Por Esmael Morais

Coluna do Requião Filho: “Sexo, droga e corrupção no governo Beto Richa”

Publicado em 12/03/2015

Requião Filho, em sua coluna desta quinta, aponta relações perigosas entre Beto Richa e investigados por corrupção milionária na Receita e pedofilia em Londrina; tucano era íntimo do fotógrafo Marcelo Caramori, o Tchello, por exemplo, que tinha cargo DAS-5 (chefia) no governo do Paraná. Abaixo, leia a íntegra do texto do deputado do PMDB.

Requião Filho, em sua coluna desta quinta, aponta relações perigosas entre Beto Richa e investigados por corrupção milionária na Receita e pedofilia em Londrina; tucano era íntimo do fotógrafo Marcelo Caramori, o Tchello, por exemplo, que tinha cargo DAS-5 (chefia) no governo do Paraná. Abaixo, leia a íntegra do texto do deputado do PMDB.

Requião Filho*

A gestão transparente do governo estadual é algo impressionante. Para saber informações sobre seus funcionários é mais fácil pedir intervenção do além, do que ter acesso a dados que deveriam ser públicos. Já protocolamos vários requerimentos pedindo informações e até agora o silêncio impera. O que o governo esconde? Por que mente quando diz que não sabe onde o sujeito trabalha? Mistério… silêncio… cri cri cri…

No escândalo da vez, o megaesquema de Londrina, envolvendo sexo, drogas e corrupção, o governo tem sistematicamente omitido informações. São diversos requerimentos de informação que estão “perdidos” na burocracia do Estado, ou chegando com respostas esdrúxulas do tipo “não sabemos onde trabalha e muito menos quem indicou”.

Será que a Governadoria, a Casa Civil e a Receita estão tão bagunçadas assim?

Como pode um cargo de chefia nomeado desde 1!º de julho de 2014 pertencer! a alguém desconhecido? Como pode um fotógrafo, com o nome do governador tatuado no braço estar nomeado sem que ninguém saiba quanto recebe e a quem responde?

Por que tanto sigilo envolvendo este caso de Londrina? A quem se protege? Que grupo, organização, quadrilha ou caterva tem tanta influência sobre o governo, que se recusa a passar as mais simples informações sobre seus funcionários?

Quem são os corruptores da Receita?

Milhões de reais desviados, sete auditores investigados, suspeitos de encher os bolsos de dinheiro ilícito, e ainda meninas exploradas sexualmente… Parece que tudo isto pouco significa ao atual governo. Tornou-se corriqueiro, banal… Será?

O sigilo absoluto impera e o caos político toma conta do cenário. Como acreditar na seriedade de um governo que não sabe quem são seus servidores?

Dizem que o governo esta tomando as medidas cabíveis… Que ações são essas, se sequer respondem nossos requerimentos? Medidas de vassoura, só podem… Varrem tudo para debaixo do tapete. Haja tapete para esconder tamanho esqueleto!

*Requião Filho é advogado, deputado estadual pelo PMDB, vice-líder da oposição na Assembleia Legislativa do Paraná, especialista em políticas públicas. Escreve à s quintas no Blog do Esmael.