Primo de Richa saiu da prisão para organizar novo protesto contra Dilma?

richa_rua_abi.jpg“O judiciário concedeu um ‘auxílio-moradia’ a Luiz Abi Antoun ao mandá-lo para casa”, primo do governador Beto Richa (PSDB), que foi solto ontem à noite depois de uma semana na cadeia. A irônica observação acima é do senador Roberto Requião (PMDB).

O senador peemedebista desconfia que o parente do tucano foi posto em liberdade para organizar o novo protesto pelo impeachment da presidenta Dilma Rousseff (PT) previsto para o dia 12 de abril.

O Brasil inteiro ficou surpreso na semana passada com a informação de que o primo do governador do PSDB, 24 horas antes de ser preso por fraude em licitação, foi às ruas naquele dia 15 de março contra o governo “corrupto” da presidenta Dilma Rousseff (PT). O moço foi apontado pelo Gaeco como “líder de uma quadrilha” que atuava dentro do governo do Paraná.

A desconfiança de que Luiz Abi vai organizar a próxima manifestação contra Dilma tem razão de ser, pois o time que comanda as redes sociais anti-PT e anti-Dilma chama-se “Tenda Digital”. Atua a partir de um bunker instalado no Palácio Iguaçu, sede do governo estadual, em Curitiba.

Na propaganda do movimento “Vem Pra Rua Curitiba” a conversa é “nada de partidos”. Mas, na verdade, a turma que está por trás da organização é da pesada… Tem asas e bico grande…

Além dessa turma palaciana ligada a Abi e ao próprio governador Beto Richa, as manifestações pró-impeachment contam ainda com a entusiasmada participação da tropa do deputado licenciado e secretário de Estado do Desenvolvimento Urbano Ratinho Júnior (PSC) — filho do apresentador Carlos Massa, o Ratinho, que recentemente apareceu na lista do SwissLeaks-HSBC.

Recentemente, o deputado Requião Filho (PMDB) pediu ao Gaeco a quebra do sigilo dos computadores do Palácio do Iguaçu. O parlamentar recebera denúncias apontando relação do fotógrafo do governador Marcelo “Tchello” Caramori, preso em Londrina por pedofilia, com a tal “Tenda Digital”.

Comentários encerrados.