Jornalistas homenageiam professores vítimas do massacre tucano no Paraná

A estudante Danielle Serejo, da UTFPR, flagrou professora chorando no pós-massacre do dia 29 de abril e Igor Martini, da Prefeitura de Curitiba, registrou neste domingo (3) manifestação de profissionais de imprensa em homenagem aos mestres vitimados por bombas e cães do governo tucano Beto Richa.

A estudante Danielle Serejo, da UTFPR, flagrou professora chorando no pós-massacre do dia 29 de abril e Igor Martini, da Prefeitura de Curitiba, registrou neste domingo (3) manifestação de profissionais de imprensa em homenagem aos mestres vitimados por bombas e cães do governo tucano Beto Richa.

Dezenas de profissionais de comunicação fizeram neste domingo (3), em Curitiba, homenagem aos professores massacrados pelo governador Beto Richa (PSDB) na última quarta-feira, dia 29 de abril.

O ato político realizado no Largo da Ordem, setor histórico da capital paranaense, também pediu apuração, fim de perseguições e ameaças contra profissionais de imprensa.

O protesto de hoje foi organizado pelo Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Paraná (Sindijor-PR) e Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Norte do Paraná.

No fim de abril, veio à tona denúncia segunda qual o Palácio Iguaçu estaria envolvido em ameaça de morte ao jornalista James Alberti, produtor da RPC TV/Globo, que investigava esquema de corrupção envolvendo o lobista Luiz Abi Antoun, primo do governador Beto Richa (PSDB).

Também sofreram ameaças profissionais de imprensa no município de Londrina, onde estão concentradas as investigações da Operação Voldemort, o Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado).

Comentários encerrados.