Terceirização: Hoje tem ‘a mãe de todas as batalhas’ em Brasília

Deputado Eduardo Cunha, presidente da Câmara, prometeu aos empresários aprovação da lei que fragiliza os trabalhadores brasileiros; ou seja, agora quer entregar a qualquer custo a terceirização (precarização) da mão de obra no país; sem dúvida alguma, o Congresso tende consentir uma volta aos tempos do escravagismo, por isso Brasília poderá viver hoje a 'mãe de todas as batalhas'.

Deputado Eduardo Cunha, presidente da Câmara, prometeu aos empresários aprovação da lei que fragiliza os trabalhadores brasileiros; ou seja, agora quer entregar a qualquer custo a terceirização (precarização) da mão de obra no país; sem dúvida alguma, o Congresso tende consentir uma volta aos tempos do escravagismo, por isso Brasília poderá viver hoje a ‘mãe de todas as batalhas’.

O presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), mandou ontem (7) descer o sarrafo nos manifestantes contra a lei da terceirização (precarização) do trabalho. Cerca de 3 mil protestavam sob o comando da Central Única dos Trabalhadores (CUT) e da UNE (União Nacional dos Estudantes).

A pancadaria em frente ao Congresso fez com que a votação fosse adiada para hoje, mas a prévia que colocou o PL 4330/04 em ‘regime de urgência’ não é nada animadora para o mundo do trabalhado. Foram 316 votos a favor, 166 contra e 3 abstenções.

A ‘mãe de todas as batalhas’ foi transferida para esta quarta-feira, dia 8, em Brasília, que promete um dia muito quente.

De um lado, estará o Brasil que sonha em voltar aos tempos do escravagismo, sem leis, sem direitos sociais, que flerta com o retrocesso.

De outro o mundo moderno preocupado com o bem-estar e saúde do trabalhador, com o avanço e o futuro do país; eis os dois Brasis que se confrontarão hoje à tarde, novamente, no Distrito Federal. Trata-se de um uma contradição real entre capital x trabalho.

Governo e PT são contra a proposta de regulamentação da terceirização do trabalho, pois eles veem com a medida precarização da mão de obra e impacto negativo na economia do país.

Comentários encerrados.