TCE aprova auxílio-moradia de R$ 4.377,74 para conselheiros. Crise só vale para os educadores?

Fernando Guimarães relatou favoravelmente processo criando auxílio-moradia de R$ 4.377,74 mensais aos conselheiros. Eles ganham R$ 26,5 mil de salário ao mês. à“rgão é presidido por Ivan Bonilha, aliado de Richa, que já concedeu a mamata para os juízes. Professores em greve dizem que trocariam salário pelo benefício dos conselheiros.

Fernando Guimarães relatou favoravelmente processo criando auxílio-moradia de R$ 4.377,74 mensais aos conselheiros. Eles ganham R$ 26,5 mil de salário ao mês. à“rgão é presidido por Ivan Bonilha, aliado de Richa, que já concedeu a mamata para os juízes. Professores em greve dizem que trocariam salário pelo benefício dos conselheiros.

Os conselheiros do Tribunal Faz de Contas (TCE), aqueles caras que se acham juízes, aprovaram hoje auxílio-moradia de R$ 4.377,74 por mês. O salário dos membros do Tribunal é de R$ 26,5 mil mensais. Com o auxílio-moradia saltará para R$ 30,8 mil por mês.

Paralelamente ao benefício auto-concedido pelo TCE, o governo Beto Richa (PSDB) quer retirar direitos dos funcionários públicos e eliminar conquistas de educadores, que estão em greve há 10 dias.

Uma professora ouvida pelo Blog do Esmael/APP/T V15 disse que aceitaria trocar seu salário pelo auxílio-moradia dos conselheiros do TCE.

O auxílio-moradia poderá ser usado inclusive pelos conselheiros que possuem casa própria. Além disso, eles não precisarão prestar contas do dinheiro que sairá do tesouro estadual.

O TCE é presidido pelo advogado Ivan Bonilha, aliado do governador Beto Richa desde criancinha.

Nunca é demais lembrar que, no mês passado, Richa reajustou o próprio salário que é o maior do país (R$ 33 mil) e dos secretários para R$ 23,6 mil.

Os titulares da Educação e da Fazenda, por exemplo, têm ainda acréscimo de R$ pela participação em conselhos de várias empresas públicas.

Os deputados estaduais também engordaram seus salários em 26%, que a partir deste mês receberão R$ 25.322,25 mensais.

Comentários encerrados.