Depois de Richa negar parentesco, primo Luiz Abi deverá voltar à Penitenciária de Londrina

richa_abi_gaeco.jpgO governador Beto Richa (PSDB), ao que parece, atirou ao mar hoje o próprio primo, Luiz Abi Antoun, preso na última segunda-feira (16) pelo Grupo de Atuação de Combate ao Crime Organizado (Gaeco).

Segundo o promotor Cláudio Esteves, do Gaeco londrinense, os casos de corrupção nas licitações de oficinas mecânicas, de fraude na Receita Estadual e de pedofilia se entrelaçam porque algumas mesmas pessoas estariam envolvidas em crimes diferentes.

Em entrevista à Rádio CBN Londrina, o tucano negou que tenha parentesco próximo com o primo preso sob a acusação de liderar uma quadrilha dentro do governo do Paraná. “Até pelo Código Civil, é um parentesco tão distante que não é nem considerado parente. Mas, enfim. Está lá (detido), se deve tem que pagar e está sendo investigado”, disse.

O curioso é que o juiz da Vara de Execuções Penais (VEP) de Londrina, Katsujo Nakadomari, na quarta (18), transferiu Luiz Abi da Penitenciária Estadual de Londrina (PEL II) para uma sala do Corpo de Bombeiros, alegando justamente que a transferência se deu pelo parentesco do preso com o governador do estado.

Logo, se Richa abandonou o primo Luiz Abi, negando o parentesco, cai por terra a decisão do juiz que apontou “medida de segurança do detento” devido ligação consanguínea com o governador do PSDB.

“Tenho relação social com ele como com várias outras pessoas. Todos sabem que eu tenho muitos amigos, um grande círculo de relação social. Agora, jamais posso responder por erros de qualquer uma dessas pessoas”, lavou as mãos Beto Richa.

Ao longo da semana, o Palácio Iguaçu vinha se “desfazendo” do parentesco entre Luiz Abi e Beto Richa, mas as coincidências da relação umbilical entre ambos só aumentam a cada dia.

Primeiro com o destacamento do advogado da liderança do governo na Assembleia para atender o primo. Depois, surgem registros fotográficos da aproximação do governador com pelo menos duas pessoas presas.

Numa das fotos que o Blog do Esmael teve acesso com exclusividade, Richa comemora o Réveillon em Foz do Iguaçu ao lado de Márcio Albuquerque Lima, delegado da Receita Estadual preso fraude que pode chegar até R$ 500 milhões e o primo Luiz Abi, apontado pelo Gaeco como chefe da quadrilha.

Comentários encerrados.