“Vamos resistir aos ataques de Richa com a greve na educação”

Em artigo especial para o Blog do Esmael, Professor Paixão analisa o descaso, os calotes na a educação do Paraná e a proposta do governo Beto Richa (PSDB) de destruição dos planos de carreira dos professores e funcionários. Ele defende que a categoria inicie uma greve por tempo indeterminado já no dia 09 de fevereiro. A decisão final será tomada neste sábado, na assembleia Estadual da APP-Sindicato. Abaixo, leia o texto.

Em artigo especial para o Blog do Esmael, Professor Paixão analisa o descaso, os calotes na a educação do Paraná e a proposta do governo Beto Richa (PSDB) de destruição dos planos de carreira dos professores e funcionários. Ele defende que a categoria inicie uma greve por tempo indeterminado já no dia 09 de fevereiro. A decisão final será tomada neste sábado, na assembleia Estadual da APP-Sindicato. Abaixo, leia o texto.

Professor Paixão*

Um das coisas mais doloridas para um professor(a) ou um funcionário(a) é iniciar o ano letivo realizando uma greve. Isto está muito próximo de acontecer aqui no Paraná. As medidas tomadas pelo governador Beto Richa e sua equipe estão nos levando para esta atitude extrema. A educação do Paraná atravessa um verdadeiro caos. O governo, no afã de administrar uma crise financeira, criada por ele mesmo, desorganizou as escolas, atrasou repasses financeiros, diminui a oferta e cortou pesadamente o número de funcionários e pedagogos. Com isto, a maioria das escolas está sem estrutura física e de pessoal adequadas para recepcionar nossos jovens e adolescentes.

Se já não bastasse isto, o governo do Paraná feriu com duro golpes a alma e a motivação daqueles que são a mola de qualquer política educacional, os professores e funcionários de escolas. Um(a) professor(a) com a alma ferida, desmotivado é um simples e burocrático professor(a). Um(a) professor(a) valorizado(a), é um agente do conhecimento, da esperança. Plantará cotidianamente as sementes do futuro das novas gerações.

No final de 2014, a toque de caixa, com o seu rolo compressor na Assembleia Legislativa, o governo atacou uma conquista histórica, as eleições para diretores de escolas, e imputou uma redução nos parcos vencimentos de nossos educadores e educadoras aposentados. Iniciamos 2015, com menos professores, pedagogos e menos funcionários de escolas. Avanços de carreira não pagos, atrasos de salários de parte da categoria, calotes no 1/3 de férias e nos valores das rescisões dos professores PSS. Um calote de mais de 300 milhões. Os PSSs que tiveram o contrato rompido em dezembro, até agora, não sabem quando vão receber. Muitos destes, que se dedicaram durante todo o ano à  educação, já não têm dinheiro para custear a sua própria alimentação cotidiana.

Destruição das carreiras

A impressão que se tem, é que o governo do Paraná elegeu a área da educação como a grande responsável pela crise financeira que o estado atravessa. Assim, sem nenhum remorso, quase como uma vingança, apresenta medidas de cortes na oferta da educação e nos direitos da categoria.

Se alguém tinha alguma expectativa de que a educação seria valorizada neste segundo mandato de Richa, estas terminaram na tarde de ontem (04/02), quando foi lida a Mensagem 01/2015, enviada pelo governador à  assembleia Legislativa. Em Regime de Urgência o governo pretende destruir os planos de carreiras de professores e funcionários, ambos conquistados em anos de luta. A Mensagem prevê a limitação dos avanços de carreira, mudanças na nossa aposentadoria, achatamento de tabela salarial, a suspensão do adicional por tempo de serviço, restrição e congelamento do valor do auxílio-transporte; e pior, cria um mecanismo artificial para driblar o reajuste de 13% previsto na Lei Nacional do Piso do Professor.

O governo do Paraná está indo na contramão da história. Enquanto há um esforço no país para recuperar o reconhecimento social e profissional dos educadores, aqui, prefere realizar um ataque sem precedentes a nossas carreiras. Enquanto isto, os salários do governador, secretários, deputados, juízes sobem em um passe de mágica. E estes, ou melhor, a sua maioria, na estatura dos seus valiosos cargos, sem nenhum remorso irão aplaudir uma possível vitória contra os professores e funcionários de escolas. Se o governo vencer esta batalha, perdemos todos nós. Perde a sociedade. Como diria Machado de Assis, ao vencedor as batatas!.

Na semana que vem, o governo vai tentar, de todas as formas aprovar o pacote de maldades na Assembleia Legislativa. Não temos escolhas. Nossa única opção é resistir. E neste momento, a resistência tem um nome: GREVE.

Sábado (07/02), em Guarapuava, na Assembleia Estadual da APP tomaremos uma decisão coletiva. Nós que integramos a corrente de pensamento da categoria organizada em todo estado – APP Independente, democrática e de luta – vamos defender a greve já para a primeira semana de aula, ou seja, dia 09 de fevereiro.

Em virtude da gravidade da situação, em que direitos históricos da categoria estão sendo jogados fora pelo governo do Estado, acreditamos que deva ser este o posicionamento da maioria das lideranças das escolas do Paraná. Tomada a decisão, seja a qual for, estaremos nesta nobre batalha em defesa da nossa profissão.

Aproveito para fazer aqui um apelo à s demais categorias de servidores públicos que também estão sendo atacadas pelas perversas medidas do governo. à‰ hora de construirmos uma greve geral do funcionalismo.

Professores(a) e funcionários (as) e demais servidores públicos do Paraná. A unidade na ação é a nossa maior força! Vamos à  luta!

*Luiz Carlos Paixão da Rocha é professor da rede estadual de educação do Paraná.

31 Comentários

Os comentários não representam a opinião do Blog do Esmael; a responsabilidade é do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

  1. Não adianta fazer Greve.
    A cada esperneio, vem outra reação ou atitude mais
    bárbara e estúpida do governador Beto Richa.
    Vide a desconvocação dos + de 5000 mil concursados
    que seriam chamados pela secretaria de educação (com
    minúsculo mesmo).
    Será apenas o ilustre povo se conflagrando contra si
    mesmo, e perdendo a pouca dignidade e cidadania que
    lhe resta.
    Poderíamos ter uma intervenção federal no Estado,
    mas, nas atuais circunstâncias, o governo federal
    está sem moral para isto, e dona Dilma “Rousseffa”
    está se agarrando em fio desencapado para não cair,
    e portanto não tem tempo ou condições de se importar
    com esse Paraná, que já não lhe é muito grato.
    Voto tem consequência: seu voto sua vida.
    Votem melhor em 2016 e 2018: NÃO reelejam ninguém.
    A origem de todos os seus males está nas urnas.

  2. Fiquem a vontade com a greve, não tenho mais filho na escola mesmo..

    PARA A GRANDE MASSA, OS PAGADORES DE IMPOSTOS QUE MANTÉM O ESTADO:

    Pessoal o negócio é trabalhar bastante e ganhar dinheiro, daí você compra carro, paga escola pros filhos, paga plano de saúde E FICA LIVRE DESSAS GREVES e pode ser feliz…

    O Beto Richa é um mal governador, mas de outro lado os funcionários públicos são egoístas e acham que o poder público existe para gerar empregos e vantagens para eles, ambos são egoístas. Então você pode por Jesus Cristo como governador que vai acabar tendo greve e gente descontente…

    O Negócio é se livrar do que é público, tudo que é público é ruim…

  3. Este ano, se o desgovernador conseguir, vai arrancar as poucas gratificações que os professores têm para cobrir o rombo. E no ano que vem, vai tirar de onde? O problema não foi a Dilma, a conjuntura, nem os servidores. O problema desta gestão é o PLANEJAMENTO. Sem planejar nada dá certo. Simples assim.

  4. Mais simples ainda Roger…(pelo visto esta deve ser a única estratégia didática para você conseguir aprender) Quero ver você gritar o que postou em praça pública no meio da multidão grevista, sabe o que vai acontecer ? Nada, somos professores, mas já não tenho certeza quanto aos garis se te deixarão quieto no cantinho.

  5. Uma sugestão, Esmael. A SEED determinou que as aulas do programa “Mais Educação” também não fossem distribuídas para os professores. São aulas de contra turno-passou hoje na RPC.O programa é Federal, isto é, recebe verbas federais. Então a pergunta que me ocorre é para onde vai esse dinheiro, e se isso é legal. Por fim, aproveito para parabenizar a professora Marley e o professor Paixão pela posição agora adotada- antes eu achava que estavam sendo meio pelegos.

  6. Mais simples ainda Roger (deve ser esta a única estratégia didática para vc entender algo) grita isso em praça pública no meio da greve…sabe o que acontecerá a você ? Nada…somos educadores, com todo respeito deixamos o lixo acumulado para os garis retirarem

  7. Simples!!! quem estiver descontente peça demissão e vai procurar outro emprego!!! ninguém é obrigado a trabalhar na Educação!!!

    • Seu idiota, se der um chute no saco do Zé lambança pega na sua boca. Seu animal de teta,vc não sabe a situação que está passando a educação, falta merenda, sala de informática com computadores sucateados, escolas caindo aos pedaços, produtos de primeira necessidades faltando, entre outros caos que se alastra na educação. Mas vc deve ser um semianalfabeto não tem como entender. Pessoas como vc devemos ter pena.

    • Seu pelego, lambe saco,você deve ser um dos ccs disfarçado de educador, vá você procurar algo útil pra fazer, greve é coisa de gente instruída e crítica, não é para imbecis como você

      • Trabalhar na educação significa educar o meu, o seu filho, quero que meus filhos escrevam, leiam e se tornem cidadãos com opinião. Isso se aprende na escola, ou você não sabia disso?. Se você acha que professor deve abandonar a educação, sinto muito por seus filhos. NÃO SOU PROFESSORA. Mais aprendi a respeita-los desde criança.

    • Roger
      Ser professor não é simplesmente um “emprego” é uma profissão querido. Se você tiver algum nível de escolaridade, deve também aos profissionais da educação. Mas, mas pelo nível de mediocridade em seus comentários não deve ter nenhuma. É por causa de comentários e pensamentos idiotas como o seu, que nossa educação está cada vez mais sucateada. Saiba, que quem não valoriza os professores demonstra a precariedade e a limitação de conhecimentos.
      Se não fossem os professores, sua assinatura se limitaria a um simples carimbo do polegar!!!

  8. SEM AULA NAS ESCOLAS ESTADUAIS DO PARANÁ A PARTIR DO DIA 09/02. A ÚNICA ALTERNATIVA HONRADA PARA NÓS PROFISSIONAIS DA EDUCAÇÃO É GREVE GERAL JÁ!!!!!

  9. Sou Professor do estado a 18 anos, meu pai foi professor por 30 anos, cresci escutando situações de escola e digo: Nunca a situação esteve tão ruim quanto agora. Sou Professor de educação física, à 2 anos reduziram aulas no ensino fundamental de educação física, fizeram um concurso em 2013 com base de vagas na matriz curricular( quando era 3 aulas por turma de educação física no fundamental), agora chamaram todos que passaram sendo que a matriz foi alterada, ou seja, reduzida as aulas de educação física, semana passada acabaram c om os projetos de educação física que eram vários, resumindo, pela 1 vez em 18 anos não consegui pegar aulas extraordinaias, só o meu padrão de 20hr. Com 40 já estava difícil sobreviver com família e duas filhas imagina agora com 20? colegas meus pss não sobrou nada. agora querem detonar minha carreira. só me resta uma coisa. ESTOU DE GREVE A PARTIR DE SEGUNDA FEIRA 09/02,PRONTO, FALEI.

    • Colega não sei se fico “feliz” ou choro, “feliz” porque não sou o único nessa situação desesperadora, ou choro devido ao desespero. Resumo da ópera Beto e sua corja bando de FDPS.

  10. Não será o povo que vai arcar com uma crise gerada por esse governo medíocre e insolente, a população deve se valer da única arma que possui, a mobilização, e os professores depois de tanta humilhação e desrespeito, devem partir para greve.

  11. A província paulista vai se aprimorando cada vez mais. O quintal centenário de São Paulo assiste pasmo e passivo as imposturas político – administrativas deste desgoverno.
    O pior é que eu e outros colegas professores assistimos hoje, durante a mobilização para a greve (era para ser a semana pedagógica), colegas chorando desiludidas com este corsário neoliberal, que “bonitinho” e “cheiroso” (sic.) as enganou com um abraço e um beijinho no rosto (limpando a boca escondido depois, prá não pegar doenças), e ganhando dessas colegas carentes de carinho e reconhecimento profissional, o seu voto, a única coisa que lhe interessava…
    É preciso expurgar esta escumalha neolibaral, ou com impeachemant, ou na porrada, pois a única coisa que este sem vergonha não explica, é o que fez com mais de 70 bilhões de Reais que tinha em caixa até 2012…
    GREVE GERAL JÁ!!!

  12. Só espero que essa greve não seja igual a última, depois de alguns dias o sindicato toma um café com o (des)governo e acaba a greve!!

  13. Este é o tratamento Desumano que o Beto Richa oferece aos “filhos dos outros”. Não se esqueça Richa a mesma mão que acaricia é a mesma que bate, não é a toa que VOCê não teve um professor. Quem com o ferro fere com o FERRO será ferido.
    Fora RICHA!

  14. Pessoal, o que esse governo fez durante a gestão anterior, agora os professores e que quebraram o estado. Vamos parar de brincadeira, Greve jaaa…..

  15. Em castro na distribuição de aulas para o PSS teve caso até de policia.
    Seu Beto Richa conseguiu transformar a escola em um local de guerra.

    Lamentável

    • Esse é o objetivo dele, um ser rancoroso, pela derrota do seu candidato ao planalto, caríssimo espere daí para pior na vida a partir de agora, chegou a hora do basta, ou ha enfrentamento, ou sucumbência do povo, que não sejamos a parte vencida, e sim a outra… abaixo o lixo da improbidade governante, rumo a greve geral..

  16. Esse Beto Richa vai acabar com nosso estado

    Pessoal, vamos assinar e ajudar a dar início ao PROCESSO DE IMPEACHMENT CONTRA GOVERNADOR DO ESTADO DO PARANÁ, BETO RICHA (PSDB) por descumprir a Constituição, onde não cumpriu o índice mínimo de 12% de receita do governo do estado na saúde nos anos de 2011, 2012, 2013 e 2014. Bem como requerem a criação de uma CPI para apurar as razões de não estar pagando as contas do estado, por não pagar os direitos dos policiais militares, não pagar direitos dos funcionários públicos, por não cumprir os acordos com transporte coletivo, por aumentar o próprio salário estando em crise de caixa. Por que autorizou pagamento de aluguel de 8 (oito) veículos pagando uma verdadeira fortuna. Para apurar ainda onde foi parar a arrecadação do Estado e os motivos que a receita não está sendo suficiente para cobrir as despesas, bem como as razões de do Estado não ter dinheiro para honrar os compromissos. Para apurar todas as irregularidades que vem sendo noticiado na mídia. Para apurar finalmente se houve ou não desvios de recursos do tesouro público para outros fins. URGENTE.
    Link do site para assinatura eletrônica:
    https://secure.avaaz.org/po/petition/AO_DEPUTADO_TADEU_VENERI_ALEP_ASSEMBLEIA_LEGISLATIVA_DO_ESTADO_DO_PR_ABERTURA_URGENTE_PROCESSO_DE_IMPEACHMENT_DO_GOVERNA/

    • Nós educadores do Paraná nos sentimos envergonhados com um governo de má fé igual a esse, culpamos os leigos que votaram nele, só votaram pq mesmo na era da boa informação vivem mal informados por isso continuam na mesmiçe e não se importam com quem educa seus filhos, resultado seus filhos que pagam por essa á administração do dinheiro público, alguém precisa frear esse governo sem ética e respeito algum por nós educadores do Paraná, ele está sujando o nome do Estado do Paraná que sempre esteve num dos melhores patamares em relação à saúde, educação. O que antes pra nós educadores era motivo de orgulho hoje é motivo de desmotivação e desrespeito por parte desse governo!!

    • Estamos começando o ano letivo assolados por grande insegurança, causada pela medidas do governo estadual contra os servidores, especialmente em relação ao plano de carreira de professores e funcionários de escola. O governo estadual tem enviado projetos de leis para retirada de direitos históricos do servidores, os quais foram conquistados com muitas lutas e a duras penas no decorrer do tempo, sem nenhum tipo de discussão com as categorias.
      Além de não recebermos o que nos é de direito, como o terço de férias e as promoções, e, no caso de professores temporários, o acerto de sua rescisão de contrato, a educação paranaense tem sofrido com falta de verbas para as escolas e cortes em diversos programas e projetos, ações que vêm a diminuir a qualidade do ensino ofertado.
      Dessa forma, pedimos o precioso apoio da comunidade para que possamos reivindicar uma educação de qualidade para todos, bastante prejudicada também pelo desestímulo que nos afeta neste início de ano letivo. Nosso propósito é que nossa luta resulte em condições que nos possibilitem receber os filhos da comunidade a que servimos de forma a dar o melhor de nós para prestar o serviço educacional de excelência que sempre buscamos.