Blog do Esmael

A política como ela é em tempo real.

25 de maio de 2015
por esmael
65 Comentários

Deputados governistas põem Beto Richa contra a parede: ‘ou cede aos professores ou impeachment’

richa_nre

Os deputados governistas — e oposicionistas — perderam a paciência com a intransigência do governador Beto Richa (PSDB). Hoje, desde a manhã, foi intensa o cruzar da Praça 29 de Abril (antiga Nossa Senhora Salete), entre a Assembleia Legislativa e o Palácio Iguaçu, no Centro Cívico.

Os deputados governistas Luiz Cláudio Romanelli (PMDB), líder do governo, Alexandre Curi (PMDB) e o presidente da Assembleia, Ademar Traiano (PSDB), foram levar um recado duro e suprapartidário: ou Richa concede a reposição de 8,17% e encerra a greve ou o processo de impeachment caminhará na Casa.

Hoje à tarde, o advogado e blogueiro Tarso Cabral Violin protocolou na Assembleia um pedido de impeachment do governador com seis mil assinaturas.

Na parede, sem muita margem de manobra, o governador Beto Richa tende a “afrouxar a tanga” esta terça-feira, dia 26. O tucano já admite enviar à Assembleia mensagem cedendo aos professores e servidores em greve. O que se discute agora são as condições do pagamento da reposição da data-base.

Portanto, amanhã será o “Dia D” do movimento grevista — sobretudo da educação básica que completou um mês — e para o governador do PSDB. Se ele roer a corda e endurecer novamente contra os funcionários públicos, deputados governistas e oposicionistas se unirão pelo afastamento de Beto Richa.

25 de maio de 2015
por esmael
42 Comentários

Veja essa: PMs que massacraram professores terão de devolver diárias

pm_diarias

Os policiais militares que vieram para a capital no dia 29 de abril desempenhar o papel de “vilões” estão indignados, pois o Ministério Público deverá pedir devolução de parte de diárias que receberam no dia do massacre. Leia mais

25 de maio de 2015
por esmael
2 Comentários

Audiência Pública sobre o Plano Estadual de Educação

audienciaApesar da greve dos professores e servidores da educação, foi realizada hoje (25) pela manhã uma audiência pública na Assembleia Legislativa do Paraná para tratar do Plano Estadual de Educação (PEE).

A audiência foi iniciativa deputado Professor Lemos (PT), e nela foram debatidas as diretrizes do PEE contidas no projeto de lei nº 377/2015, de autoria do Poder Executivo. Estavam presentes representantes dos Fóruns Nacional e Estadual da Educação, lideranças da APP-Sindicato, prefeitos, vereadores e secretários municipais da educação.

Segundo o Deputado Professor Lemos, o projeto do governo deve receber diversas emendas, muitas delas a partir da formulação de entidades como a própria APP-Sindicato. Em conversa com o Blog do Esmael, o deputado afirmou que o principal problema do projeto do governo é que ele não prevê nenhum aumento de investimento por parte do Estado na educação. “Desse jeito não há como cumprir com as metas estabelecidas no plano”, completou Lemos.

25 de maio de 2015
por esmael
37 Comentários

Seis mil subscreveram pedido de impeachment de Beto Richa

impeachment_profs_richa

O professor universitário, advogado e blogueiro Tarso Cabral Violin protocolou na tarde desta segunda-feira (25), na Assembleia Legislativa do Paraná, o primeiro pedido de impeachment do governador Beto Richa (PSDB). A petição foi subscrita por mais de seis mil paranaenses cujas assinaturas foram coletadas pela internet.

Os cidadãos ainda podem subscrever a petição que foi enviada hoje à Assembleia clicando aqui.

O pedido de impedimento (leia abaixo a íntegra do documento) tem como foco central o massacre de professores e servidores públicos, no dia 29 de abril, durante votação na Assembleia do confisco da poupança previdenciária. 

25 de maio de 2015
por esmael
6 Comentários

Professores em greve ocupam todos o Núcleos Regionais de Educação do PR

nresDando início à quinta semana da greve, os professores da rede pública estadual de ensino básico ocuparam hoje (25) todos os 32 Núcleos Regionais de Educação (NREs) do Paraná.

Os servidores que trabalham nos núcleos, muitos deles também professores, não entraram para trabalhar, o que deve reforçar bastante o movimento grevista.

Segundo a Secretária de Organização da APP-Sindicato, professora Tereza Lemos, a ocupação dos NREs deve prosseguir durante a semana até que uma nova orientação seja estabelecida pelo comando de greve.

Na realidade, no período da greve, os núcleos funcionam como entrepostos do governo fazendo pressão para que os professores deixem a greve e voltem ao trabalho nas escolas. Segundo os professores, os NREs costumam telefonar para os grevistas, mandar mensagens e e-mails falando em faltas e descontos dos dias parados.

25 de maio de 2015
por esmael
39 Comentários

“Conspiração” contra Richa teria causado a demissão da vice-governadora Cida Borghetti

[vc_row][vc_column][vc_column_text]richa_barros

Fontes do Blog do Esmael no Palácio Iguaçu afirmam que a exoneração da vice-governadora, Cida Borghetti (PROS), na noite de sexta-feira (22), teria a ver com conspiração liderada pelo marido dela, o deputado federal Ricardo Barros (PP), contra o governador Beto Richa (PSDB). Portanto, o desligamento da vice da função de Representante do Paraná em Brasília, com status de secretária, não foi nada tranquilo como querem fazer crer por aí.

Quanto chegou no Distrito Federal, Cida fez a maior festa. Reuniu-se com a bancada paranaense, agendou reuniões com ministros, enfim, fez o fervo. Não parecia que iria durar tão pouco tempo.

“A vice agora passou a ser chamada, em Brasília, de ‘Cida, a Breve’“, ironizou um parlamentar o fato dela ter permanecido menos de um mês no cargo.

Não é segredo para ninguém que há uma guerra intestina entre os palacianos para comandar o barco que está à deriva desde o início dos escândalos de corrupção e pedofilia — agravados pelo massacre de professores e servidores públicos no dia 29 de abril.

“Os Barros conspiram contra o governo de Beto Richa (PSDB). Eles são de extrema-direita. São os que mais atrapalham o acordo com os grevistas, pois estão aflitos, viram a chance de tomar o Palácio Iguaçu, e por isso querem radicalizar propondo o confronto, reajuste zero e cacete. Fizeram até conta da data-base parcelada em quatro anos”, revela um assessor do governador tucano.

25 de maio de 2015
por esmael
17 Comentários

Semana começa com mais adesões à greve geral contra Beto Richa

balancoOs professores e servidores da rede pública de ensino e das universidades estaduais estão entrando na quinta semana de greve, enquanto outras categorias do funcionalismo público estadual vão aderindo ao movimento que já é uma greve geral dos servidores do Estado.

A bandeira que unifica as categorias é a reposição da data-base de 8,17%, mas cada categoria tem pautas próprias. A expectativa é que o governador Beto Richa (PSDB) encaminhe uma mensagem para a Assembleia Legislativa hoje ou amanhã.

Com o apoio da bancada do PSC ao reajuste pleiteado pelos servidores, a margem de negociação do governo deve se limitar a tentar aprovar o parcelamento do índice. Porém, a notícia de que o Tribunal de Justiça (TJ) vai conceder reajuste de 8,17% a todo os servidores concursados, comissionados e aposentados do Judiciário Estadual, retroativos a 1º de maio de 2015, deve acirrar os ânimos e fortalecer a mobilização dos grevistas.

25 de maio de 2015
por esmael
73 Comentários

Servidores do TJPR terão reajuste de 8,17% em parcela única

richa_auxiliomoradiaCom as burras cheias, o Tribunal de Justiça do Estado do Paraná (TJPR) vai conceder reajuste de 8,17% na data-base aos servidores concursados, comissionados e aposentados com data retroativa a 1º de maio de 2015.

Diferente do que deverá propor hoje o governo Beto Richa (PSDB) aos professores e demais servidores públicos em greve, o judiciário concederá a reposição em parcela única.

Segundo comunicado do presidente no site do TJPR, desembargador Paulo Roberto Vasconcelos, a minuta com o anteprojeto será debatida no Órgão Especial e, se aprovado, seguirá para a Assembleia Legislativa.

25 de maio de 2015
por esmael
11 Comentários

Coluna da Gleisi Hoffmann: O oportunismo da oposição a Dilma

gleisiGleisi Hoffmann*

A semana que passou foi intensa no Senado da República em discussões sobre os direitos trabalhistas. Tivemos a discussão da MP 665, que altera o tempo para o acesso ao seguro-desemprego. A oposição aproveitou para fazer discursos oportunistas sobre o direito dos trabalhadores, o compromisso que tem com estes direitos e a necessidade de votar contra a MP 665.

Também tivemos debates sobre o projeto de lei da terceirização da mão de obra, aprovado recentemente na Câmara dos Deputados. O Senado realizou uma sessão especial de debate sobre a matéria. Apesar de ser um projeto nocivo, este sim, aos trabalhadores, porque precariza a relação de trabalho, ninguém da oposição levantou-se contra ele. Aliás, apoiam incondicionalmente a proposta que veio da Câmara dos Deputados, posto que lá já votaram favoráveis.

O Projeto da Terceirização assumiu o número 30 no Senado (PLC 30/2015). A proposta em debate não se destina apenas a regulamentar as atividades terceirizadas como justificam seus defensores. Ela amplia, libera e estimula a terceirização para todas as áreas de trabalho, inclusive a atividade fim das empresas.

25 de maio de 2015
por esmael
106 Comentários

Coluna do Luiz Claudio Romanelli: O diálogo vai vencer a intolerância (II)

romanelliLuiz Claudio Romanelli*

Tenho recebido muitas manifestações dos professores, solicitando que o governo e o comando de greve dos servidores estaduais cheguem a consenso pelo reajuste de 8,17% para a retomada imediata das aulas. Tenho concordado com a maioria das opiniões e reflexões que recebo. É preciso a volta das aulas nas escolas para atender professores, ‎estudantes, mães e pais ansiosos e preocupados com a paralisação, que continuada, venha prejudicar de forma mais aguda, o calendário escolar e a qualidade do ensino público no Paraná.

Reitero ainda que essa disposição em articular as negociações, faz parte da minha ‎atuação, como parlamentar e Líder do Governo, na reabertura do diálogo e na retomada das conversações entre as duas partes, governo e os sindicatos de professores e servidores, para que a conversa franca, e a temperança consigam superar a intolerância e encontrar as soluções comuns e de acordo entre as partes.

Também percebo nas conversas, trocas de emails e mensagens, que tenho mantido diariamente com os professores, que estamos atravessando uma época na qual o radicalismo está se alastrando. Não é a primeira vez na história, mas para nós brasileiros é um fato social novo.