16 de maio de 2015
por esmael
25 Comentários

Mensalão com propina abasteceu campanha de Richa, diz Jornal Nacional

mensalao_richaO governador Beto Richa (PSDB) voltou esta noite ao telejornal da Globo, que revelou ao país um mensalão na campanha de reeleição do tucano com propinas da Receita Estadual. Estima-se, inicialmente, em R$ 2 milhões o valor do roubo.

O grupo de auditores fiscais da Receita tinha meta de arrecadação de propina e fazia a cobrança e o repasse mensalmente, conforme revelou o auditor fiscal Luiz Antônio de Souza, em depoimento prestado em acordo de delação premiada.

Assista ao vídeo:

De acordo com o advogado Eduardo Duarte Ferreira, que representa o delator, os valores arrecadados eram enviados para Curitiba por meio de empresa “oficiosa”.

A bancada do Jornal Nacional, hoje comandada por Chico Pinheiro e Giuliana Morrone, que gosta mais dos tucanos, também veiculou vídeo no qual Richa tenta esquivar-se dos fiscais da Receita. Segundo ele, o delator do esquema é “criminoso, réu confesso, preso por abuso de menores”.

O governador utilizara o mesmo expediente no final de março para desqualificar seu ex-assessor e ex-fotógrafo particular Marcelo “Tchello” Caramori. O “Taradão do Palácio Iguaçu” acabou entregando o esquema de fraudes comandado pelo lobista Luiz Abi Antoun, primo de Richa, que, segundo delação, arrecadava dinheiro em órgãos públicos para as campanhas eleitorais do parente.

16 de maio de 2015
por esmael
28 Comentários

Requião sugere renúncia de Richa após denúncia de propina de R$ 2 milhões

richa_requiaoO senador Roberto Requião (PMDB), pelo Twitter, sugeriu que o governador Beto Richa (PSDB) vá renunciar ao cargo e se colocou à disposição da vice Cida Borghetti (PROS): Leia mais

16 de maio de 2015
por esmael
15 Comentários

Em PG, crianças fazem coro pelo “Fora Beto Richa”; assista ao vídeo

richa_pgNo bico do corvo, o governador Beto Richa (PSDB) está literalmente na boca de todos os paranaenses que gritam uníssonos e espontaneamente nas ruas: “Fora Beto Richa!”. Na atual conjuntura, nem as criancinhas poupam o tucano.

Na tarde deste sábado (16), durante a abertura dos Jogos Estudantis Municipais de Ponta Grossa, na próspera região dos Campos Gerais, as crianças puxaram o coro de “Fora Beto Richa!”.

Assista ao vídeo:

Foi o primeiro protesto um dia depois de vir à tona que R$ 2 milhões de propinas da Receita Estadual pagaram a reeleição de Richa.

16 de maio de 2015
por esmael
98 Comentários

Presidente do PSDB do Paraná xinga professora de “biscate” pelo Facebook

rossoni_biscateO presidente estadual do PSDB do Paraná, deputado federal Valdir Rossoni (PSDB), neste sábado (16), perdeu a compostura ao xingar pelo Facebook a curitibana professora Adriane Sobanski de “biscate”.

A revelação é da jornalista cascavelense Laís Lainy, em seu blog, o diálogo “inbox” entre a professora e parlamentar tucano.

“Biscate” na linguagem popular significa pessoa que faz serviço ocasional, mulher de vida fácil, vadia ou puta.

O bate-boca entre o deputado e a professora teve início por causa das provocações do tucano, que chamou a presidenta Dilma Rousseff (PT) de “fraca”, “incompetente” e de “enganadora”.

Ex-presidente da Assembleia Legislativa, Rossoni é cotado para assumir uma secretaria no governo Beto Richa (PSDB).

O parlamentar tucano poderá ser indicado ou para a Secretaria da Educação ou para a Casa Civil, cujo cargo ele disputa “na faca” com o atual titular Eduardo Sciarra (PSD).

A atitude sexista e machista do deputado está gerando protestos nas redes sociais desde a manhã de hoje.

Rossoni é reincidente no machismo. Em 2010, pelo Twitter, ele chamou a então estudante Vanessa de Brito de “mal amada”. Na época, houve protestos contra a declaração do deputado.

A seguir, leia a íntegra do relato no blog de Laís Lainy:

16 de maio de 2015
por esmael
44 Comentários

Gazeta do Povo denuncia: Executivo, legislativo e o judiciário se mancomunaram para confiscar previdência dos servidores

richa_prevO jornalista Celso Nascimento, colunista do jornal Gazeta do Povo, na edição deste domingo (17), faz dura denúncia contra os três poderes do Paraná. Segundo o escriba, executivo, legislativo e o judiciário se mancomunaram para saquear a poupança previdenciária de R$ 8,5 bilhões que pertence aos servidores do estado. O primeiro saque teria ocorrido na quarta-feira, dia 13, no valor de R$ 483 milhões.

De acordo com o colunista, o governador Beto Richa (PSDB) teria firmado um “acordo secreto” – não publicado no Diário Oficial ou nos sites oficiais – do qual foram cúmplices o presidente do Tribunal de Justiça, desembargador Paulo Vasconcelos, o procurador-geral de Justiça (Ministério Público), Gilberto Giacoia, o presidente da Assembleia, Ademar Traiano (PSDB), e o presidente do Tribunal de Contas, Ivan Bonilha.

O butim teria sido dividido ainda quando caiam bombas nas cabeças de professores e servidores, no dia 29 de abril, e os deputados votavam em sessão secreta a descapitalização da Paranáprevidência. O tesouro estadual ficou com a maior parte, R$ 234 milhões, e o restante rateado com os poderes já declinados no parágrafo anterior.

Nascimento afirma que o “mingau” não tinha esfriado e os zumbidos das bombas ainda causavam insônia, os servidores já tinha perdido seu dinheiro da aposentadoria e pensões que foram para o pagamento de fornecedores caloteados por Richa. O dinheiro também migrou para as burras dos demais órgãos que teriam o papel de zelar pelo cidadão e pela coisa pública.

O colunista da Gazeta do Povo coloca todos os gatos no mesmo balaio ao abrir suspeição na transação secreta. “A pergunta é: quando e quem poderá fazer o rastreamento das destinações?”, questiona para então ele mesmo responder de maneira fulminante: “Mistério”.

16 de maio de 2015
por esmael
15 Comentários

Propinoduto na Receita Estadual para campanha de Richa ressuscita tese da ‘CPI da Corrupção’ na Assembleia

cpi_corrupcaoA Assembleia Legislativa do Paraná retoma os trabalhados, na segunda-feira (18), acuada pela denúncia de que a Receita Estadual foi roubada para financiar a campanha de reeleição do governador Beto Richa (PSDB). O parlamento volta acuado porque terá de decidir ao menos duas pautas quentes: 1- a instalação da CPI da Corrupção; e 2- votar a mensagem governamental que parcela o aumento de 5% ao funcionalismo.

Leia mais sobre o assalto à Receita Estadual:

Até a Globo mostra propina na reeleição do tucano Beto Richa; assista

Garganta Profunda: “A casa caiu”

R$ 2 milhões roubados da Receita Estadual pagaram a reeleição de Richa

Na verdade estarão acuados os 31 deputados considerados da base governista, que votaram a favor do confisco da poupança previdenciária dos servidores públicos no fatídico dia 29 de abril. Vinte parlamentares, que foram contra o “roubo” da Paranáprevidência sentir-se-ão mais leves, livres e soltos. Eles tendem migrar para a oposição.

Para instalar uma comissão de investigação são necessárias 18 assinaturas de deputados.

16 de maio de 2015
por esmael
20 Comentários

Lucros da Petrobras faz urubus e tucanos quebrarem o bico

do Brasil 247.

Do Valor, há três dias, reverberando as expectativas da urubologia de mercado sobre a Petrobras:

“A Petrobras deve fechar o primeiro trimestre deste ano com um lucro líquido de R$ 2,72 bilhões, resultado 49,5% menor frente aos três primeiros meses do ano passado. A previsão toma como base a média das projeções de cinco bancos de investimento consultados pelo Valor, que indicam, ainda, para uma redução média de 4,7% no faturamento, para R$ 77,73 bilhões, e um crescimento de 23% no Ebitda, para R$ 17,64 bilhões, na mesma base de comparação.”

As previsões eram da Goldman Sachs, do Bradesco, Deutsche Bank e de outras instituições.

Do Valor, agora há pouco:

“A Petrobras encerrou o primeiro trimestre desse ano com lucro de R$ 5,33 bilhões, queda de 1% na comparação com o lucro líquido de R$ 5,393 bilhões apurado no mesmo intervalo do ano anterior.”

Uai, não eram 49,5% de queda?

E a relação entre o resultado antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda) e dívida, que prenunciavam ia explodir, baixou de 4,77 vezes para 3,86, mesmo com a forte desvalorização cambial. Embora o valor nominal tenha crescido (de 282 para 332 bilhões de reais) o aumento, de 18%, foi inferior à depreciação do real (20,8%) e uma enorme parte destas dívidas é, como é natural em grandes empresas e especialmente no setor petroleiro, em dólar.

O fato é que em Nova York, onde não lêem os jornais brasileiros, no “after-hours” da bolsa local,o ADR (correspondente a ações) da Petrobras sobe 4.05% no momento em que escrevo, depois de já ter subido 2% no pregão normal.

Sem contar essa subida noturna, do início do ano para cá, a Petrobras lidera com folga a valorização entre as petroleiras – claro que em boa parte por ter sido atirada, artificialmente, lá em baixo. Subiu 38,4%, contra 12,3% da Shell, enquanto quase todas as outras amargam índices negativos.

Medida por um ano, mais ou menos o tempo em que a lava-Jato começou a repercutir fortemente, a perda é de 32%, menos da metade dos 67% que chegou a cair no pior momento em 12 meses.

Mas nisso entra, com muita força, a desvalorização do petróleo: no mesmo período, a Shell caiu 20,6%: a Total, 25,2%, a italiana Eni, 27,5%, a Exxon e a Chevron, as que menos perderam, tiveram queda em torno de 15%.

Os ratos e urubus não tiveram força para, mesmo tendo causado muito estrago, derrotar a Petrobras.

16 de maio de 2015
por esmael
19 Comentários

Coluna do Jorge Bernardi: Massacre do Centro Cívico foi questão social resolvida a bala como na Guerra do Contestado, há 100 anos

Jorge Bernardi*

O que há em comum entre o massacre dos professores, em 29 de abril deste ano, no Centro Cívico, e a Guerra do Contestado, ocorrida há 100 anos em terras disputadas pelo Paraná e Santa Catarina? A resposta é a cultura da violência que vigora em nossa sociedade e por ela, os conflitos sociais devem ser resolvidos a bala.

Há um século as forças repressoras resolveram os problemas sociais na base da bala do canhão, da metralhadora e do fuzil, levando a morte milhares de camponeses famintos e armados basicamente com espadas e lanças de pau, revólveres e espingardas.

Atualmente usam-se bombas de gás lacrimogêneo, balas de borracha que ferem, física e moralmente, as vítimas, armadas apenas com a força moral.

No século passado, terras ocupadas por sertanejos há gerações, com riquezas naturais (erva mate e araucárias) foram entregues e “vendidas” pelas elites políticas, ao explorador estrangeiro.

Agora o pródigo desgoverno do antes “bom moço”, ameaça a aposentadoria de milhares de funcionários públicos do Paraná.

Os 100 anos que se passaram, infelizmente, não mudaram a cultura da violência, que aqui impera. Enquanto o “Caveirão” jogava água e bombas nos manifestantes, do terceiro andar do Palácio Iguaçu, comissionados aplaudiam e comemoravam como numa arena romana.

Não foi diferente, quando em 1915, chegava a notícia de que 600 “jagunços” haviam sido mortos no reduto de Santa Maria. A verdade era outra, a maioria das vítimas, de Santa Maria (hoje Timbó Grande), foram crianças, mulheres e idosos. Na batalha do Centro Cívico as vítimas foram professores, estudantes, funcionários públicos e alguns militares de baixa patente.

Mas a violência do Centro Cívico ganhou o mundo, milhões de pessoas, em dezenas de línguas, ouviram e assistiram as imagens em que mais de 200 manifestantes foram humilhados em sua dignidade.

A imagem do Paraná, como um estado civilizado, foi irremediavelmente manchada. No contestado, foram mortas de 3 a 8 mil pessoas. E, um século depois, poucos sabem do que lá aconteceu. O genocídio foi estrategicamente escondido.

Quando da assinatura do acordo de limites entre Santa Catarina e o Paraná, encerrando a contenda, o presidente Venceslau Braz disse: “…contestado, onde tantos brasileiros perderam a vida em luta fraticida, e tanto dinheiro foi despendido inutilmente. A solução deste caso encerra um ensinamento e firma um exemplo”.

O massacre do Centro Cívico é uma prova inequívoca de que a lição não foi aprendida pelos nossos governantes. Hoje, como no passado, prevaleceu a força das armas.

*Jorge Bernardi, vereador de Curitiba pelo PDT, é advogado e jornalista. Mestre e do