Trabalhadores da limpeza pública de Curitiba mantêm greve

coleta.jpgReunidos em assembleia geral na tarde de quarta-feira (18), os trabalhadores da limpeza pública de Curitiba decidiram manter a greve por melhores salários e melhores condições de trabalho.

Eles rejeitaram a proposta intermediada pelo Ministério Público do Trabalho que oferecia reajuste de 9,7% nos salários e 16% nos tíquetes (10% em março e 6% em setembro). Nova rodada de negociação está marcada para a tarde de hoje, quinta-feira (19/3), com a intermediação do MPT.

Representados pelo Sindicato dos Empregados em Empresas de Asseio e Conservação (Siemaco) e pelo Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários (Sitro), ambos filiados à UGT, são mais 3 mil trabalhadores em greve.

As reivindicações são de reajuste salarial de 20% e reajuste de 30% no vale alimentação; além de melhores condições de trabalho. De acordo com o Siemaco, a empresa contratante não respeita o número mínimo de 3 coletores por caminhão de lixo, os varredores estão sendo obrigados a fazer serviços de jardinagem, os uniformes de verão não foram entregues até agora e não há equipe específica preparada para limpeza de acidentes.

Em cumprimento a decisão judicial, 40% dos trabalhadores voltaram ao trabalho na manhã de hoje, garantindo o mínimo de coleta de lixo e limpeza das ruas para não prejudicar a cidade.

Comentários encerrados.