4 de maio de 2015
por Esmael Morais
27 Comentários

Base governista defenestra Fernando Xavier; novo secretário da Educação será João Carlos Gomes

xavier_joao_beto ... 

Leia mais

4 de maio de 2015
por Esmael Morais
83 Comentários

Executiva do PMDB aprova saída do governo Beto Richa

requiao_roma_richa

A executiva estadual do PMDB aprovou no início da noite desta segunda-feira (4), em Curitiba, resolução que proíbe filiados, deputados e delegados partidários de ocuparem cargos no governo Beto Richa (PSDB).

Com a decisão, o deputado Luiz Cláudio Romanelli (PMDB) terá 30 dias para deixar o posto de líder do governo tucano na Assembleia Legislativa do Paraná.

Segundo o senador Roberto Requião (PMDB), a decisão desta noite hierarquiza a disciplina partidária. “Não é possível o partido participar de um governo que massacra professores e mergulhado na corrupção”, disse. Leia mais

4 de maio de 2015
por Esmael Morais
75 Comentários

Coletiva de Francischini derruba o comandante geral da PM do Paraná

francischini_kogut ... 

Leia mais

4 de maio de 2015
por Esmael Morais
18 Comentários

Deputado Péricles: ‘Massacre dos professores foi planejado e o confisco da previdência desnecessário’

pericles

O deputado estadual Péricles de Melo (PT) assina artigo publicado na edição de ontem (3) do Jornal da Manhã, no município de Ponta Grossa, em que sustenta que o confisco do fundo de previdência dos servidores foi desnecessário, pois, de acordo com ele, as outras medidas do pacotaço do governador Beto Richa (PSDB) já seriam suficientes para equilibrar as contas do Estado.

Partindo desse princípio, de que o confisco não seria fundamental para a sobrevivência do governo, Péricles conclui que a violência empregada pelo secretário de Segurança Pública Fernando Francischini (SDD) foi proposital, “fruto de uma visão programada, de um estilo de governança que tragicamente tem apoio em determinadas parcelas da sociedade, ou seja, a truculência que dá voto e respaldo para esse modelo de fazer política.”

Segundo o artigo de Péricles, “o rombo nas contas públicas, causado pela total incompetência do governo Beto Richa, pode chegar a R$ 6 bilhões, segundo estimativas mais pessimistas, ou a R$ 3 bilhões, na melhor das hipóteses. Isso tudo, apesar do aumento constante de receita do Estado, bem acima da inflação dos últimos quatro anos. Tal distância entre os números se explica pela falta de transparência; as finanças do Estado são uma verdadeira caixa preta.” Leia mais

4 de maio de 2015
por Esmael Morais
31 Comentários

Promotor vê crimes de Richa e Francischini em massacre, mas não crê em punição pela Justiça

chemim_richa_francischini

O promotor de Justiça Rodrigo Régnier Chemim Guimarães, do Ministério Público do Paraná, ao analisar o massacre contra os professores no último dia 29 de abril, em seu perfil no Facebook, diz ver abuso de autoridade do governador Beto Richa (PSDB) e do secretário da Segurança, Fernando Francischini (SD), mas mostra-se bastante cético em relação à punibilidade na Justiça.

“Que ninguém espere muito das respostas penais. O direito penal faz tempo virou pó de traque”, criticou o promotor.

Para Chemim Guimarães, o foro privilegiado de Francischini e Richa livrará ambos da punição. “E aí já viu, a morosidade dos processos nessas Cortes somada às baixas penas acabarão fatalmente conduzindo para a prescrição”, desabafou.

“Impeachment, numa Assembleia que já demonstrou lealdade ao Governador, nem passa pela cabeça”, completou o descrente promotor. Leia mais

4 de maio de 2015
por Esmael Morais
43 Comentários

Educadores planejam barrar agenda da filha da vice-governadora nos NREs

vitoriaA direção da APP-Sindicato de Cascavel decidiu que vai barrar a entrada da filha da vice-governadora Cida Borghetti (PROS), deputada estadual Maria Victoria Barros (PP), no NRE (Núcleo Regional de Educação) de Cascavel.

A deputada é a representante da Assembleia Legislativa no Conselho Estadual de Educação e o posicionamento dela de ignorar o ataque aos professores no último dia 29 de abril, no Centro Cívico, votando favor do confisco da previdência dos servidores, revoltou a categoria.

Segundo o presidente do núcleo da APP em Cascavel, Professor Paulino, já circula nos bastidores da rede estadual que Maria Victoria organiza uma agenda em vários Núcleos Regionais (NREs) para construção de pautas políticas com diretores. E diante dessa informação, os professores se antecipam anunciando que não querem diálogo com a deputada. Leia mais

4 de maio de 2015
por Esmael Morais
55 Comentários

Para salvar Richa, velha mídia nacional “demite” Francischini

Desde a manhã de ontem (3) trama-se no Palácio Iguaçu, sede do governo do Paraná, a queda do secretário da Segurança Pública, Fernando Francischini, o Batman, aponta como responsável pelo massacre contra os professores no último dia 29 de abril.

O jornal O Estado de S. Paulo, o Estadão, edição desta segunda-feira (4), coloca Francischini na “corda bamba” ao responsabilizá-lo pelos excessos da Polícia Militar na semana passada. A reportagem cita o deputado federal Valdir Rossoni, presidente regional do PSDB, como porta-voz do governador Beto Richa (PSDB) para o pedido de demissão do Batman.

“Francischini está deitado no caixão, com algodão no nariz. A demissão é questão de horas. É o método Beto Richa de exonerar auxiliares”, avaliou para o Blog do Esmael um deputado governista.

O jornal Folha de S. Paulo, também edição de hoje, imputa a culpa do massacre a Francischini, mas exime o governador do PSDB de qualquer responsabilidade pela violência policial contra os professores.

Entretanto, o jornalista Ricardo Noblat, d’O Globo, faz leitura diferente em seu blog. Aponta o governador Beto Richa como culpado pelo massacre. Ele cita os apelos do prefeito de Curitiba, Gustavo Fruet (PDT), e do ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, para que o tucano parasse de atirar bombas contra os professores.

Resta saber: Francischini, responsável ou não, assumirá a bronca sozinho ou vai arrastar junto o mandante do massacre contra os professores?

Leia mais

4 de maio de 2015
por Esmael Morais
13 Comentários

Artigo: 29 de Abril, dia de Luto e reflexão em defesa da democracia

eltonnelsi

Artigo de Elton Carlos Welter e Nelsi Kistemacher Welter*

O dia 29 de abril ficará na memória do povo paranaense! A data será lembrada como o dia de luta dos funcionários públicos do Estado do Paraná que estiveram em Curitiba, lutando bravamente para não serem saqueados e, mais do que isso, lutando para terem o direito de se manifestar. Quando professores, funcionários da saúde, estudantes, agentes penitenciários e aposentados foram atacados com bombas de gás lacrimogêneo e spray de pimenta, não foram só eles os atingidos fisicamente e psicologicamente. NOSSA DEMOCRACIA FOI ATINGIDA!

Daqueles que estiveram na Praça Nossa Senhora da Salete no crucial dia 29 de abril de 2015, esperamos rápida recuperação, mas sabemos que as feridas da humilhação são as mais corrosivas. Recebam nossa solidariedade e nosso forte abraço, além do nosso sentimento de indignação. Leia mais

4 de maio de 2015
por Esmael Morais
33 Comentários

Professores prometem marchar sobre Beto Richa nesta terça-feira

lemos

Milhares de educadores marcharão nesta terça-feira, 5 de maio, exigindo a saída do governador Beto Richa (PSDB) do cargo. O magistério paranaense acredita que o tucano não tem mais condições de continuar à frente do executivo estadual, após o massacre do dia 29 de abril. Até o desfecho desse imbróglio as 2,1 mil escolas da rede pública continuam 100% paradas em todo o estado.

Amanhã, delegações de várias partes do estado e do país se reunirão a partir das 9 horas na Praça 19 de Dezembro – a tradicional Praça do Homem Nu – para um novo protesto no Centro Cívico, em frente à Assembleia Legislativa e do Palácio Iguaçu, onde ocorrerá um “Ato Nacional” contra a violência.

Richa quer minimizar a crise com a educação oferecendo a cabeça do secretário da pasta, Fernando Xavier, e do titular da Segurança, Fernando Francischini, conforme anunciou ontem (3) o deputado federal Valdir Rossoni, presidente do diretório regional do PSDB. Leia mais

4 de maio de 2015
por Esmael Morais
49 Comentários

Coluna da Gleisi Hoffmann: O Paraná sem rumo e os crimes de Beto Richa

gleisi_protesto_richaGleisi Hoffmann*

Beto Richa consumiu os quatro anos de seu primeiro mandato sem conseguir fazer nada de importante para o nosso Estado. Tirando, é claro, a falência das contas públicas. Não há uma estrada, uma ponte, uma boa escola que o governador possa apresentar como marca de seu trabalho.

É verdade que percorreu todo o Paraná, gabando-se de ter visitado todos os municípios do Estado. E com a gastança que promoveu, inclusive em publicidade e cooptação de aliados de ocasião, conseguiu manter uma aura de governo atuante.

A gastança continuou durante o processo eleitoral e sustentou a grande aliança que o levou à reeleição. “O melhor está por vir” repetia Beto Richa diante das dúvidas e críticas ao desempenho medíocre de seu governo.

Antes mesmo de encerrar-se o ano de 2014, o governador, sem reconhecer claramente que havia quebrado o Paraná, promoveu o primeiro de seus pacotes, aumentando impostos, jogando sobre a população mais pobre e sobre as pequenas empresas a conta dos seus desmandos financeiros.

E no início de 2015, veio a segunda parte de um pacote malvado de ajustes, tentando destruir o plano de carreira dos professores, conquista de quase trinta anos de luta. A reação dos trabalhadores o obrigou a recuar, mas Richa voltou à carga com o principal ponto do seu projeto: apropriar-se dos recursos poupados pelos servidores no Fundo Previdenciário, para cobrir o rombo nas contas do Tesouro Estadual.

Acho até que, pela pressa e ansiedade em aprovar o projeto e considerando a repressão violenta, num massacre muito pior do que os professores haviam sofrido em 1988, já tenha o governador usado parte dos recursos. Leia mais

4 de maio de 2015
por Esmael Morais
65 Comentários

Coluna do Luiz Cláudio Romanelli: Salário mínimo regional como instrumento de inclusão social

romanelli_ctpLuiz Cláudio Romanelli*

O novo piso do salário mínimo regional, que entrou em vigor no dia 1º de maio, vai ampliar o poder aquisitivo dos trabalhadores, aumentar o consumo e induzir o crescimento da economia paranaense. O piso do salário mínimo regional do Paraná é o maior do país, e contempla quatro categorias de trabalhadores que vão receber os valores de R$ 1.032,02 (agropecuária), R$ 1.070,33 (domésticos, comércio e serviços), R$ 1.111,04 (atividades industriais) e R$ 1.192,45 ( técnicos de nível médio).

Os critérios para o reajuste foram definidos pela Lei 18.059/2014 – que fixa os valores do Piso Salarial do Estado do Paraná e sua Política de valorização – assegurando para 2015, um ganho real para os trabalhadores. O aumento do piso regional no Paraná foi de 8,8%.

O percentual de aumento concedido neste ano é fruto de uma política bienal, 2014/2015, e, portanto, serve de referência para reajustes de outras categorias de trabalhadores. O piso regional é um instrumento para regulamentar o salário de categorias profissionais que não têm convenção ou acordo coletivo de trabalho, ou seja, para os que não estão protegidos por sindicatos que os representem em negociações. Leia mais