Por Esmael Morais

A mando de Richa, presidente do PSDB exige exoneração de Francischini e do secretário da Educação

Publicado em 03/05/2015

Nos dias das votações que geraram confronto na praça eu estava em Brasília. Lá, tomei conhecimento dos fatos através da imprensa, com informações desencontradas. Ao voltar ao Paraná, assisti as imagens e, a partir do que vi, tirei algumas conclusões, que seguem:

1) A ação da policia foi desproporcional e desnecessária. Mas sei que se a tropa agiu daquela maneira, foi por ordem do comando. Não era o caso de se fazer uso de balas de borracha, cães, etc

2) O secretário da Educação está fora do contexto da pasta. É um ótimo técnico, seria muito útil em outro área, mas não está preparado para a área da Educação.

3) Espero que o governador, em nome dos seus eleitores e do seu partido, tome medidas imediatas para mudar o rumo da situação. Por mais que a APP-Sindicato faça o jogo do PT, o diálogo é fundamental na articulação política na preservação dos princípios democráticos. Do contrário, estarão dando munição a um sindicato pelego do PT.

4) A grande maioria dos professores e dos funcionários públicos não tem informação correta do que foi aprovado. É preciso esclarecimento.

Sim, houve excessos por parte do comando da Segurança. Também houve má fé por parte da APP e pessoas estranhas que desvirtuou a verdadeira intenção do projeto. Somos todos paranaenses e esta situação interessa somente a quem tem olhos para os votos da próxima eleição.

Espero – e tenho certeza – que o governador, com profunda análise dos fatos, tenha clareza para tomar as medidas necessárias que restabeleçam com urgência a verdade e a tranquilidade do povo paranaense. A começar pelos responsáveis pelas atitudes desmedidas, pelos desmandos, pelos exageros. Que sejam exonerados ou que peçam para sair.

Em nome da paz, do entendimento, do estado do Paraná e de seu povo.

Valdir Rossoni
Dep Federal
Presidente do PSDB