Blog do Esmael

A política como ela é em tempo real.

6 de março de 2015
por esmael
176 Comentários

Educadores podem encerrar greve na segunda-feira, informa líder do PMDB

O deputado Nereu Moura, líder do PMDB na Assembleia, saiu animado de uma audiência de conciliação, nesta sexta-feira (6), entre o Tribunal de Justiça do Paraná (TJPR), governo do estado e APP-Sindicato.

De acordo com o parlamentar, foi elaborado documento sintetizando “acordo” entre as partes [governo e APP] que será apreciado na próxima segunda-feira, dia 9, à s 8h30, em Curitiba, durante assembleia geral dos educadores na Vila Capanema (estádio do Paraná Clube).

Agora a última palavra está nas mãos da assembleia dos professores que irá acontecer segunda-feira que vem!, disse o deputado.

A audiência contou com a participação, além de Nereu Moura, do comando da greve da APP e representando o governo, o deputado Luiz Cláudio Romanelli (PMDB), o secretário de Educação, Fernando Xavier, e o chefe da Casa Civil, Eduardo Sciarra.

Apesar do otimismo do líder do PMDB, a APP-Sindicato segue afirmando que a greve continua!. A entidade representativa dos professores e funcionários de escolas confirma que somente a assembleia geral da categoria pode pôr fim ou continuar a greve que hoje completou 26 dias.

Ao longo desta sexta, a APP-Sindicato publicou várias “pílulas” nas redes sociais informando as conquistas da categoria durante o movimento paredista e sinalizando que o fim da paralisação está próximo: “Decreto garante nomeação de 1015 pedagogos”; “PDE: Resolução da SEED estabelece nova turma para 2o semestre”; Fundo Rotativo: Governo deposita R$ 8 milhões referente atrasados de 2014″; e “Desistência da fusão da Previdência e do Pacotaço”.

Leia a íntegra do documento oficial firmado entre governo do estado e APP-Sindicato:

COMPROMISSOS DO PARANà COM A EDUCAà‡àƒO PÚBLICA

Considerando a reunião havida entre o Governo do Estado, presentes o Secretário Chefe da Casa Civil, Eduardo Francisco Sciarra, o Secretário de Estado da Educação, Fernando Xavier Ferreira, o Líder do Governo na Assembleia Legislativa, Deputado Luiz Claudio Romanelli, os Deputados Nereu Moura e Professor Lemos e pelo Comando de Greve da APP-Sindicato, Hermes Silva Leão, Walkíria Olegário Mazetto, Celso José dos Santos, Luiz Carlos Paixão da Rocha e Rodrigo Tomazini, Nasser Ahmad Allan, com mediação do Desembargador Luiz Mateus de Lima, no dia 06 de março de 2015, no Tribunal de Justiça do Paraná, apresentam-se os compromissos assumidos pelas partes com vistas à  solução do conflito coletivo:

1 – PROJETOS DE LEI – O Governo comprometeu-se a não apresentar qualquer projeto de lei que suprima direitos dos servidores públicos e, em particular, dos educadores. Os projetos que estavam tramitando na Assembleia Legislativa foram retirados no dia 12 de fevereiro.

2 – PARANà PREVIDàŠNCIA – Permanece como está. Durante este mês de março, o Governo promoverá um amplo debate, com a participação do Fórum de Servidores Públicos, da APP-Sindicato e do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social. Após esgotado o processo de análise, inclusive com a participação do representantes dos poderes Judiciário, Legislativo, Tribunal de Contas e do Ministério Público do Paraná, a melhor proposta será encaminhada à  Assembleia Legislativa. Desde já, está descartada a hipótese de extinção do Fundo de Previdência da ParanáPrevidência, e os

6 de março de 2015
por esmael
22 Comentários

Paraná Pesquisas: 71% dos eleitores londrinenses se arrependeram de reeleger o tucano Beto Richa

Beto Richa é reprovado até no berço, Londrina, que sempre o acolheu nas corridas de Kart e Stock Car. Segundo a Paraná Pesquisas, de Murilo Hidalgo, 76,6% dos londrinenses reprovam a gestão do tucano e 71% não repetiriam o voto para reelegê-lo, caso a eleição fosse hoje. Que fase!

Beto Richa é reprovado até no berço, Londrina, que sempre o acolheu nas corridas de Kart e Stock Car. Segundo a Paraná Pesquisas, de Murilo Hidalgo, 76,6% dos londrinenses reprovam a gestão do tucano e 71% não repetiriam o voto para reelegê-lo, caso a eleição fosse hoje. Que fase!

Nesta sexta-feira (6), caiu o último bastião do governador Beto Richa (PSDB): Londrina. à‰ o que revela sondagem da Paraná Pesquisas, publicada hoje pelo Jornal de Londrina. “71% dos eleitores londrinenses não repetiriam voto no governador tucano”, diz o instituto de Murilo Hidalgo. Leia mais

6 de março de 2015
por esmael
18 Comentários

Blog do Esmael transmite ao vivo, à s 16h, debate inédito sobre confisco de R$ 8 bi do Fundo da Previdência

Daqui a pouco, a partir das 16h, o Blog do Esmael vai transmitir ao vivo um inédito debate sobre a extinção do fundo do Paranáprevidência. A ideia do governo Beto Richa (PSDB) é criar um Caixa Único (CU) com os recursos da contribuição previdenciária.

A contenda ocorrerá nos estúdios da TV 15 com participação de Munir Karam, ex-presidente da entidade, Heron Arzua, ex-secretário da Fazenda, e os deputados estaduais Requião Filho, Anibelli Neto e Nereu Moura.

O leitor/espectador também poderá participar do confronto enviando perguntas, pois o evento será interativo (online). A mediação caberá ao repórter César Setti.

Ontem (5), o Ministério da Previdência Social e a Advocacia-Geral da União (AGU) emitiram parecer contrário ao confisco de R$ 8 bilhões da poupança previdenciária dos servidores públicos paranaenses.

A TV 15 é um canal na internet que é disponibilizado pelo senador para cobertura de eventos, movimentos sociais e discussões de interesse da sociedade.

Transmissão encerrada à s 17h40.

Assista ao vídeo:

6 de março de 2015
por esmael
45 Comentários

Duelo entre delegados da Polícia Federal vira baixaria no governo Richa

francischini_richa_ronaldinho.jpgA discussão sobre a Segurança Pública desceu à  cloaca nesta sexta-feira (6) no Paraná. O quiproquó começou hoje cedo, quando o delegado da Polícia Federal Reinaldo de Almeida César, ex-secretário da pasta no primeiro mandato do governador Beto Richa (PSDB), escreveu um artigo especial para o Blog do Esmael criticando o atual titular no cargo, Fernando Francischini, por transportar deputados estaduais dentro de um camburão da PM (clique aqui para ler O Caveirão do Chorume!). Leia mais

6 de março de 2015
por esmael
23 Comentários

Mais um protesto pelo ‘impeachment’ de Beto Richa neste sábado

impea.jpgNeste sábado, dia 7, à s 16 horas, na Praça Santos Andrade (UFPR), em Curitiba, terá início o segundo ato pelo ‘impeachment’ do governador Beto Richa (PSDB). No primeiro ato realizado há duas semanas, mais de 5 mil pessoas foram à s ruas pelo Fora Beto!, e, de lá pra cá, o desgaste do governador só fez aumentar. Leia mais

6 de março de 2015
por esmael
25 Comentários

PSDB do Paraná usa TV estatal para atacar PT e Dilma. Acorda Berzoini!

eparana_antipt_dilma.jpgO governador Beto Richa (PSDB), do Paraná, tem utilizado a concessão pública da TV Educativa, rebatizada como éParaná, para fazer proselitismo contra petistas e atacar a presidenta Dilma Rousseff (PT).

A emissora estatal tem destacado nos telejornais o suposto envolvimento da senadora Gleisi Hoffmann (PT) na lista da operação Lava Jato — que investiga desvios de recursos da Petrobras — e o sumiço do marido dela, o ex-ministro das Comunicações Paulo Bernardo.

éParaná também vem reservando espaço para ataques contra Dilma como, por exemplo, na última quarta (4) quando exibiu um protesto pelo “Fora Dilma” no município de União da Vitória, na região Sul.

Poder-se-ia dizer que a cobertura era factual, mas a emissora estatal não faz o mesmo em relação à s manifestações que pedem impeachment de Richa. Pelo contrário. A TV concessionada para o governo do estado é bastante usada, sem dó nem piedade, para atacar a greve dos professores e funcionários de escolas — só para ficar num exemplo.

A éParaná vem sendo tocada desde janeiro deste ano pelo jornalista Sérgio Kobayashi, um tucano importado de São Paulo conhecido pelo fanatismo antipetista.

Essa não foi a primeira vez que a éParaná sacaneia Dilma. Em outubro de 2011, Richa mandou censurar o discurso da presidenta que era transmitido ao vivo pela TV estatal. Na cerimônia, o governo federal anunciava R$ 1,75 bilhão para a construção do metrô na capital paranaense. No lugar da fala da petista a emissora exibiu o desenho animado Cocoricó! (clique aqui para relembrar).

O diabo nisso tudo é que o ministro das Comunicações, Ricardo Berzoini, continua dormindo. Em dezembro de 2014, quando fora anunciado para substituir Bernardo, o moço mostrava-se “valente” para regular a mídia e seus excessos. Parece até que já “afrouxou a tanga”.

Como diria a Ana Maria Braga, “acoooorda, menino!”.

A seguir, assista aos vídeos da éParaná com ataques contra Dilma e o PT:

6 de março de 2015
por esmael
48 Comentários

Coluna do Reinaldo de Almeida César: “O Caveirão do Chorume”

Reinaldo de Almeida César* (interino)

Tivesse acontecido no Rio, o GLOBO daria em manchete que deputados chegaram no Caveirão. à‰ assim que o veículo é conhecido por lá. Agora, se houve frouxos intestinais em uma de suas excelências na chegada à  Assembleia por aqui, já é outra estória. Ficou para o folclore político nativo.

Não consigo aceitar a tese de que o uso do camburão foi ideia do secretário Francischini.

O secretário é um policial experimentado. Foi tenente da PM, Agente e Delegado da PF. Tem pleno conhecimento que qualquer manual raso, básico mesmo, define as restritas hipóteses de emprego de veículo de transporte de tropas especiais.

O secretário Francischini sabe como poucos manejar as ferramentas do marketing pessoal. Em menos de uma década de vida pública, tornou-se fonte qualificada de jornalistas e até publicou um livro sobre possíveis façanhas de sua carreira policial. Ele é um self made man na política local. Difícil achar no cenário político do Paraná quem tenha melhor senso de oportunidade da notícia.

O uso do Camburāo seria um enorme risco de imagem para o secretário e para os passageiros daquela insensatez.

Deu no que deu. A imagem dos deputados saindo do Camburão ainda custará muito aos nobres parlamentares.

Acho que alguém deve ter vendido a doença para vender o remédio. Pintaram aos ilustres deputados um quadro de terror, o povo ensandecido cortaria cabeças e promoveria empalamentos à  luz do dia, em plena praça.

Por outro lado, se desse tudo certo na viagem do Camburão, os ilustres deputados ficariam devendo favores para todo sempre ao patrono da medida, que, além disso, faturaria na mídia. Beleza. O problema é que tinha tudo para dar errado. E deu. Alguém apontou a alça e a massa de mira para o próprio pé. E, dedo leve, acionou o gatilho.

Só quem é da lide democrática, com militância no movimento estudantil, sindical ou social, sabe que há emoção, dinâmica e evolução em movimentos de massa. O Camburão acirrou os ânimos, jogou gasolina na fogueira.

à‰ sofrível ver as imagens do secretário Francischini tomando um safanão na porta do Camburão. O peso dos anos é cruel para todos nós. O secretário visivelmente fora de forma, trôpego, cambaleante, tentando se livrar, correndo para se esconder atrás do cordão policial, para só então, depois e recomposto, aparecer valente ordenando o caminho aos deputados. Parecia um General Radamés, à s avessas, em versão bufa.

Não foi boa orientação colocar o secretário no plano tático, conduzindo no local uma operação daquela natureza. Melhor seria o secretário ter coordenado o gabinete de crise, próximo ao perímetro, nas cercanias do teatro de operações, recebendo informações, prospectando e avaliando cenários, tomando decisões, aconselhando o governador. Isto é absolutamente imprescindível para preservar a autoridade e manter íntegro o comando.

A presença e proatividade do secretário em hora e local errado teve um custo alto. Experimente colocar “FRANCISCHINI DANà‡OU” no Google ou Youtube. Pode escolher a versão que lhe apetecer, de valsa a funk, passando por um secretário milongueiro, bailando tango.

O secretário sempre sonhou em titularizar a pasta da Segurança. Lutou por isso, da forma como poucos fariam. A temerária operação Camburāo/Caveirão poderia colocar em risco sua permanência no cargo, algo que lhe é tão caro. Afinal de contas, secretário de Segurança, em momentos de crise, é como fusível elétrico. Sacrifica-se para não se perder o todo. Fleury demitiu do cargo de secretário de Segurança, em São Paulo, seu melhor amigo, Pedro Franco de Campos, para se safar do desgaste do Carandiru. àlvaro Dias não teve o mesmo pragmatismo, apiedou-se e manteve Antonio Lopes de Noronha na SESP.

Fleury terminou o governo e se elegeu deputado federal, com grande votação. àlvaro levou mais de uma década para ser novamente vitorioso nas urnas e até hoje, passados trinta anos, o fato ocorrido em seu governo ainda tem recall negativo junto aos professores.

Não consigo, então, conceber ter sido ideia do secretário Francischini esta sandice de colocar deputados no Camburão e tomar a dianteira das ações.

Acho mesmo que alguém, na antevéspera do Carnaval vestiu a fantasia de Erasmo Dias e assim decidiu. São os mistérios insondáveis do governo.

Para saciar nossa curiosidade, algum dia nós saberemos de fato o que ocorreu. Nada, absolutamente nada, fica encoberto para sempre em matéria de governo nas cercanias do Centro Cívico e do São Lourenço. Pode demorar um pouco, mas algum dia