20 de Abril de 2015
por esmael
15 Comentários

Sem emprego no governo Richa, presidente da UGT-PR manda currículo para locutor de rodeio; ouça o áudio

rossi_fernanda_beto_butkaQue o presidente da União Geral dos Trabalhadores (UGT), seção Paraná, Paulo Rossi, foi preterido do cargo de secretário do Trabalho pelo governador Beto Richa (PSDB) o leitor já sabe. O tucano preferiu juntar a pasta à Secretaria da Família cuja titular é sua esposa Fernanda Richa. Leia mais

20 de Abril de 2015
por esmael
11 Comentários

Gleisi inaugura obras no interior. Richa se esconde do povo no Palácio

gleisi_obra_transbrasilianaQuase quatro meses após a posse, a impressão é que Beto Richa (PSDB) não venceu as eleições de 2014. Os adversários que concorreram com o ele, exibem semblantes de vencedores. Buscam exposição ante um governador apático que foge de aparições públicas como o diabo foge da cruz. Só vem à luz sob um forte esquema de segurança, com populares mantidos à distância mínima de 1 km. Leia mais

20 de Abril de 2015
por esmael
26 Comentários

Professores retomam esta semana greve geral contra governo Beto Richa

Professor Hermes Leão, presidente da APP-Sindicato: “Não admitimos que o projeto seja votado com tanta pressa. Queremos o debate, pois temos a nossa proposta para o regime de previdência”.

Professor Hermes Leão, presidente da APP-Sindicato: “Não admitimos que o projeto seja votado com tanta pressa. Queremos o debate, pois temos a nossa proposta para o regime de previdência”.

Professores da Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG), a partir desta quarta-feira (22), entram em greve por tempo indeterminado. A paralisação é motivada pela tentativa de confisco, pelo governador Beto Richa (PSDB), da poupança previdenciária dos servidores públicos do Paraná. As demais instituições estaduais de ensino superior também deverão cruzar os braços nos próximos dias. Leia mais

20 de Abril de 2015
por esmael
11 Comentários

Temer frustra mídia golpista: ‘relatório do TCU não dá base a impeachment’

do Brasil 247

dilma_temer_fachinO vice-presidente da República, Michel Temer (PMDB), rechaça a possibilidade de impeachment da presidente Dilma Rousseff tendo como motivação o relatório do Tribunal de Contas da União (TCU) que apontou descumprimento da Lei de Responsabilidade Fiscal nas contas de 2014.

“O primeiro ponto é que essa é a primeira conclusão do Tribunal de Contas. Ainda é um processo embrionário. O segundo ponto é que não diz respeito exatamente às contas, mas à suposta — e digo entre aspas — “maquiagem” das contas governativas. Não sei se isso poderia dar ensejo a um fundamento jurídico para pedir o impeachment. Eu acho que não dá. Eu acho que essa história de falar em impeachment cria uma certa instabilidade que não é útil para o país. Se um dia surgir um fato gravíssimo, revelador da desconformidade da atuação do governo com as regras constitucionais que enseje essa possibilidade, tudo bem. Mas agora estamos falando de um relatório e vamos chamar as autoridades para esclarecer pontos. Tem o relatório, tem esclarecimentos, tem a defesa. Esse é um processo que leva muito tempo. Eu penso que não há perigo”, afirmou ele em entrevista concedida ao jornais O Dia e Brasil Econômico e ao portal IG.

Segundo Temer, trata-se apenas de um relatório que será submetido a um processo muito longo, com “três a quatro anos para chegar ao final”. Na entrevista, ele afirmou ainda não acreditar que o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), irá promover a reprovação pelo Senado da indicação de Luiz Fachin para ministro do Supremo Tribunal Federal (STF). O gesto de retaliação tem sido aventado pelo fato de o indicado de Renan para ministro do Turismo, Vinicius Lages, ter sido afastado do cargo a fim de abrir espaço ao atual ministro, o ex-presidente da Câmara Henrique Eduardo Alves (PMDB-PB). “O presidente Renan não teria essa pequenez, essa mesquinharia”, reage.

20 de Abril de 2015
por esmael
30 Comentários

Coluna da Gleisi Hoffmann: “Previdência não pode ser confiscada por Richa em regime de urgência”

gleisi_previdencia_richaGleisi Hoffmann*

A previdência é um dos patrimônios importantes para as pessoas depois de uma vida de trabalho. Para os servidores do Estado do Paraná, os recursos depositados mensalmente no Fundo de Previdência, com descontos dos salários e com recursos de tributos pagos por toda a sociedade, são justamente o lastro, a garantia de receber a merecida aposentadoria, depois de tantos anos servindo ao Estado. Leia mais

20 de Abril de 2015
por esmael
69 Comentários

Coluna do Luiz Cláudio Romanelli: “Educação e trabalho”

romanelli_colunaLuiz Cláudio Romanelli*

Na crise é preciso repensar a estratégia de desenvolvimento do estado, e investir no nosso maior capital, que é o humano. O contínuo crescimento econômico e a geração de empregos, por conta do ambiente criado no estado do Paraná nos últimos anos, trouxeram diversos benefícios para sociedade. O Paraná tem sido referência no ensino profissionalizante e na qualificação da sua mão de obra – duas frentes muito importantes para oportunizar melhores condições para superar a desigualdade social e os desequilíbrios.

Em 2015, a rede de ensino profissionalizante do estado matriculou 76 mil jovens – em 353 escolas em 185 municípios – interessados em um diferencial para o mundo do trabalho. São 56 mil estudantes em cursos técnicos, em 12 diferentes eixos, o que representa 19% do total de alunos matriculados no ensino médio. Muito próximo da meta nacional que é de 25%, é um esforço que tem válido a pena, pois nos últimos quatro anos dobrou o número de alunos. Pesquisa da indústria divulgada no início de março mostra que no país somente 8% dos alunos fazem algum curso profissionalizante.

Nosso estado é o que mais qualifica sua mão de obra, pois, além dos 56 mil jovens em cursos técnicos, temos mais de 20 mil estudantes no curso para formação de docentes. A rede de Centros Estaduais de Educação Profissional – CEEPs se expande em 80%. São mais 18 novas unidades, em diversas regiões, que estão abrindo mais 20 mil vagas, além da ampliação e reforma de outras 23 escolas estaduais de ensino profissional.

Para quem está acostumado a falar mal do Paraná, nossa rede de escolas estaduais de educação profissional é três vezes maior que a dos gaúchos e duas vezes maior que a de Minas Gerais e Bahia – estados que muito investiram na educação profissional nos últimos anos.