Após massacre de professores, deputados pró-Richa são declarados “personae non gratae” em universidade do Paraná

abc_camburao_unicentroOs professores da Unicentro (Universidade Estadual do Centro-Oeste), dos campi de Guarapuava e Irati, em assembleia geral, decidiram neste sábado (2) declarar os três deputados da cidade e da região Centro-Sul — Artagão Júnior (PMDB), Cristina Silvestri (PPS) e Bernardo Ribas Carli (PSDB) — como “personae non gratae” (pessoas não bem-vindas) na instituição de ensino superior.

Segundo documento da Adunicentro (Sindicato dos Docentes da Unicentro), os três parlamentares “se colocaram ombro a ombro com o Governo Beto Richa na ratificação do uso da força contra professores”. Esta é a primeira declaração do gênero após o massacre dos educadores ocorrido no dia 29 de abril, no Centro Cívico, em Curitiba, a mando do governador tucano e cumplicidade da base governista na Assembleia.

A Unicentro teve 15 feridos entre os 200 também abatidos no massacre do Centro Cívico, durante protesto contra o confisco da poupança previdenciária dos servidores públicos do estado.

“Os docentes da Unicentro, massivamente, consideram os deputados de Guarapuava coresponsáveis pelo que é o evento repressivo mais truculento no Paraná, desde o restabelecimento da democracia em nosso País”, afirma nota oficial da Adunicentro.

A Unicentro possui campus na cidade de Irati e campi avançados nas cidades de Chopinzinho, Laranjeiras do Sul, Pitanga e Prudentópolis. Sua região de abrangência é de 50 municípios totalizando aproximadamente 1 milhão de habitantes.

A comunidade universitária da instituição é formada por 9.500 alunos, 800 professores e 400 funcionários. A instituição oferta 53 cursos de graduação em seus campi e extensões.

Comentários encerrados.