3 de março de 2015
por Esmael Morais
19 Comentários

Blog do Esmael transmitirá ao vivo, nesta quarta, assembleia da educação

hermes_assembleia_app.jpgEm parceria com a TV 15 e APP-Sindicato, o Blog do Esmael vai transmitir ao vivo, direto da Vila Capanema, em Curitiba, a partir das 8h30, a assembleia de professores e funcionários de escolas em greve há 23 dias.

O Comando Geral da Greve estima mobilizar até 20 mil pessoas no estádio Durival de Britto, o campo do Paraná Clube.

O Palácio Iguaçu desdenha do poder de fogo da APP-Sindicato. A tropa de choque do governador Beto Richa (PSDB) espalhou hoje que “nem 5 mil comparecerão à  assembleia de amanhã”.

Novamente, os palacianos tendem dar com os burros n’água ao escolher o confronto a atender à  justa pauta dos educadores.

Amanhã cedo terá novo round na luta pela educação pública de qualidade. Os grevistas, depois da assembleia, deverão marchar rumo ao Palácio Iguaçu e Assembleia Legislativa.

Richa e a Bancada do Camburão poderão conferir, in loco, se a APP-Sindicato mobilizou 20 mil ou não. Acompanhe tudo ao vivo daqui, no Blog do Esmael/TV 15/APP.

Greve na educação completou hoje 23 dias Leia mais

3 de março de 2015
por Esmael Morais
16 Comentários

Lava Jato: Presidentes da Câmara e do Senado estão na lista de Janot

do Brasil 247
Os presidentes das duas Casas do Parlamento brasileiro estão na lista dos políticos que o procurador geral da República, Rodrigo Janot, irá pedir nesta terça-feira, 3, ao Supremo Tribunal Federal para investigar.

Renan Callheiros (PMDB-AL), presidente do Senado, e Eduardo Cunha (PMDB-RJ), presidente da Câmara, terão contra si pedidos de inquérito para apurar se foram beneficiários do esquema de corrupção na Petrobras.

Eduardo Cunha teria doação de campanha no valor de R$ 500 mil de uma das empreiteiras investigadas na operação Lava Jato. Seu nome foi citado pelo ex-diretor de Abastecimento da Petrobras Paulo Roberto Costa, durante depoimento de delação premiada.

Como o 247 mostrou, nesse domingo, 1, Cunha recebeu sinais de que seu nome estaria na lista negra de Janot. Segundo aliados, Cunha teria reagido com cólera e disposto a se vingar do governo. Na semana passada, ele afirmou que a “a Câmara não ia parar! por causa da lista. Primeiro, que não tem processo de cassação. Para começar um processo de cassação vai demorar muito. Tem que ter representação, depois tem que ter admissibilidade, e depois de votar admissibilidade, tem que instaurar o processo. A Casa vai trabalhar normalmente”, disse.

Com os dois principais nomes do Congresso Nacional com pedidos de investigação, a crise gerada pela operação Lava Jato dá sinais de que pode estar longe de um desfecho e atingir mais pessoas do que o estimado pelos investigadores.

O 247 antecipou também com exclusividade que o único dos 27 governadores que terá pedido de investigação protocolado no Superior Tribunal de Justiça pelo procurador geral da República, Rodrigo Janot, é Tião Viana (PT), do Acre. Viana foi citado pelo ex-diretor de Abastecimento da Petrobras Paulo Roberto Costa, durante delação premiada nas investigações da Operação Lava Jato, como um dos beneficiários do esquema de pagamento de propinas na Petrobras. O governador do Rio de Janeiro, Luiz Fernando Pezão (PMDB), cujo envolvimento chegou a ser especulado, não será investigado (leia aqui).

Leia mais

3 de março de 2015
por Esmael Morais
28 Comentários

Deputado pró-Richa leva “sapecada” no acampamento de professores; assista

Deputado Artagão Júnior, da Bancada do Camburão, foi expulso hoje do acampamento do "Sapecado" (antigo nome do município de Ivaiporã). Imagens/arte do blog Leitura de Conjuntura. Abaixo, assista ao vídeo.

Deputado Artagão Júnior, da Bancada do Camburão, foi expulso hoje do acampamento do “Sapecado” (antigo nome do município de Ivaiporã). Imagens/arte do blog Leitura de Conjuntura. Abaixo, assista ao vídeo.

O deputado estadual Artagão Júnior (PMDB), da bancada governista, foi vaiado hoje, em Curitiba, no acampamento “Sapecado”, onde professores e funcionários protestam contra o governador Beto Richa (PSDB).  ... 

Leia mais

3 de março de 2015
por Esmael Morais
19 Comentários

Richa vistoria obra iniciada com dinheiro arrecadado no “pedágio mais caro do mundo” no Litoral

richa_pr407.jpgO governador Beto Richa (PSDB) sobrevoou nesta terça=feira (3) um trecho da PR-407, em Paranaguá, que começou a ser duplicado até Praia de Leste. O recursos foram arrecadados no pedágio “mais caro do mundo” (clique aqui).  ... 

Leia mais

3 de março de 2015
por Esmael Morais
28 Comentários

Luiz Manfredini: “À luta, Dilma!”

Luiz Manfredini*

Em 1991, o colapso da URSS produziu dramática repercussão em Cuba, que há 30 anos já sofria a perversidade do bloqueio dos EUA. O impacto foi tão grande que logo o PIB cubano acabou reduzido em mais de 35%. Por falta de combustível, boa parte dos transportes voltou à  tração animal e o duro racionamento de alimentos obrigou o governo a distribuir pílulas de vitaminas e sais minerais para o povo subsistir. Diante de tão severas circunstâncias, Fidel Castro foi à s ruas explicar aos cubanos os desafios que viriam pela frente e conclamá-lo à  resistência.

No segundo semestre de 2005, a partir da CPMI que investigava o (impropriamente) chamado mensalão, a bandeira do impeachment do então presidente Lula ganhava corpo no parlamento e em setores da sociedade influenciados pelos bombardeios das elites e pela gritaria da classe média, todos amplamente reverberados pela mídia. Em dezembro daquele ano, o índice de ruim e péssimo de Lula atingia seu nível mais alto: 29%. Foi então que o presidente declarou publicamente que não teria o fim que tiveram dois ex-presidentes !“ Getúlio, suicidando-se, e Jango, deixando o país.!  Lutaria. Nós vamos para as ruas para defender o mandato que o povo nos deu!, garantiu. E foi. E ao povo, nas diversas ocasiões em que teve oportunidade, explicou os acontecimentos, pediu apoio para seu governo e o projeto de ampla significação social que defendia. Em poucos meses, as pesquisas mostravam uma excepcional recuperação.

O silêncio

Penso nessas duas circunstâncias que, embora distantes no tempo, mantém expressiva similaridade política, quando me detenho no atual cenário brasileiro. Após as eleições de outubro último a direita, certa de que as venceria, desencadeou um movimento – que só faz crescer – de cerco e aniquilamento da presidente eleita. Tanto na erosão da maioria que, teoricamente, o governo ainda mantém no parlamento (impondo-lhe, no entanto, derrotas importantes, como a eleição de Eduardo Cunha para a Presidência da Câmara dos Deputados), quanto no superdimensionamento das dificuldades econômicas (no que conta com o inestimável apoio da mídia), assim como na manipulação oportunista da operação Lava Jato, o conservadorismo procura criar na opinião pública a impressão de um país caótico, mergulhado na corrupção, politicamente apodrecido e com sua economia em frangalhos.

Mas enquanto a direita move-se, competente e diligente para ampliar sua base social de apoio, procurando com isso criar as condições políticas para o impeachment de Dilma, a presidente manteve-se reclusa nos primeiros 45 dias segundo governo, sem dizer palavra à  Nação, salvo em breves entrevistas ao final de eventos, quando disparou discurso monótono e burocrático como se fosse a executiva de uma empresa.

Embora costumeiramente avessa à  conduta politica imposta pelo cargo, na primeira reunião ministerial, em fins de janeiro, Leia mais

3 de março de 2015
por Esmael Morais
3 Comentários

Coluna do Enio Verri: Projeto de Lei aprovado na Câmara fortalece os partidos!

partidos.jpgPor Enio Verri*

Se o fortalecimento dos partidos está no cerne de um sistema político representativo, a aprovação na Câmara dos Deputados do texto base do projeto que dificulta a fusão de partidos e novas siglas aumentam as esperanças de uma reforma política que atenda aos anseios da população.

à‰ fato que o Projeto de Lei, que vai ao Senado, está longe de ser uma conquista de um debate amplo e popular como defendemos. Porém, mesmo sob os olhos de uma elite conservadora, confere empecilhos para a velha prática de partidos de aluguel e personalismo político.

Em complemento a resolução do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) que pune a infidelidade partidária, o texto base reduz ainda mais as brechas que permitem que deputados troquem de legendas sem correr o risco de perderem seus mandatos. Trata-se aqui de inibir a criação de novos e fusão de partidos existentes. Leia mais

3 de março de 2015
por Esmael Morais
14 Comentários

Paraná Pesquisas: ‘73% condenam política educacional de Richa’

Na esteira do desabamento da popularidade de Beto Richa (PSDB), o eleitorado paranaense também reprova a política educacional do tucano. De acordo com sondagem da Paraná Pesquisas, 73% consideram ruim ou péssimo o desempenho do governador na educação. à‰ a pior área avaliada, seguida da saúde (59%), segurança (54%) e social (46%).

A pesquisa serve como combustível para a mobilização da assembleia geral da categoria nesta quarta, dia 4, em Curitiba. Cerca de 20 mil pessoas deverão comparecer no Estádio Durval de Britto, campo do Paraná Clube, na Vila Capanema (clique aqui).

Levantamento da Paraná Pesquisas, publicado hoje no jornal Gazeta do Povo, revela que a popularidade de Beto Richa despencou para 19,9%. O índice de reprovação do tucano atingiu a incrível marca de 76,1%, o que desnorteou até a cúpula nacional do PSDB.

O senador Roberto Requião (PMDB) atribuiu à  “corrupção no governo” a queda na popularidade de Beto Richa. Segundo o peemedebista, que luta por informações sobre a adesão da Copel aos leilões de energia, “falta transparência” na gestão do tucano.

Greve na educação completa 23 dias

O governo Beto Richa vai perdendo a batalha da comunicação para a APP-Sindicato. O tucano tenta disseminar informações falsas sobre “supersalários” de educadores, taxando-os de “privilegiados” e “vagabundos”. A estratégia revelou-se um tiro no pé.

Nesta terça, quando a paralisação na educação completou 23 dias, o Palácio Iguaçu se agarrou como pauta na Escola Nossa Senhora da Salete, no bairro Bacacheri, como exemplo de “fura greve”. No entanto, segundo o Comando da Greve, 100% das escolas continuam paradas.

O isolamento do governo Richa é tanto que os professores e funcionários de escola em greve são aplaudidos em público, sempre que explicam os motivos da mobilização. Foi o que ocorreu ontem pela manhã no município de Fazenda Rio Grande, região metropolitana de Curitiba.

Os motivos da greve

à‰ bom frisar que a greve nas 2,1 mil escolas fora deflagrada porque o governador Beto Richa demitiu 30 mil trabalhadores na educação; fechou várias turmas e superlotou salas de aula com até 60 alunos.

Desde novembro de 2014, o tucano também deixou de repassar recursos do fundo rotativo, que é utilizado para a manutenção dos estabelecimentos de ensino. Além disso, não pagara a rescisão dos 30 mil demitidos, nem as férias dos educadores do quadro próprio.

Para fechar o “pacote de maldades”, o governador do PSDB quer confiscar R$ 8 bilhões do fundo previdenciário destino à  aposentadoria dos 200 mil servidores públicos paranaenses.

Leia mais

3 de março de 2015
por Esmael Morais
19 Comentários

Corrupção derrubou a popularidade de Richa!, avalia Requião

Requião discorda de Murilo Hidalgo, da Paraná Pesquisas, sobre a queda da popularidade de Richa; Foi a corrupção no governo!.

Requião discorda de Murilo Hidalgo, da Paraná Pesquisas, sobre a queda da popularidade de Richa; Foi a corrupção no governo!.

O senador Roberto Requião (PMDB), nesta terça (3), ao Blog do Esmael, discordou do presidente da Paraná Pesquisas, Murilo Hidalgo, sobre os motivos do desabamento da aprovação do governo Beto Richa (PSDB).  ... 

Leia mais

3 de março de 2015
por Esmael Morais
67 Comentários

Paraná Pesquisas: ‘76% desaprovam Beto Richa’; queda na popularidade do governador desnorteia PSDB nacional

O governador Beto Richa é reprovado por 3 em 4 eleitores paranaenses, aponta levantamento da Paraná Pesquisas/Gazeta do Povo; queda na popularidade do tucano atrapalha planos golpistas do PSDB, que planeja marcha pelo impeachment de Dilma; Murilo Hidalgo, diretor-presidente do instituto de pesquisa, relaciona a queda a interrupção dos serviços públicos pelas greves e os crescentes protestos que pedem o impeachment do tucano.

O governador Beto Richa é reprovado por 3 em 4 eleitores paranaenses, aponta levantamento da Paraná Pesquisas/Gazeta do Povo; queda na popularidade do tucano atrapalha planos golpistas do PSDB, que planeja marcha pelo impeachment de Dilma; Murilo Hidalgo, diretor-presidente do instituto de pesquisa, relaciona a queda a interrupção dos serviços públicos pelas greves e os crescentes protestos que pedem o impeachment do tucano.

A popularidade do governador Beto Richa (PSDB) virou pó. Apenas 20% dos paranaenses dizem aprovar a administração do tucano, diz levantamento da Paraná Pesquisas encomendado pelo jornal Gazeta do Povo... 

Leia mais