Em Curitiba, greve dos trabalhadores da limpeza pública avança para o 2º dia

siemaco.jpgOs coletores de lixo, varredores, roçadores e serventes da limpeza pública de Curitiba iniciaram na manhã desta terça-feira (17) uma greve por tempo indeterminado. Eles reivindicam aumento salarial e melhores condições de trabalho.

Os 2.500 trabalhadores rejeitaram a proposta de empresa Cavo, de reajuste salarial de 4% para 7,7% em março e mais 1,3% em setembro nos salários e 10% de reajuste nos tíquetes.

O presidente do Sindicato dos Empregados em Empresas de Asseio e Conservação (Siemaco), Manassés de Oliveira, ao Blog do Esmael, disse agora à noite que a categoria continuará em greve nesta terça. Segundo ele, o Ministério do Trabalho está intermediando as negociações com a Cavo, empresa responsável pelo serviço de limpeza da cidade.

De acordo com o sindicato, a empresa não respeita o número mínimo de 3 coletores por caminhão de lixo; que os varredores estão sendo obrigados a fazer serviços de jardinagem; que os uniformes de verão não foram entregues até agora e que não há equipe específica preparada para limpeza de acidentes.

Manassés de Oliveira disse ainda que “é o momento da Cavo e Prefeitura de Curitiba reconhecerem o trabalho desses funcionários que fazem da nossa cidade uma referência na limpeza”.

Com informações do Siemaco.

Comentários encerrados.