Deputados são “mais mal avaliados” na gestão Traiano que na de Rossoni, compara Gazeta do Povo

O agora deputado federal Valdir Rossoni, ex-presidente da Assembleia, agradava mais à  população com seu famoso cheque sem fundos, diz levantamento da Paraná Pesquisas, divulgada hoje pela Gazeta do Povo; segundo Murilo Hidalgo, diretor do instituto, o governador Beto Richa puxou para o buraco os deputados estaduais que foram reprovados pela média de 3,2, cujo índice vai de zero a dez.

O agora deputado federal Valdir Rossoni, ex-presidente da Assembleia, agradava mais à  população com seu famoso cheque sem fundos, diz levantamento da Paraná Pesquisas, divulgada hoje pela Gazeta do Povo; segundo Murilo Hidalgo, diretor do instituto, o governador Beto Richa puxou para o buraco os deputados estaduais que foram reprovados pela média de 3,2, cujo índice vai de zero a dez.

O jornal Gazeta do Povo, edição deste sábado (7), divulga sondagem da Paraná Pesquisas, com notas de zero a 10, atribuídas pelos eleitores aos deputados estaduais da Assembleia Legislativa.

Sob a gestão Ademar Traiano (PSDB), os paranaenses dão hoje nota 3,2 aos parlamentares. Há menos de três meses, na época do também tucano Valdir Rossoni, o índice não era bom, mas estava em 5,55.

Portanto, a queda na popularidade do governador Beto Richa (PSDB), que despencou para 19,9% de aprovação — com índice de 76,1% de reprovação –, também foi acompanhada pelos deputados estaduais que ficaram com o “boletim vermelho” perante o eleitorado (veja abaixo).

Para o diretor-presidente da Paraná Pesquisas, Murilo Hidalgo, a péssima avaliação dos parlamentares tem a ver com o embate com os professores no último mês.

Isso não fez mal apenas ao governador, mas também aos parlamentares!, avaliou Hidalgo, lembrando que os educadores são de uma categoria querida pela sociedade. Por isso, no interior do estado, todos prestaram atenção como votaram os deputados!.

Veja o “boletim vermelho” dos deputados na gestão do “professor” Traiano:

boletim_vermelho

Comentários encerrados.