Confisco da previdência pode ser o mico do ano na Assembleia do PR

A charge "bancada do camburão" é de Paixão, originalmente na Gazeta do Povo.

A charge “bancada do camburão” é de Paixão, originalmente na Gazeta do Povo.

Os deputados estaduais estão prestes a embarcar, pela segunda vez, numa espécie de “camburão” pilotado pelo governador Beto Richa (PSDB). A figura de linguagem utilizada pelo Blog do Esmael é para exemplificar ao leitor o tamanho da roubada que os parlamentares governistas estão prestes a entrar novamente, se votarem em regime de urgência o pacote de ajuste do tucano que prevê o confisco de R$ 140 milhões ao mês da poupança previdenciária de 200 mil servidores públicos.

A primeira tentativa de confisco dos R$ 8 bilhões do fundo previdenciário, em fevereiro, terminou com a invasão da Assembleia Legislativa. Os deputados, sobretudo os novatos, pagaram o pato mesmo sem a votação do pacotaço de maldades de Richa. Pelo interior do estado, esses governistas são rotulados publicamente como membros da “bancada do camburão”.

A lição de dois meses atrás não foi pedagógica ao Palácio Iguaçu. Não é que Richa fatiou o pacote de maldades e agora quer confiscar a previdência do funcionalismo aos poucos, mensalmente?

Por causa da votação em regime de urgência do projeto da previdência, professores da Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG) entraram em greve hoje por tempo indeterminado. Outras instituições estaduais de ensino superior deverão fazer o mesmo nos próximos dias.

Neste sábado (25), em Londrina, professores e funcionários das 2,1 mil escolas da rede pública estadual realizam assembleia geral da APP-Sindicato (clique aqui). Não está descartado o retorno ao movimento paredista suspenso no início de março, depois de um mês de paralisação.

O fato é que os deputados estaduais governistas, que formam maioria na Assembleia, podem até aprovar a ‘toque de caixa’ o confisco da previdência. Mas, segundo a bancada federal em Brasília, o projeto será vetado pelo Ministério da Previdência. Para corroborar essa tese dos “Superamigos”, o ministro da pasta, Carlos Gabas, participará de audiência pública na próxima terça-feira (28), no Congresso Nacional, visando dar o recado ao governo Richa — e consequentemente aos deputados da “bancada do camburão”.

Ou seja, os governistas podem obter uma “Vitória de Pirro” na Assembleia. Podem ganhar no voto, mas não valerá na prática. Ficarão com o desgaste da tentativa de confisco da previdência e isso, na véspera de 2016, pode ser fatal para quem pensa na reeleição de 2018. Isto já ocorreu na legislatura passada quando deputados aprovaram o Caixa Único (CU) com os depósitos judiciais, mas fora barrado pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ).

A tendência é que o confisco da previdência se converta no mico do ano na Assembleia Legislativa. É esperar e conferir.

Comentários encerrados.