.297/2007
    • Contribuição para Custeio do Serviço de Iluminação Pública – Emenda Constitucional 39/2002
    • Contribuição para o Desenvolvimento da Indústria Cinematográfica Nacional – CONDECINE – art. 32 da Medida Provisória 2228-1/2001 e Lei 10.454/2002
    • Contribuição para o Fomento da Radiodifusão Pública – art. 32 da Lei 11.652/2008
    • Contribuição Previdenciária sobre a Receita Bruta (CPRB) – art. 8º da Lei 12.546/2011
    • Contribuição Sindical Laboral (não se confunde com a Contribuição Confederativa Laboral, vide comentários sobre a Contribuição Sindical Patronal)
    • Contribuição Sindical Patronal (não se confunde com a Contribuição Confederativa Patronal, já que a Contribuição Sindical Patronal é obrigatória, pelo artigo 578 da CLT, e a Confederativa foi instituída pelo art. 8, inciso IV, da Constituição Federal e é obrigatória em função da assembleia do Sindicato que a instituir para seus associados, independentemente da contribuição prevista na CLT)
    • Contribuição Social Adicional para Reposição das Perdas Inflacionárias do FGTS – Lei Complementar 110/2001
    • Contribuição Social para o Financiamento da Seguridade Social (COFINS)
    • Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL)
    • Contribuições aos Órgãos de Fiscalização Profissional (OAB, CRC, CREA, CRECI, CORE, etc.)
    • Contribuições de Melhoria: asfalto, calçamento, esgoto, rede de água, rede de esgoto, etc.
    • Fundo Aeroviário (FAER) – Decreto Lei 1.305/1974
    • Fundo de Combate à Pobreza – art. 82 da EC 31/2000
    • Fundo de Fiscalização das Telecomunicações (FISTEL) – Lei 5.070/1966 com novas disposições da Lei 9.472/1997
    • Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) – Lei 5.107/1966
    • Fundo de Universalização dos Serviços de Telecomunicações (FUST) – art. 6 da Lei 9.998/2000
    • Fundo Especial de Desenvolvimento e Aperfeiçoamento das Atividades de Fiscalização (Fundaf) – art.6 do Decreto-Lei 1.437/1975 e art. 10 da IN SRF 180/2002
    A palavra LUTO para uns ”críticos cibernéticos” são substantivo, para os professores é verbo.
    O que aconteceu no Paraná?
    Luto em defesa de um patrimônio depositados pelos professores na conta de um fundo previdenciário, onde não achamos justo que o senhor governador transferissem 33 mil servidores do fundo financeiro sem contribuição para o fundo previdenciário, comprometendo no futuro as nossas aposentadorias. Pois bem vamos compreender a má gestão, tudo isso é para cobrir o rombo nas contas públicas aberto pela má gestão do governador BETO RICHA, pela sua inépcia. O rombo nas contas públicas segundo dados preliminares terminou com déficit de R$4,6 bilhões num orçamento de R$40 bilhões e cerca de R$1,2 bilhões a pagar. Com desequilíbrio e irresponsabilidade total, gasta mais do que arrecada, as receitas crescem 12% e as despesas 43%.
    Amigos do Paraná – Brasil lutamos para salvar os nossos direitos, não sou BLACK BLOCS, BARDENEIROS, BANDIDOS, DESOCUPADOS, da CUT ou dos partidos citados pelo governo PT, PSTU E PSOL. E se fosse lutaria do mesmo jeito. Agradeço a compreensão estou aberto a diálogos, 27 anos aprendendo e ensinando com a escola pública.
    Sem palavras e discussão pelo massacre para a barbárie
    Do dia 29 de abril de 2015.

    Hélio Cruz Leão – Professor Caloi

    Professor de Educação Física da rede Estadual de Educação do Paraná, Município de Ivaiporã. Graduado em Educação Física pela UNIPAR. Especialista em Educação Especial: Atendimento às Necessidades Especiais ICEI – ESAP. Professor PDE (Programa de Desenvolvimento Educacional 2014.

  6. Parabéns nobres jornalistas.

  7. Fora Beto, Traiano e Francischini! Prisão para o Nelson Justus! Agora é Greve Geral contra a repressão e em defesa de condições de vida digna para os servidores e em defesa da escola pública! Viva a classe trabalhadora e a juventude!

  8. Os professores que foram feridos pela truculencia do beto richa (hitler) deveriam ir na delegacia registrar um B.O. e colocar o beto como único culpado no registro do B.O.

  9. Bem para quem nas manifestações pediu a volta da ditadura, intervenção militar, parabéns, aqui no Paraná conseguiram!

  10. Todo apoio aos jornalista,mas repudio os donos dos jornais poi eles ganhão muito dinheiro para vender a imagem boa de um governo falido truculento e ditador. Traiano braço direito do Beto Hitler, Fransiskini, Rossone, ratinho junior, Romaneli. Nestes o povo nunca mais deve votar.

  11. Não podemos deixar que este triste episódio caia no esquecimento, temos que continuar divulgando, protestando até que providências sejam tomadas. Parabéns aos jornalistas por este ato!

  12. Boa tarde, o que fiquei mais admirada ontem no programa do partido da “Musa” da assembleia como e chamada a Deputa Maria Vitora, falar que faz parte da comissão da educação.
    Mas votou contra os professores, e ainda não fez nada pra interceder junto a sua mãe que nada menos que a Vice Governadora, ta na hora de um basta da hipocrisia deste povo que fala que representa o Paraná. Governador e vice so representam a eles mesmo.Tanto que a vice governadora tem o marido Deputado federal, filha deputada estadual.Muito triste acorda Paraná

  13. Já está provado que ‘Besta’ Richa é bandido, inescrupuloso. Atras da tropa de choque ele é valente. Ameaça, manda bater, aterrorizar e matar.Governador LIXO, isso que ele é…

  14. Infelizmente o cidadão Brasileiro é analfabético politico basta ouvir alguns comentários e pensar que o gestor esta certo.

    – A democracia permite manifestações e todos cidadão necessitam destes lutadores que são os professores. Países de primeiro mundo a tratativa com os mestres é com dignidade absoluta. Enquanto países atrasados a tratativa é com as forças militares o governante esta acima de tudo “tem poder”.

    – De forma alguma o poder pode agredir um cidadão por supor que é inimigo ou participa de algum grupo que considera pernicioso, isto é totalmente incorreto até porque não houve danos em nada, caso houvesse seria mais barato que a quantidade de militares e custas hospitalares que foi muito alto e o mundo esta mencionando que foi pouca vergonha do gestor paranaense. Se este país fosse sério estas custas deveriam ser no mínimo contabilizado ao gestor que produziu e quem faz e quer deve assumir.

    – Para refrescar a memória a decisão do pedágio pelo grupo que esta no poder foi a 20 (vinte) anos na época quem foi contra sofreu criticas, hoje estamos com o mico na mão custos elevadíssimos rodovias simples em alguns locais esburacadas e até a concessão em situações claras e passiveis de penalidade é a omissão. Porque menciono a situação agora é a mesmo problema que estamos plantando agora e jogando para frente, penalizando futuras gerações e parte da sociedade que é pura irresponsabilidade.

    – Será que utilizar destas forças para combater a corrupção, principalmente aquela levantada pelo GAECO em Londrina é possibilidade de arrecadar o que é de direito. Como esta a situação para aprofundar a investigações por parte do executivo o que sei é que houve habeas corpus para o todo o respeitado ABI.

    – Para acreditar no partido que se diz sério seria o momento de pensar em expulsar o responsável por estas irregularidades, vejo partido que tem esta ação e de certa forma mantém maior credibilidade junto a comunidade.