Por 31 votos a 15, Assembleia aprova regime de urgência para confisco da Previdência; assista ao vídeo

Publicado em 14 abril, 2015
Compartilhe agora!

Rasca e Requião Filho protestaram contra o regime de urgência para votar a Previdência; "Somente uma grande mobilização da sociedade para barrar o confisco da poupança dos servidores", diz o peemedebista.
Rasca e Requião Filho protestaram contra o regime de urgência para votar a Previdência; “Somente uma grande mobilização da sociedade para barrar o confisco da poupança dos servidores”, diz o peemedebista.
O governo Beto Richa (PSDB) tem pressa para abocanhar a poupança previdenciária dos servidores públicos do Paraná. Na tarde desta terça-feira (14), por 31 votos a 15, a Assembleia Legislativa aprovou tramitação em regime de urgência do projeto que confisca o dinheiro da previdência.

O líder do governo, deputado Luiz Cláudio Romanelli (PMDB), comemorou a façanha depois do perrengue que passou ontem. O Palácio Iguaçu recuou diante da “rebelião” em sua base, mas hoje recompôs a maioria.

Com o resultado desta tarde, os governistas podem colocar o projeto para votação a qualquer momento.

Para o deputado Requião Filho (PMDB), vice-líder da oposição, e que votou contra o Regime de Urgência, mais uma vez o governo faltou com a palavra. “O governador Beto Richa falou que o projeto seria discutido e debatido até o tema ser tratado a exaustão, para que todas as dúvidas fossem sanadas. Mas o projeto não é bom, não foi debatido o suficiente e agora precisa passar à toque de caixa. É lamentável”.

O deputado Rasca Rodrigues, que ontem bateu boca com Romanelli, também protestou:

“Não faz sentido colocar o projeto em regime de urgência se ele é retroativo a janeiro, pois não há impacto econômico ao governo. Nosso posicionamento continua em favor da tramitação sem atropelos”, defendeu Rasca.

Pela nova proposta do governo, ao invés de abocanhar os R$ 8 bilhões de uma vez só, como pretendia antes da ocupação da Assembleia, agora Richa pretende sacar mensalmente R$ 140 milhões do fundo previdenciário.

Aos pouquinhos dói menos? Os servidores dizem que não. Prova disso que 4 universidades já estão paralisadas hoje. O governo tucano parece estar empurrando o funcionários públicos para mais uma greve geral. A conferir.

Assista ao momento da votação do regime de urgência:

Veja como votou cada deputado no regime de urgência para o confisco da previdência dos servidores do PR

Compartilhe agora!

Comments are closed.