UEPG também para contra confisco da previdência pelo governo Richa

uepg_paralisacaoOs professores da Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG) vão paralisar suas atividades nesta quinta-feira, dia 16, contra o confisco da poupança previdenciária dos servidores públicos estaduais.

A UEPG é a quinta instituição de ensino superior a parar no estado, esta semana, contra o governo Beto Richa (PSDB). Ontem, UEL, UENP, UNESPAR e Unioeste também paralisaram contra a medida que ameaça a previdência do funcionalismo.

Os docentes universitários, a exemplo dos da educação básica, representados pela APP-Sindicato, são contra a proposta que retira R$ 140 milhões ao mês do Fundo da Previdência.

O Sinduepg (Sindicato dos Docentes da UEPG), a medida reduz de 57 para 29 anos a solvência do fundo, o que pode compromete pensões e aposentadorias futuras.

Nesta quarta-feira (15), o Fórum de Entidades Sindicais (FES), que reúne 18 sindicatos de servidores, condenou a tramitação do projeto governamental em regime de urgência na Assembleia Legislativa.

Em documento enviado à Assembleia, o FES pediu hoje a retirada de urgência na tramitação do projeto que mexe no fundo. O colegiado alegou que não há anuência do Ministério da Previdência, conforme adiantou esta manhã o Blog do Esmael.

No próximo dia 25 de abril, em Londrina, a APP-Sindicato realiza assembleia geral do magistério estadual. Boa parte dos educadores defende a retomada da greve contra o desmonte na educação pública e o confisco da previdência.

Comentários encerrados.