‘Primo de Beto Richa chefiava quadrilha no governo do Paraná’, aponta Ministério Público

Na foto do Réveillon em Foz do Iguaçu, o governador Beto Richa aparece bem descontraído ao lado do primo Luiz Abi e do colega de corrida das 500 Milhas, Márcio Albuquerque Lima, ambos presos pelo Gaeco.

Na foto do Réveillon em Foz do Iguaçu, o governador Beto Richa aparece bem descontraído ao lado do primo Luiz Abi e do colega de corrida das 500 Milhas, Márcio Albuquerque Lima, ambos presos pelo Gaeco.

O Grupo de Atuação de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), braço policial do Ministério Público do Paraná, firmou convicção de que o lobista Luiz Abi Antoun, primo do governador Beto Richa (PSDB), chefiava uma quadrilha que atuava dentro do governo do Paraná.

O parente do tucano está preso desde segunda-feira (16) em Londrina, Norte do estado, em virtude de fraude em licitação no valor de R$ 1,5 milhão destinado ao reparo de veículos do governo do estado.

Segundo o promotor Cláudio Esteves, do Gaeco londrinense, os casos de corrupção nas licitações de oficinas mecânicas, de fraude na Receita Estadual e de pedofilia se entrelaçam porque algumas mesmas pessoas estariam envolvidas em crimes diferentes.

Ao longo da semana, o Palácio Iguaçu vinha se “desfazendo” do parentesco entre Luiz Abi e Beto Richa, mas as coincidências da relação umbilical entre ambos só aumentam a cada dia.

Primeiro com o destacamento do advogado da liderança do governo na Assembleia para atender o primo. Depois, surgem registros fotográficos da aproximação do governador com pelo menos duas pessoas presas.

Numa das fotos que o Blog do Esmael teve acesso com exclusividade, Richa comemora o Réveillon em Foz do Iguaçu ao lado de Márcio Albuquerque Lima, delegado da Receita Estadual preso fraude que pode chegar até R$ 500 milhões e o primo Luiz Abi, apontado pelo Gaeco como chefe da quadrilha.

Leia também:

Gaeco faz balanço de prisões por corrupção no governo do PR

É de perder as contas: Gaeco prende mais 16 por corrupção na Receita Estadual do Paraná

Comentários encerrados.