Por Esmael Morais

Após derrota na Justiça, servidores da saúde de Curitiba encerram greve

Publicado em 01/04/2015

calotefOs servidores municipais da saúde de Curitiba decidiram no fim da tarde da terça-feira (31) por fim à greve iniciada no dia anterior. A decisão foi tomada em assembleia da categoria após a paralisação ter sido considerada ilegal e abusiva pela Justiça.

Os motivos da paralisação foram o descumprimento do acordo que pôs fim à greve anterior, em fevereiro. Segundo o Sindicato dos Servidores Público Municipais (Sismuc), o prefeito Gustavo Fruet (PDT) estaria “aplicando um calote” nos novos pisos da categoria, em horas extras e outros benefícios dos servidores.

Mesmo com a greve encerrada, o Sismuc promete manter a mobilização e recorrer da decisão judicial. Há uma concentração de servidores marcada para a manhã de hoje em frente a prefeitura além do indicativo de retomada da paralisação na segunda-feira, dia 06, caso a prefeitura não pague os valores acordados.

A saída da greve veio rápido com a ajuda da Justiça, mas não foi sem custo político para Fruet. Vários militantes do PT declararam apoio ao Sismuc e aos servidores condenando a “judicialização” da greve, veja o exemplo do grupo Diálogo e Ação Petista. Muitas lideranças do partido da vice-prefeita defendem, cada vez mais, que já passou da hora de desembarcar dessa canoa.