Nomeação prometida por Richa não sai e 463 professores ficam a “ver navios”

463.jpgÉ uma novela igual as da TV. Tem reviravoltas, clímax, anticlímax, vilões cruéis que parecem se divertir com a desgraça alheia e tudo mais. Assim é a situação da educação no Paraná. Quem mais sofre são os estudantes que perdem em qualidade de ensino e aprendizado. Mas um grupo de professores, “os 463”, merece um capítulo à parte e aquela expressão máxima: “ninguém merece!”

Em matéria publicada na semana passada o Blog do Esmael relatou que a nomeação dos 463 professores restantes aprovados no concurso público vigente seria efetivada na última sexta-feira (20). A nomeação não aconteceu, ficou para o fim do mês. Será?

De calote em calote, o governo Beto Richa (PSDB) vai levando os educadores no bico e descumprindo o acordo que pôs fim à greve de um mês.

Para que os leitores entendam melhor o caso e o desrespeito que esses professores vem sofrendo desde o ano passado, publicamos a seguir um e-mail enviado ao Blog do Esmael pelo professor Milton Giaretta, um dos 463 que aguardam a nomeação:

Boa tarde, Esmael.

Meu contato objetiva buscar o apoio do “Blog do Esmael”, importante voz na política paranaense, para a nossa causa.

Me chamo Milton Giaretta, sou professor e faço parte do chamado “Grupo dos 463” professores que foram convocados para a distribuição de aulas no final de 2014 e depois foram esquecidos pelo Governo do Estado.

Muitos de nós, assim como eu, pediram demissão de seus antigos empregos a fim de assumir padrão na Rede Estadual de Ensino. Afinal, mesmo não estando nomeados oficialmente, nem a mais sádica das almas imaginaria que, após termos assumido as aulas, sermos encaminhados às escolas, nos apresentado aos diretores, o governo apareceria com um boné virado na cabeça, dizendo: “Pegadinha do Malandro, ié, ié!!” Mas foi bem isso que ocorreu.

Uma das pautas imprescindíveis da greve dos professores era a nomeação de todos os convocados no final de 2014. O governo havia empossado cerca de 4.500 professores, faltando ainda 1.500, aproximadamente. Ao final da greve, foram empossados mais alguns, atendendo parcialmente ao compromisso assumido com os grevistas diante do Judiciário. Faltaram 463, cuja nomeação ocorreria na semana seguinte, o que não se confirmou.

No dia 12 de março (se não estou enganado) a chefe de Recursos Humanos da SEED, Graziela Andreolla, em entrevista ao Paraná TV – primeira edição, afirmou categoricamente que seríamos nomeados na segunda-feira seguinte, para imediatamente tomarmos posse, já que há falta de professores em toda a rede. A promessa não se cumpriu. Alcançada por uma professora que faz parte dos 463, via mensagem telefônica, ela informou que o processo sofreu um pequeno atraso e que, no máximo até sexta-feira passada, iríamos “ver os nossos nomes publicados no Diário Oficial do Estado. O DiOE de sexta saiu na quinta à noite. E nada de nomeação.

Na sexta-feira entramos em contato com a APP, com deputados, com a SEED e agora a promessa é de que até o final de março seremos nomeados. A APP perdeu força no nosso caso, já que se o governo simplesmente não nos nomeasse, ela não teria apoio para uma nova greve. Muitos de nós estiveram lutando pelos direitos dos demais professores. Mas os professores não lutarão pela nossa causa. No máximo se farão solidários, mas jamais sairão às ruas por 463 não nomeados.

Temendo uma eventual artimanha do nosso governador ou de seu secretário E.T., peço que nos ajude. Sua voz é muito importante pra nós.

Um forte abraço!
Milton Giaretta
Professor desempregado

Comentários encerrados.