Palácio Iguaçu dispara contra Gaeco em dia de novas prisões

tchello_gaeco_palacioNesta quarta-feira (1º), o Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), braço policial do Ministério Público do Paraná, prendeu mais dois auditores da Delegacia Receita Estadual de Londrina. Coincidência ou não, surgiram hoje disparos contra os promotores londrinenses Jorge da Costa e Claudio Esteves. Especialistas veem as digitais do Palácio Iguaçu nessa ação.

Palacianos teriam vazado foto antiga em que o fotógrafo Marcelo “Tchello” Caramori, o “Taradão do Palácio Iguaçu”, quando ainda era assessor especial do governador Beto Richa (PSDB), posando ao lado dos promotores do Gaeco de Londrina.

Não é a primeira vez que a tropa de choque tucana ataca as investigações do Gaeco. Recentemente, o próprio governador atacou os agentes do órgão. Segundo Richa, os promotores “têm sido muito raivosos” e que teriam “fortes ligações políticas com o governo anterior” (o senador Roberto Requião, do PMDB).

O primo do governador, o lobista Luiz Abi Antoun, é apontado como chefe de quadrilha pelos investigadores do Gaeco, por isso a ira de Richa.

O Gaeco investiga a conduta de funcionários públicos e empresários em três frentes: pedofilia, fraude em licitações e propinas na Receita Estadual que podem ultrapassar R$ 1 bilhão.

Hoje à tarde, foram cumpridos mais três mandados de prisão em Londrina. Trata-se de desdobramento da Operação Publicano (Receita). Outras pessoas poderão ser detidas nas próximas horas, inclusive em Curitiba.

Comentários encerrados.