Exclusivo: Juiz condena Romanelli e Nereu à inelegibilidade até 2023

romanelli_nereuOs deputados Nereu Moura e Luiz Cláudio Romanelli, ambos do PMDB, foram condenados pela 3ª Vara da Fazenda Pública, de Curitiba, por ato de improbidade administrativa na Assembleia Legislativa do Paraná. A decisão do juiz Roger Vinicius Pires de Camargo Oliveira é de primeira instância, portanto, ainda cabe recurso dos réus.

Segundo o magistrado, na sentença proferida na última quarta-feira (27), os peemedebistas teriam contratado funcionários “fantasmas” na liderança do PMDB, no início dos anos 2000, dentre os quais estava Elza Chrispim Calixto – empregada doméstica da família do senador Roberto Requião (PMDB).

O juiz aplicou aos réus sanções de suspensão de direitos políticos por oito anos, ressarcimento ao erário, perda de função pública e impedimento para contratar com o poder público.

A ação e agora a condenação que torna os dois parlamentares inelegíveis foi originada a partir de uma denúncia feita pelo próprio Requião, em 2001, da tribuna do Senado.

“Estranhamente, num momento turbulento para o governo e onde tenho enfrentado com firmeza os seus descalabros, aparece uma situação dessas. Não tem cabimento”, declarou ao Blog do Esmael o deputado Nereu Moura.

O líder do PMDB, que tem se destacado em defesa dos professores em greve, afirmou ainda que “é um verdadeiro absurdo a sentença”.

“Meus advogados irão protocolar amanhã, um recurso no Tribunal de Justiça do Paraná, visando corrigir esse erro e restabelecer a verdade”, adiantou Moura.

O Blog do Esmael também ouviu com exclusividade o líder do governo, Luiz Cláudio Romanelli:

“Sou acusado de fatos ocorridos na Assembleia Legislativa em um período no qual não exercia nenhuma função pública, nem a de deputado ou qualquer outra. Sou inocente e a verdade prevalecerá. Lamento a decisão em 1ª instância, e dela vou recorrer ao Tribunal de Justiça”.

Romanelli esclareceu que foi envolvido indevidamente no processo por relacionamento de amizade com um dos réus. “Confio no Poder Judiciário paranaense, que por certo fará justiça para comigo”.

Comentários encerrados.