Coluna do Reinaldo de Almeida César: “O Caveirão do Chorume”

O delegado da Polícia Federal, Reinado de Almeida César, ex-secretário de Segurança do Paraná no primeiro mandato do governador Beto Richa (PSDB), interinamente, escreve nesta sexta no lugar de Ricardo Mac Donald; o interino analisa o passeio dos deputados dentro do camburão no fatídico 12 de fevereiro; Não consigo, então, conceber ter sido ideia do secretário Francischini esta sandice de colocar deputados no Camburão e tomar a dianteira das ações!, crava o ex-titular da Segurança; abaixo, leia a íntegra da coluna.

O delegado da Polícia Federal, Reinado de Almeida César, ex-secretário de Segurança do Paraná no primeiro mandato do governador Beto Richa (PSDB), interinamente, escreve nesta sexta no lugar de Ricardo Mac Donald; o interino analisa o passeio dos deputados dentro do camburão no fatídico 12 de fevereiro; Não consigo, então, conceber ter sido ideia do secretário Francischini esta sandice de colocar deputados no Camburão e tomar a dianteira das ações!, crava o ex-titular da Segurança; abaixo, leia a íntegra da coluna.

Reinaldo de Almeida César* (interino)

Tivesse acontecido no Rio, o GLOBO daria em manchete que deputados chegaram no Caveirão. à‰ assim que o veículo é conhecido por lá. Agora, se houve frouxos intestinais em uma de suas excelências na chegada à  Assembleia por aqui, já é outra estória. Ficou para o folclore político nativo.

Não consigo aceitar a tese de que o uso do camburão foi ideia do secretário Francischini.

O secretário é um policial experimentado. Foi tenente da PM, Agente e Delegado da PF. Tem pleno conhecimento que qualquer manual raso, básico mesmo, define as restritas hipóteses de emprego de veículo de transporte de tropas especiais.

O secretário Francischini sabe como poucos manejar as ferramentas do marketing pessoal. Em menos de uma década de vida pública, tornou-se fonte qualificada de jornalistas e até publicou um livro sobre possíveis façanhas de sua carreira policial. Ele é um self made man na política local. Difícil achar no cenário político do Paraná quem tenha melhor senso de oportunidade da notícia.

O uso do Camburāo seria um enorme risco de imagem para o secretário e para os passageiros daquela insensatez.

Deu no que deu. A imagem dos deputados saindo do Camburão ainda custará muito aos nobres parlamentares.

Acho que alguém deve ter vendido a doença para vender o remédio. Pintaram aos ilustres deputados um quadro de terror, o povo ensandecido cortaria cabeças e promoveria empalamentos à  luz do dia, em plena praça.

Por outro lado, se desse tudo certo na viagem do Camburão, os ilustres deputados ficariam devendo favores para todo sempre ao patrono da medida, que, além disso, faturaria na mídia. Beleza. O problema é que tinha tudo para dar errado. E deu. Alguém apontou a alça e a massa de mira para o próprio pé. E, dedo leve, acionou o gatilho.

Só quem é da lide democrática, com militância no movimento estudantil, sindical ou social, sabe que há emoção, dinâmica e evolução em movimentos de massa. O Camburão acirrou os ânimos, jogou gasolina na fogueira.

à‰ sofrível ver as imagens do secretário Francischini tomando um safanão na porta do Camburão. O peso dos anos é cruel para todos nós. O secretário visivelmente fora de forma, trôpego, cambaleante, tentando se livrar, correndo para se esconder atrás do cordão policial, para só então, depois e recomposto, aparecer valente ordenando o caminho aos deputados. Parecia um General Radamés, à s avessas, em versão bufa.

Não foi boa orientação colocar o secretário no plano tático, conduzindo no local uma operação daquela natureza. Melhor seria o secretário ter coordenado o gabinete de crise, próximo ao perímetro, nas cercanias do teatro de operações, recebendo informações, prospectando e avaliando cenários, tomando decisões, aconselhando o governador. Isto é absolutamente imprescindível para preservar a autoridade e manter íntegro o comando.

A presença e proatividade do secretário em hora e local errado teve um custo alto. Experimente colocar “FRANCISCHINI DANà‡OU” no Google ou Youtube. Pode escolher a versão que lhe apetecer, de valsa a funk, passando por um secretário milongueiro, bailando tango.

O secretário sempre sonhou em titularizar a pasta da Segurança. Lutou por isso, da forma como poucos fariam. A temerária operação Camburāo/Caveirão poderia colocar em risco sua permanência no cargo, algo que lhe é tão caro. Afinal de contas, secretário de Segurança, em momentos de crise, é como fusível elétrico. Sacrifica-se para não se perder o todo. Fleury demitiu do cargo de secretário de Segurança, em São Paulo, seu melhor amigo, Pedro Franco de Campos, para se safar do desgaste do Carandiru. àlvaro Dias não teve o mesmo pragmatismo, apiedou-se e manteve Antonio Lopes de Noronha na SESP.

Fleury terminou o governo e se elegeu deputado federal, com grande votação. àlvaro levou mais de uma década para ser novamente vitorioso nas urnas e até hoje, passados trinta anos, o fato ocorrido em seu governo ainda tem recall negativo junto aos professores.

Não consigo, então, conceber ter sido ideia do secretário Francischini esta sandice de colocar deputados no Camburão e tomar a dianteira das ações.

Acho mesmo que alguém, na antevéspera do Carnaval vestiu a fantasia de Erasmo Dias e assim decidiu. São os mistérios insondáveis do governo.

Para saciar nossa curiosidade, algum dia nós saberemos de fato o que ocorreu. Nada, absolutamente nada, fica encoberto para sempre em matéria de governo nas cercanias do Centro Cívico e do São Lourenço. Pode demorar um pouco, mas algum dia o véu é suspenso e a verdade se revela.

*Reinaldo de Almeida César, delegado da Polícia Federal em Curitiba, foi secretário da Segurança Pública do Paraná na primeira gestão do governo Beto Richa. Escreve hoje interinamente no lugar de Ricardo Mac Donald.

48 Comentários

Os comentários não representam a opinião do Blog do Esmael; a responsabilidade é do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

  1. cartierbraceletlove If a guest showed up, that tin would already be empty at our house!
    imitation prix collier alhambra van cleef arpels http://www.collanaqualitagioielli.cn/fr/van-cleef-arpels-replica-c3/

  2. I ve learned alot from this website
    bracelet cartier love replica http://www.thislovebangle.cn/

  3. Hoje o Francischini respondeu o Reinaldo. Deveria ter ficado quieto. Foi raso, bufão, atrapalhado e de péssimo gosto. Só confirmou o que foi dito acima, a PM é que teve sorte.

  4. francisquine foi aluno do tiririca em brasilia porisso fez a palhassada

  5. Vaidade, nada mais do que vaidade. Na vida alguns aprendem a combater os vícios. Não é o caso do Francischini. Para quem prendeu o Abadia isso é lamentável!!!

  6. Adorei seu texto, todo real, engraçado, mas é verdade.Usarei em aulas de Geografia no Colégio Estadual Professor Loureiro Fernandes.

  7. Excelente texto!!!!!!!!! Só o Franscischini para ter uma idéia dessa natureza. Não há palavra que possa definir a atitude desse senhor que se diz secretário!!!! Lamentável atitude e motivo de vergonha aos Deputados que se sujeitaram a essa idéia. Só um Secretário imbecil e incompetente para fazer isso. Agora a fuga desse senhor, é de gargalhar sem parar… kkkkkkkkkkkkk!!!!!!!

  8. Congratuçaões, Dr. Reinaldo. Com elegância despiu o bobo da corte !

  9. Muito pertinente e oportuno o texto. Realmente é um mistério que Francischini tenha posto os deputados no Caveirão. Ideia infeliz? tiro no próprio pé? Há algo errado.

  10. Por isso que largou mão de ser delegado, não tinha talento para a carreira e virou político, mais fácil, até o Beto Richa diz que é político…

    • Não entendo porque tanta polêmica por aqueles senhores estarem num camburão!
      Estavam em seu habitat natural e de lá jamais deveriam ser tirados!Concordam?

  11. E disse que prendeu o traficante Abadia,quem prendeu foram os policiais.Não prende nem um bando de porquinho da índia

  12. Acho que nenhum vale nada,a maioria de grandes patentes têm pouca experiencia e caso tenha seus superiores não dão creditos…Ridiculos…

  13. Nosso secretario e uma vergonha adora aparecer!!

  14. Francischini hoje é uma piada nacional.

  15. A propósito do liquido mal cheiroso, corre a boca pequena em Maringá (4 deputados no Camburrão), que o disparo do volume morto veio do valente Secretário. Acho improvável mas não tem aquela história de que o cara que agride os homos no fundo é porque ele tem uma queda….pois é: Valentão pode se borar todo …vai saber…

  16. Cada povo tem o governo que merece!!
    E como disse o Renan… “Depois a democracia corrige os excessos”!!
    Enquanto esse povão não aprender votar, vamos continuar nessa M****DA!!

  17. Franciscini, a vergonha da segurança publica do Paraná.

  18. CORAGEM tem nome e sobrenome: PROFESSOR DA REDE PÚBLICA!

    PARABÉNS ao professor que impediu o secretário “bunda mole” de liberar a corja de bandidos do camburão.

    #a luta continua… Beto Richa a culpa é tua!!!

  19. No ganância de querer aproveitar uma oportunidade de aparecer na mídia, e quem sabe melhorar sua imagem para uma futura candidatura o “abestado” misturou-se ao lixo de parlamentares e junto afundou-se na fossa que virou o governo no Paraná.Francischini hoje é uma piada nacional.

  20. Perceberam que a RPC TV não fala nada sobre os 8 bilhões do parana previdencia que o beto richa quer tomar do funcionalismo?

  21. Texto muito coerente, pena que não seja mais secretário de Segurança. Com certeza o Parana teria outros indices na segurança publica.

  22. Reinaldo, foi SANDICE sim a atitude do filho da dona Tânia Destito !

  23. REINALDINHO, POR FAVOR, EU SÓ QUERO SABER QUEM FOI O “CAGÃO” DO CAMBURÃO.

  24. Amigos, depois daquela Valsa Vienense Dancada pelo Secretario…Com certeza hoje ele deve estar pensando em ser bailarina…Ops…Bailarino.kkkkkkkkkk Afinal quem e aquele professor?

  25. espero que o episódio do afrouxamento intestinal não fique só no folclore da politica nativa. Espero que até a proxima campanha descubram quem foi o cagão e explorem isso, vou achar engraçadissimo. Se fosse pra apostar no autor da “obra”, eu apostaria no francisquini junior. A mistura de adrenalina, consciencia pesada e geladinho colorido não deve fazer bem para as entranhas.

  26. Concordo com o Reinaldo César,a função de um Secretário de Estado é executiva,representar a secretaria,controlar,monitorar,administrar,tomar decisões e jamais fazer o trabalho operacional,esse é para os soldados e comandantes do pelotão.Francischini fez um papel ridículo,maculou a imagem da SESP e não tem condições morais para continuar no cargo,pois enquanto continuar será alvo de chacotas e quando o comandante perde o respeito não tem como insistir.

  27. Esta matéria (???? pfff) Parece coisa de piá de prédio…que perdeu o lugar no jogo, recolheu a bola e disse, não brinco mais…Levou um pé na bunda pois foi incompetente a ponto de deixar policial empurrando camburão na rua, e agora quer cutucar com vara curta quem assumiu pra consertar as cagadas que fez… Teto de vidro em casa de puta é foda…

  28. Delegado,
    Também ando meio fora de forma. Tenho corrido dia sim, dia não 10,5 km, buscando minha antiga forma. Nos dias não, tenho feito spinning e musculação.
    Fosse eu secretário de segurança pública desta província paulista, tentaria ao menos aparecer com uma imagem menos “rotunda”, por assim dizer…
    De fato, a imagem de “cocô parrudo francisquinho” enroscado ao professor e depois saindo correndo tropegamente, quase aos trambulhões, antes de ser trágica (para ele e para o governo que representa), é cômica ao extremo.
    Tal esquete de “A Praça Nossa Senhora de Salete é Nossa!”, é digna do premio Shell de humorístico.
    Se roem de raiva, o Pânico na TV, Zorra Total, 220 Volts, Vai Que Cola, e outros tantos programas deste gênero. Nunca tiveram a capacidade de elaborar um quadro tão hilário.
    Ah, já ia me esquecendo delegado, parabéns pelo artigo!

  29. Perfeita a análise do dr. Reinaldo. Mas acho que ele exagerou na elegância do texto que, embora crítico, ainda tentou “defender” o maior bufão do Centro Cívico. Uma vergonha para o governo Beto Richa que, se fosse sensato e inteligente, já teria mandado seu secretário de (in)Segurança catar coquinho.

  30. Reinaldo sempre foi um gênio, na minha concepção de ideia, desde a época do nosso movimento estudantil liderado pela sempre bela Valéria Prochmann, na UPE. Seu artigo está maravilhosamente claro e também compartilho do seu pensamento, pois presenciei a triste cena em que um valente e sofrido professor de camisa vermelha o retirou a força da porta do “Camburão”. Como diria o velho e bom amigo Neylor Toscan: “O Trem está parando”, e neste caso foi o Camburão do Francischini quem parou . EM TEMPO: o Beto está perdendo a oportunidade de ser um bom governador. Ouvi do Deonilson Roldo, quando o Beto perdeu a eleição para o Requião, que “O Paraná perdeu a chance de ter o melhor governador”, mas hoje o que parece é bem o contrário do seu pensamento, ou seja, ele está conseguindo ser pior do que o Álvaro Dias e o Lerner juntos.

  31. Francisquini não sumiu, o governo que não tem verbas para as palhaçadas dele.

  32. Grande Reinaldinho ! Nosso mascotinho do pmdb jovem. Essa cena jamais será esquecida! Quem montou essa operação deve ser parente do Jerry Levis rsrsrsrsrs ou dos 3 patetas! rsrsrsrsrsrs Onde te acho amigo Reinaldinho! jf

  33. Magnífico texto. Nossa! Eu também gostaria de saber como um homem de tão elevado conhecimento de segurança pode imaginar que aquela sandice desse certo! Ainda mais cercado de pessoas revoltadas com o descaso, roubos e outras maldades do governo. Coitado! Espero que o povo guarde vivo na memória esse feito do Fernando Francischini MANDE ELE FAZER SEGURANÇA NA CADEIA!!

  34. Parabéns Reinaldo, excelente texto.
    Na minha humilde opinião, a ideia do marqueteiro era de que os nobres deputados tendo que chegar “protegidos” pelo veiculo e todo o aparato policial, incluindo o Batman, transformariam os manifestantes em ameaça, ou seja, para o resto da população, os servidores grevistas malvados ameaçavam os pobres deputados que só queriam poder exercer seu “trabalho” de votar um projeto…

  35. Parabéns pelo texto, Delegado, carinhosamente Reinaldinho… Seu pai sente orgulho junto do Criador…

  36. Parece-me que a atitude tida como inconsequente por parte do Secretário de Segurança, tenha sido desencadeada por níveis de desespero e pressão sofrida para que os deputados do Beto( sim, do Beto…deixaram de ser do povo) estivessem presentes na ALEP…
    A causa “deseperadorística” todos podem imaginar…mas a consequência?? Valeu o momento?? Mistérios políticos em ação…

  37. Ninguem consegue ser ator todo tempo, em algum momento da vida a mascara cai, Francischini em 3 meses de atuação sumiu da mídia !

  38. Quando eu era criança, no interior de São Paulo, a gente falava assim:

    “Correu de medo, cagou no dedo, pediu um paninho pra limpar o dedo”!

  39. Belíssimo e coerente artigo!!! Mais uma “vestal” desmascarada!!!

  40. O Bibinho foi inocentado depois que roubou o erário da ALEP, é tudo tramoia e favas contadas , para não dar em nada aqui como diz casoy : isto é uma vergonha!!!
    Esta turma do justus, richa, cassio, derosso, sempre impunes…até quando???acorda Povo!!
    http://www.gazetadopovo.com.br/vida-publica/tj-anula-condenacoes-de-bibinho-bdlgngzq201sl0kb71tl5mu29?ref=capa-m

    • Hoje podemos chamar o Brasil do pais da hipocresia pois todos os hipócritas movidos a revista veja e Tv globo elegeram o PT como bode espiatorio enquanto todos os outros ficam livres enquanto todos apontam pra gleisi e seu pedofilo o playboy cara de pau e seu pedofilo continuam rindo a toa