Richa fez escola no PSDB. Alckmin contrata cibertucano para atacar o PT

Compartilhe agora!

cibertucanos_ptO jornal Folha de S. Paulo registrou hoje (18) que o governador Geraldo Alckmin (PSDB), de São Paulo, paga mensalmente R$ 70 mil para que um blogueiro, que navega anonimamente na internet, ataque a presidenta Dilma Rousseff e o PT.

O expediente do paulista é o mesmo utilizado pelo governador do Paraná, Beto Richa (PSDB), que mantém um bunker no Palácio Iguaçu. De lá, cibertucanos atiram anonimamente contra adversários políticos.

Nas eleições de 2014, os senadores Gleisi Hoffmann (PT) e Roberto Requião (PMDB) foram os alvos prediletos dos cibertucanos paranaenses. Eles agiam sob o guarda-chuva da franquia tucana “Tenda Digital” — que foi proibida na disputa pelo Palácio Iguaçu.

Entre os “sócios” com direito à cadeira cativa na “Tenda Digital”, durante a campanha eleitoral, estavam o lobista Luiz Abi Antoun – primo de Beto Richa que puxou uma semana de cadeia por fraude em licitação – e Marcelo “Tchello” Caramori, o Taradão do Palácio Iguaçu, que também viu o sol nascer quadrado sob a acusação de pedofilia (clique aqui).

O cibertucano de Alckmin chama-se Fernando Gouveia. Ele atua na rede com o pseudônimo de Gravataí Merengue, que se apresenta como “CEO” do site de extrema-direita Implicante — hospedado no exterior para fugir às leis brasileiras, que proíbem o anonimato.

Como se vê, Beto Richa faz escola nacionalmente.

Compartilhe agora!

Comments are closed.